sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O Ano-Novo

Aqui na casa da Mamãe Pediatra não costumamos comemorar o Natal, pelo fato da minha formação não ser cristã, mas xintoísta. Porém, não é por isso que eu deixo marido (que é católico daqueles de ajoelhar durante a missa) e filhota (que ainda tem idade pra gostar de Papai Noel e festa) sem a comemoração.

Então, no Natal eu mudo a família inteira pra casa da sogra e, no Ano Novo, voltamos todos para casa. Dessa forma, a Denise cresce sabendo o que é o Natal e o que é o Oshogatsu, a comemoração do primeiro dia do ano para os japoneses.

Como no Oshogatsu é importante a fartura para um ano próspero, já fiz bolo, lentilhas, amanhã farei tender e lombo e minha mãe trará bacalhau e docinhos. Nham, nham. :) Não farei peru porque não é bom comer nada que cisca ou que nade para trás (como camarão, lula e polvo), mas teremos muito porquinho, que fuça para a frente.

São superstições ou tradições que minha família faz desde que me conheço por gente e que acho importante passar para a minha filha. O importante é conseguir conciliar as duas tradições sem briga.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Mamãe pediatra de férias!

Ou melhor, só a pediatra de férias, a mamãe continua firme e forte em período integral.

E como a dona moça entra em férias HOJE, o blog ficará em recesso até o dia 10 de janeiro, quando ela vai pro curso de férias (curso de férias para berçário = rotina normal, hehehe), porque não dá para escrever nada com uma mocinha do lado falando MAMÃE MAMÃE MAMÃE o tempo todo.

Masssssss... antes disso, tivemos a festa da escolinha... achei que ela não iria dançar por ser muito pequena, mas tive a surpresa de ver a minha filha fantasiada de joaninha, com asinha e tudo, pulando no meio do palco. Claro que ela não dançou coreografia nenhuma, só sacudiu os bracinhos e ficou girando, mas mesmo assim foi muito lindo.

Agora quero uma filmadora decente para o ano que vem. :)

Que o Papai Noel traga muitas coisas boas (não só materiais) para todos!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Tá quente, mamãe

E tá mesmo. Muito quente. Então hoje, feriado municipal de Campinas (o que não contempla o maridão, o famoso papai da Denise), resolvi levar a nenê na sede de campo da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas. Sim, me filiei ontem e sim, comecei a usar hoje, hehehe.

É longe. Deu a impressão de ter errado o caminho várias vezes. Denise odiou o sacolejar da estrada de terra e eu quase quis um 4x4. Mas valeu totalmente a pena...

Besuntei a moça de bloqueador solar (ela usa AntiHelios Pediatric da La Roche-Posay, fator 50), coloquei o mega fofo maiô rosa da Lilica Ripilica (que comprei na promoção, no INVERNO, porque pagar mais de 50 reais em um pedacinho de pano que vai usar pouco, ninguém merece), passei meu protetor solar (não sou tão chique, eu uso Nívea fator 30 mesmo), enchi a bóia rapidamente enquanto Denise se dirigia à grande banheira desgovernadamente e pulei dentro d'água.

E ela ADOROU! Quem disse que eu conseguia tirar a mocinha da água? Só consegui quando ela começou a ficar com fome e tagarelou "papá, papá". Aí comeu, fez birra, voltou pra dentro da piscina (eu sei que estava muito sol e muito quente, mas era ou entrar com a mamãe ou entrar sem a mamãe, porque ela corria na direção da água no momento que os pés tocavam o chão), fez mais birra e achei que estava na hora de voltar.

Bom, ela continua dormindo feliz no berço... sem uma marquinha sequer de sol. Fator 50 vale MUITO a pena pra criança...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Parla!

E fala, meu Deus, como fala.

Agora que está com quase 15 meses, fala várias palavras e está tentando acertar o significado delas (sim, falar não significa que sabe o que está falando). Não para mais de falar "mãe, manhê, mamãe" e suas variantes, "pai" é uma constante nesta casa, "diaaaaaaaaaaa" equivale a bom dia e por aí vai.

Hoje ela aprendeu para que serve o "não". Até agora, ela falava "nanão" e balançava o dedinho, mas falava rindo, mostrando que não sabia o que era "nanão". Aí hoje me soltou um "não qué" e empurrou a colher. Muito bom, minha filha...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

"Crechite"

Demorei, mas cheguei...

Todo mundo sabe que, quando colocamos nossos bebês na escolinha, logo começam as "ites" - conjuntivite, otite, amigdalite... e todo pediatra também sabe que é nessa hora que as mães se desesperam, correm para os pronto-socorros, ligam para os pediatras, marcam consultas fora da rotina, por acharem que a criança tem algum problema e já com vontade de tirá-la da escolinha.

Mas vamos primeiro aos motivos que levam a essa enxurrada de doenças:

1) Toda criança nasce com o sistema imunológico em formação, por isso depende do leite materno e seus anticorpos para se proteger de infecções. As imunoglobulinas responsáveis pela defesa plena do organismo só estarão com a produção total aos 7 anos de idade.

2) Toda infecção comum às escolinhas é de transmissão por gotículas (gripe, resfriado, catapora), oral-fecal (verminoses, diarréias) ou por contato (conjuntivite, molusco contagioso, catapora). Não há criança que não goste de mexer em criança, sem contar que o número de criança por metro quadrado numa escola certamente será superior ao de casa.

Então, por que uma criança pega uma infecção por semana?

Porque ela está compartilhando vírus/bactérias com seus coleguinhas! Ela sara de uma e pega outra do coleguinha, que, por sua vez, sara do seu vírus e pega outra de outra criança e assim por diante... o bom é que ela vai "adquirindo resistência", ou seja, seu sistema imunológico vai entrando em contato com diferentes tipos de vírus e bactérias e vai aprendendo a combatê-los.

Claro que isso não significa que não devemos dar importância a essas doenças. Algumas crianças podem ter doenças de base que só se manifestam quando entra em contato com outras pessoas, então é sempre bom consultar e questionar o pediatra em caso de dúvida.

Existem doenças que só são diagnosticadas se a gente pensa nelas e pede os exames corretos. Para isso, a fundação Jeffrey Modell elaborou os 10 sinais de alerta para imunodeficiência na criança:

Os 10 Sinais de Alerta para Imunodeficiência Primária na Criança

1. Duas ou mais Pneumonias no último ano
2. Quatro ou mais novas Otites no último ano
3. Estomatites de repetição ou Monilíase por mais de dois meses
4. Abcessos de repetição ou ectima
5. Um episódio de infecção sistêmica grave (meningite, osteoartrite, septicemia)
6. Infecções intestinais de repetição / diarréia crônica
7. Asma grave, Doença do colágeno ou Doença auto-imune
8. Efeito adverso ao BCG e/ou infecção por Micobactéria
9. Fenótipo clínico sugestivo de síndrome associada à Imunodeficiência
10. História familiar de imunodeficiência

Adaptado da Fundação Jeffrey Modell.

A presença de um ou mais sinais é indicativo de que é necessária a investigação para doenças imunes na criança. Geralmente elas têm controle com medicações e acompanhamento constante e mesmo essas crianças frequentam a escola normalmente. Por isso, não precisam correr para tirar seus filhos da escolinha.


Provavelmente a criança terá uma semana na escola... uma em casa... uma na escola... outra em casa... por uns três a quatro meses. Depois disso, a maioria volta ao normal.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Ai-Ai?

As mamães que têm TV por assinatura em casa com certeza conhecem o Discovery Kids. Portanto, também tenho certeza de que seus filhos conhecem o Hi-5.

Hi-5 - elenco americano 2008
Jennifer Peterson-Hind, Kimee Balmilero, Karla Cheatham-Mosley, Curtis Cregan e Shaun Taylor-Corbett

Da mesma criadora de "Bananas de Pijamas", Hi-5 é voltado às crianças na idade pré-escolar, ensinando conceitos musicais, de associação, cores, tamanhos e companheirismo com muita música e dança. A versão que passa no Discovery Kids é a australiana (Stevie Nicholson, Casey Burgess, Fely Irvine, Tim Maddren e Lauren Brant - é aquela que as mães acham que tem o loirinho esquisito), pois está prevista para continuar até 2013. A americana terminou em 2008.

Mesmo sem estar na idade recomendada para a série, Denisinha amou as músicas desde a primeira vez que as ouviu, tornando os meus finais de semana impossíveis, pois não passa Hi-5 nos horários que ela acostumou durante a semana. Então entrei no Submarino.com e encontrei uma ótima promoção, 4 DVDs pelo preço de 29,90!

Bom, o resultado é que, agora, mal ligo a TV depois da janta + banho + mamá e ela anda até a estante, aponta para as caixas dos DVDs e fica falando "Ai-Ai" até eu colocar um pra rodar no aparelho.

Ainda bem que comprei 4 DVDs.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Questões de segurança 2

Entãaaaaaaaaao...

No feriado, papai avisou a mamãe que iria trabalhar, então não poderia ajudar a cuidar da nenê enquanto a mamãe cozinhava ou saía para buscar comida. Só que isso foi dito às 11:30.

Daí, mamãe resolveu sair com a nenê para comer fora. Como sozinha não dá para controlar direito a nenê, mamãe inventou de estreiar a "coleira" na nenê.






E a nenê achou LINDO... só até perceber pra que a coisinha azul servia.

O resultado foi uma Denise sentada empacada no chão do restaurante, chorando. Só melhorou depois que eu a peguei no colo e fui me servir (com bolsa a tiracolo e prato na outra mão).

Veredito da "coleira": boa para não deixar a criança sair do alcance dos pais em locais movimentados, mas só vou usá-la quando for pro aeroporto ou locais com grande fluxo de pessoas.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Questões de segurança

No feriado de Finados, dona Denise resolveu aprender a andar DIREITO. Pois sim, agora é um festival de capote que ninguém merece.

Domingão, fui obrigada a tirá-la de casa e levar pro parquinho porque não aguentava mais correr atrás dela dentro da cozinha, do banheiro, da bandeja dos gatos, tirar os dedos dela de dentro da gaveta... então resolvi comprar a tão conhecida grade de segurança.

Confesso que fiquei um pouco cética com o modo de fixação. COMO ASSIM, isso prende só na pressão?? E o peso da boneca, que com certeza vai subir nela?
Bom, a grade chegou hoje (comprada pela Americanas.com). Já abri e fui instalá-la e, para a minha boa surpresa, ela aguenta até o meu peso, sem cair.

Quem não gostou nada nada disso foram os gatos. :)

sábado, 6 de novembro de 2010

Mitos e verdades

Vou dizer a verdade: eu estava torcendo para esse tema ser o vencedor, porque é o meu favorito. :)

1- Bebê soluça porque está com frio.
O soluço é resultado de uma incoordenação da musculatura do diafragma, tanto nas crianças como nos adultos. Conforme a criança cresce, os soluços diminuem porque a musculatura se torna mais madura.


2- Criança que come muito doce está com vermes.
O "coitado" do verme leva a culpa por um monte de coisas nas crianças, entre elas, o excesso de vontade de doces. Criança come muito doce porque gosta e porque o adulto deixa, ponto.

3- Rosto manchado é sinal de vermes.
Aí o verme de novo. Existem algumas doenças dermatológicas que deixam o rosto da criança com manchas brancas, entre elas a pitiríase alba e a pitiríase versicolor. A pitiríase alba é mais comum em pessoas com algum tipo de alergia, mas sua origem é desconhecida. A recomendação atual é que sejam usados protetor solar e hidratante, para evitar o surgimento de novas manchas, mas uma vez instaladas, elas demoram pelo menos 30 dias para sumir. Já a pitiríase versicolor é causada pelo fungo Malassezia furfur e deve ser tratada com antifúngicos.

4- Criança que come terra tem vermes.
Já estou achando que esse verme é bode, coitado. Na verdade, o hábito de comer coisas incomuns (terra, tijolo) se chama pica e está mais relacionado com anemia. Portanto, se seu filho está devorando a parede da sala, é melhor levar ao pediatra para ver se não precisa usar um ferruginoso.


5- Comer muito doce dá diabetes.
O diabetes mellitus é uma doença endócrina, existindo o tipo I (antigamente chamado de juvenil) e o tipo II (antigamente chamado de diabetes do adulto). O tipo I se manifesta comumente na infância, pela não-formação de insulina pelo pâncreas. O tipo II é mais comum no adulto, com herança familiar e fatores ambientais, sendo mais comum a resistência periférica à insulina, ou seja, o corpo produz insulina, mas não sabe aproveitá-la.
O que acontece hoje é que muitas crianças e adolescentes estão acima do peso ou até mesmo obesos, o que aumenta a chance de desenvolver a resistência periférica a insulina.
Portanto, comer muito doce não dá diabetes, mas comer muito doce, pão, massas, carnes e estar acima do peso pode dar, sim.

6- Homem barbado não pode beijar bebê novinho, porque dá feridas na pele.
E lá vai o pai fazer a barba correndo...
Muitos bebês recém-nascidos apresentam pápulas parecidas com espinhas no primeiro mês de vida. Chamamos isso de eritema tóxico ou eritema neonatal e é uma reação da pele do bebê ao ambiente gasoso. Não é necessário tratamento e some depois dos 40 dias. Só precisa tratar se a criança pegar uma infecção secundária na pele (ou seja, se alguém inventar de espremer o cravinho do nenê).

7- Quando a menina tem leite de bruxa, tem que espremer pra tirar.
NÃAAAAAOOOOOOOO, coitada da criança! O "leite de bruxa" acontece quando a menina recém-nascida, ainda com a influência do estrógeno materno, desenvolve mamas e leite. Com o passar do tempo, o estrógeno sai do corpo e as mamas voltam ao normal, mas se alguém cutucar ali, pode causar uma mastite.

8- Pro umbigo não ficar pra fora, tem que colocar faixa e não deixar a criança chorar.
Oi, não precisa de faixa, nem de moeda. É só limpar com o álcool 70 (não é o álcool que compramos no mercado, o 70 é comprado em farmácias) cada vez que trocar a fralda e não ficar puxando muito o coto umbilical.

9- Meu filho de 1 mês já tem intestino preso, preciso usar laxante?
Os bebês recém-nascidos fazem cocô cada vez que mamam, pelo reflexo gastro-cólico. Porém, com 30 dias, esse reflexo diminui e, se for amamentado no peito exclusivamente, eles passam a fazer cocô uma vez a cada 5 a 7 dias, porque aproveitam tudo o que o leite tem de bom e demora pra fazer resíduo e formar o bolo fecal. O problema é no dia que eles resolvem fazer o cocô acumulado, melhor nem sair de casa.

10- Vento frio dá dor de ouvido.
As otites podem ser causadas por vírus ou por bactérias, sem relação com o vento. Há um tipo de otite, a externa, que ocorre mais em ambiente úmido, então crianças que deixam a água entrar no ouvido podem ter otite externa. Era um tal de colocarem touca na minha filha e de eu tirar em seguida...

11- Meu filho está com dor de ouvido, ele chora quando eu aperto.
Mamães, por favor, não apertem as orelhinhas dos bebês.
As otites médias geralmente vêm acompanhadas de febre. As externas, quando doem, a dor vem da manipulação do pavilhão auricular (da orelhinha), mas é só encostar que ele chora, não precisa apertar.

Essas são as campeãs na minha prática diária. Se eu esqueci de alguma ou alguém tiver uma sugestão para colocar aqui, por favor, escrevam. :)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Acabou o meu sossego

E dá-lhe mãe e pai correndo pela casa atrás de um ser de 75 cm de altura, que nunca pensaram ser capaz de fugir com tanta maestria.

Denisinha pegou firmeza nas pernas neste feriado de Finados e agora ninguém segura essa garota.

Ou seja... sexta lá vai a mãe pesquisar preço de grade pra colocar na porta da sala.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O que levar no pediatra?

Eu vivo reclamando que as mães não levam as coisas de que preciso nas consultas, mas também nunca deixei bem claro, por escrito, o que levar. Podem ter certeza de que qualquer pediatra vai ADORAR quando vocês chegarem com tudo.

  1. A criança. Pode parecer óbvio demais, mas não são poucas as vezes que a mãe ou babá ou pai ou avó ou parente aparece no consultório com o resultado do exame e sem a criança. Mesmo que o pediatra não examine e só passe o tratamento ou fale que está tudo bem e pode voltar depois, é bom levar pelo menos para ver que a criança realmente está bem.
  2. Os resultados de exames, pedidos pelo pediatra ou feitos em situações de urgência, no pronto-socorro. Caso a criança tenha sido atendida por outro médico, o pediatra vai querer saber o que aconteceu e como o caso foi conduzido.
  3. As receitas de remédios que não foram prescritos por esse pediatra. Xarope para tosse existem aos montes, bem como antibióticos, pomadas, creminhos e afins. E nem sempre conseguimos adivinhar o que é pela cor do líquido, formato da embalagem ou tamanho do comprimido.
  4. A carteira de vacina. O bom pediatra tem o hábito de anotar no prontuário da criança se as vacinas estão em dia, mas é na carteira que ele/ela anota o peso e a altura da criança. Sem contar que nunca se sabe quando surgem vacinas novas no mercado.
  5. O cartão da criança. Isso vale mais para usuários do SUS, porque quem tem convênio sabe que, se aparecer sem a carteirinha, vai voltar pra casa. O problema é que, no SUS, tem mãe que sai de casa sem documento algum e acha que a recepcionista vai achar a pasta da criança sem o número, só com o nome da mãe. Sem o número, não dá pra achar. Sem contar que os retornos são marcados nesse cartão.
  6. Fraldas extras e creme anti-assaduras. Novamente, isso serve mais para usuários do SUS... ou melhor, do lugar onde trabalho, porque não conheço uma criança que nunca tenha feito xixi na balança do pediatra.
E, se for a primeira vez que seu filho for passar nesse pediatra, caso ele tenha alguma doença em tratamento, não se esqueça de levar um relatório do médico anterior ou a cópia do prontuário. Ajuda muito e evita que a mãe tenha que contar tudo, mas tudo do começo...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Tema vencedor... VITAMINAS! (com 2 votos...)


As vitaminas são substâncias orgânicas essenciais (não são produzidas pelo organismo humano) e necessárias em pequenas quantidades para o funcionamento normal do nosso corpo, devendo ser obtidas através dos alimentos que ingerimos.

Elas se dividem em dois grupos: hidrossolúveis (complexo B, ácido ascórbico ou vitamina C) e lipossolúveis (A, D, E e K). As hidrossolúveis não são armazenadas no nosso corpo, sendo eliminadas na urina, devendo ser fornecidas diariamente na alimentação. As lipossolúveis são armazenadas nas vísceras, principalmente no fígado.

Os grupos de maior risco para hipovitaminose são as crianças desnutridas, os prematuros e as gestantes, sendo recomendada a suplementação com polivitamínicos. Em crianças a termo, com desenvolvimento de peso e altura normais, as hipovitaminoses podem ocorrer quando há exclusão sistemática de alimentos fontes de uma ou mais vitaminas da dieta, por vegetarianismo estrito ou pela falta de disponibilidade desses alimentos na região onde se vive.

Os polivitamínicos não aumentam o apetite e não devem ser usados indiscriminadamente, pois o excesso de vitaminas pode causar toxicidade, como aumento dos níveis de ácido úrico, alterações de pele, problemas no fígado, sangramento na urina e cálculos renais. Paradoxalmente à crença popular, o excesso de vitamina A pode causar perda de peso e falta de apetite.

A recomendação atual é que seja oferecida à criança uma dieta variada, para que ela possa adquirir dos alimentos todos os nutrientes necessários.
  • Crianças nascidas a termo, em aleitamento materno exclusivo: não necessitam de polivitamínico. Porém, quando há pouca exposição a luz solar (mora em região de clima frio ou em apartamento), recomenda-se o uso de vitamina D para evitar o raquitismo. Quem mora em região quente e tem facilidade de exposição ao sol, bastam 15 minutos por dia, antes das 9 da manhã ou depois das 5 da tarde.
  • Crianças prematuras: recomenda-se o uso de polivitamínico e ferruginoso (sulfato ferroso ou outras formulações), mesmo em aleitamento materno exclusivo.
  • Crianças em uso de fórmula infantil maternizada (NAN, Nestogeno, Aptamil, Bebelac, Similac): não necessitam de polivitamínico, desde que tomem pelo menos 500 ml da fórmula por dia, pois as fórmulas têm adição de ferro e de vitaminas. 
  • Crianças em uso de leite de vaca: recomenda-se o uso de polivitamínico e ferruginoso a partir do momento da introdução do leite de vaca integral (caixinha).
  • Crianças após 1 ano de idade, com ganho de peso e altura adequados, com boa aceitação de alimentos variados: não necessitam de polivitamínico.

- E por que alguns pediatras recomendam o uso de polivitamínicos e outros, não?

- Depende muito da escola, da linha de atendimento e da população que o pediatra atende. Eu trabalho em um centro de saúde de periferia, sou obrigada a pensar que pode ser que a criança não tenha acesso a alimentos variados e frescos, então todas as crianças recebem sua receita de polivitamínico. Minha filha, por outro lado, não sabe nem que gosto o polivitamínico tem, porque tem acesso a tudo e toma leite com vitaminas.

É sempre importante lembrar que a melhor pessoa para orientar sobre a alimentação de seu filho é o pediatra que você escolheu. Os textos do Mamãe Pediatra são informativos, não devem interferir na conduta do médico que acompanha a criança (a não ser que a pediatra seja eu, hehehe).

Uso correto de antibióticos

Com o surgimento da bactéria resistente a medicamentos, a KPC, matando 18 no DF e 24 em SP, algumas normas foram modificadas para a venda de antibióticos no Brasil e para promover o uso racional de antibióticos.

Primeiro, não custa lembrar, antibiótico é uma medicação tarja vermelha, ou seja, só pode ser vendida com prescrição médica. Segundo, existem indicações precisas para o uso dos antibióticos, para evitar o surgimento de bactérias multi-resistentes.

Portanto, somente o médico, o médico veterinário e o odontólogo (dentista) são habilitados para prescrever tais medicações para seus pacientes. O farmacêutico é um profissional habilitado para atuar no perfil farmacoterapêutico das pessoas que acompanha, ou seja, é um (grande e fundamental) auxiliar do médico na orientação do bom uso dos medicamentos prescritos. Não pode, contudo, prescrever remédios sem avaliação médica.

- E quando usamos antibióticos?

- Quando há sinais de infecção bacteriana. Gripe, resfriado, H1N1 (aqui usamos anti-virais), diarréias agudas por rotavirus não são afetadas pelo uso de antibióticos, mas o uso deles nesses casos pode ajudar a selecionar bactérias resistentes.

- Quais as infecções bacterianas mais comuns nas crianças?

- Otites, amigdalites, pneumonias, celulites, impetigos, abscessos (o popular furúnculo). As mais graves requerem internação, com uso de antibióticos intra-venosos, como a meningite bacteriana.

- E como será a partir de agora?

- Nas farmácias, o antibiótico passa a ser medicação a ser vendida sob prescrição médica com retenção da receita. O médico deverá fornecer duas vias da receita, uma ficará na farmácia e a outra, com o paciente, para referência de uso.

Referências:
1- http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2010/10/bacteria-resistente-medicamentos-mata-18-em-brasilia.html

2- http://www.boletimjuridico.com.br/doutrina/texto.asp?id=802

3- http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/816882-com-superbacteria-anvisa-deve-mudar-regra-para-evitar-venda-de-antibiotico-sem-receita.shtml

terça-feira, 19 de outubro de 2010

O primeiro RX

E eis que Denise está em seu quarto dia de febre... e passou pelo seu primeiro RX.


Quando uma criança apresenta febre, geralmente demora de 48 a 72 horas para que o corpo produza algum sinal ou sintoma que ajude no diagnóstico (exceto no caso de doenças graves, que complicam em horas). Desta forma, se a criança tem febre, mas está pulando e brincando depois que ela abaixa, compensa esperar para levar ao pediatra.

E esse foi o caso da nenê. A temperatura subia para absurdos 39 graus Celsius em apenas 3 horas, eu medicava e, 15 minutos depois, a mocinha estava cantando feliz pela sala. Agora, quatro dias já era demais.

Toca levar pro pediatra: exame físico normal + nada nos ouvidos + nada na garganta + nada nos pulmões + pescoço mexendo normalmente = triagem, que consiste em um RX de tórax (AP e perfil, ou seja, de frente e de lado), um hemograma e um exame de sedimento urinário (ou Urina 1). Por enquanto só passamos pelo RX, se a febre persistir, amanhã passaremos pelos outros exames.

Como a febre já espaçou (deu uma vez ontem e outra hoje) e o nariz parece uma cachoeira, acho que era só um quadro viral (a famigerada gripe), mas sempre é bom ter certeza de que não é nada mais grave.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Tá andando!

Tchan tchan tchan tchan...

Ela está ANDANDO! Dá alguns passinhos bobos e senta, mas é sozinha! Uhuu!

E, para marcar esse passo (literalmente) importante, o Mamãe Pediatra abre sua primeira enquete:

"Qual assunto deve aparecer no Mamãe Pediatra?"

Cada pessoa pode votar em uma alternativa, a mais votada ganhará um post explicativo no blog. O período de votação é de uma semana.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Bugui! Oras...

Nenê brincando na sala com o pai:

- Qué bugui!

- Quer o quê?

- Bugui!

Ainda não descobrimos o que era o tal "bugui".

[EDIT 20/10] Descobrimos o que é "bugui". É bolo...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Aniversário de casamento

Para comemorar o quarto aniversário de casamento (e o primeiro com Denise já grandinha), decidimos passar um fim de semana em um hotel.

Escolhi a Hospedaria Águas Claras, em Itapira-SP, um lugar muito aconchegante, tranquilo (só tem 6 apartamentos e 2 bangalôs) e completamente amigável para casais com filhos. Quando chegamos, já havia um berço de madeira antiga no quarto, embora a Denise durmisse na cama conosco.

As refeições e os passeios são todos incluídos na diária, que tem o acréscimo de 5% de taxa ambiental. Tem piscina, lago para pesca, quadra de esportes, cavalos para passeio, charrete, trilha de caminhão e, em noites de lua cheia, cavalgada ao luar.

Todos nós voltamos bolinhas de lá, incluindo a nenê, que se recuperava de uma virose das brabas (vide post anterior). É um lugar muito bom para relaxar e deixar as crianças soltas na natureza.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Novidades...


E as fotos do aniversário da Denise chegaram! Adorei cada uma delas e difícil vai ser escolher qual vou mandar imprimir (o bom é que tenho TODAS elas em alta resolução). O engraçado foi que encontrei a fotógrafa pelo Orkut e, quando fomos conversar, descobrimos que estudamos no mesmo colégio.

Ela não faz o serviço de fotolivro, mas entrega todas as fotos em alta e baixa resolução em um DVD personalizado, tratadas e editadas. Para conhecer o trabalho dela, procure o Além D'Olhar Fotografia.

Agora, como minha filhota está ficando menos pequena, está dormindo no berço a noite toda (sim, deixou a cama compartilhada), embora ainda precise adormecer na cama comigo. Ligo a babá eletrônica e durmo na minha cama, acordando pelo menos uma vez quando ela choraminga. Devo confessar que a qualidade do meu sono melhorou muito.

O problema que temos agora é que, depois da mega-virose de duas semanas atrás, a Denise não conseguiu recuperar todo o peso e, embora tenha ganhado estatura, manteve o peso de agosto. Ou seja... sabadão, lá vão mãe e avó pro laboratório torcer pra nenê fazer xixi no saquinho coletor... o bom é que conheço todos os truques pra fazer nenê fazer xixi, então vamos colocá-los em prática.

sábado, 2 de outubro de 2010

Ih! É catapora!

Não, a Denise não pegou catapora... mas de tanto ver bolinha na minha frente no centro de saúde, achei que era melhor falar um pouco sobre esse bichinho de bolinhas.

A catapora, ou varicela, é uma doença causada por um vírus, o Varicela-Zoster (VZV), o mesmo que causa herpes zoster em algumas pessoas. Por ser vírus, não tem antibiótico que cure, apenas o tempo.

O ciclo da varicela dura 10 dias, durante os quais a criança pode ter febre, tosse, dor de barriga, nariz escorrendo, muitas e muitas bolinhas d'água (vesículas) e casquinhas (crostas), que caracterizam a doença. Coça muito, mas muito mesmo e deixa marcas no corpo se coçar e arrancar as crostas. E quando começa, o que fazer?

O ideal é sempre consultar o pediatra; ele irá avaliar a criança e ver se não há complicações que precisem de tratamento específico (ver abaixo), mas na maioria dos casos, irá prescrever um anti-histamínico para controlar a coceira e fazer a criança dormir um pouco melhor, um secativo para as vesículas e um anti-térmico para a febre. E muita paciência.

As complicações mais comuns da varicela são as infecções de pele, quando as vesículas se enchem de pus e a pele ao redor fica vermelha. Existem outras complicações, mais sérias, que devem ser tratadas em hospitais, por isso é importante a avaliação pediátrica.

Tá, mas a criança está bem, foi liberada para casa e...

.. vai ficar em casa, isolada do contato com outras crianças e pessoas que não tiveram catapora antes, por 10 dias ou até que todas as vesículas tenham secado. O vírus se propaga pelo ar e pelo contato com as feridas da pele e é altamente contagioso. O período de transmissão se inicia antes mesmo das primeiras vesículas aparecerem, então é sempre bom avisar a escola ou creche para que possam ficar de alerta para novos casos na classe da criança doente.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Virose? Como assim? De novo?

Sim, sim, Denise acaba de passar por mais uma virose no seu primeiro ano de escolinha... e está em casa de novo.

A parte braba de tudo isso é que eu pensei que tinha trazido uma virose do posto (e estava me mortificando por isso), mas, na verdade, foi ela quem trouxe o vírus, porque só isso justifica o pai e a mãe com vômitos e diarréia quatro dias depois da nenê.

E aí é aquela coisa: não come, não mama direito, só quer dormir, vem o febrão e bate o desespero. Nessas horas, só há uma coisa a fazer: ter MUITA paciência.

Infelizmente, não existe remédio que pare uma diarréia. Isso, só o tempo consegue, em média, cinco dias depois do inicio do quadro. Enquanto isso, é soro de reidratação oral a cada evacuação líquida e, se vomitar, depois de cada vômito. Claro, se a criança vomitar mais de 3 vezes em uma hora ou não fizer mais xixi, é hora de levá-la ao pronto-socorro para uma avaliação médica e, se necessário medicação na veia ou no bumbum.

Vai emagrecer? Ô. Vai ficar chatinha? Nem me fale... mas se for a dita "virose", em cinco dias a criança estará bem e tocando o terror na casa. Difícil é cuidar da nenê sentindo o corpo todo dolorido e visitando o banheiro a cada meia hora.

OBS: criança grande não toma o soro de reidratação oral sem sabor. Nem por decreto. Então, escolham algo gostoso e, se mesmo assim não tomar, sempre existe a seringa para dar o soro na boca.

Marcas mais conhecidas de soro:

  • Pedialyte (existe o 45 e o 90. O 90 é BEM salgado, nem todo mundo toma): sabores maçã, cereja, coco, guaraná, tutti-frutti e natural (o famigerado sem gosto da minha infância).
  • Floralyte: laranja, guaraná, tutti-frutti e abacaxi
  • Rehidrat (esse tem que diluir em água): maçã, laranja, groselha e natural (argh)
  • Hidrafix (também tem que diluir): laranja, limão, uva e framboesa

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Por que levar no pediatra?

Muita gente acha engraçado quando digo que a Denise vai ao pediatra, sendo que eu sou pediatra. Mas acho que eu tenho o direito de ser só mãe, então delego a responsabilidade de cuidar da saúde da minha filha (e o direito a me dar bronca, levo cada uma que nem te conto...) para um médico que foi meu tutor na residência. O bom é que segue a mesma linha que eu, então não dá conflito.

Até o aniversário de 1 ano, a Denise foi mensalmente no pediatra, para pesar, medir, avaliar o DNPM e os hábitos com o qual crescia. Agora ela irá menos vezes, porque já passou o período mais crítico da vida dela, mas ainda assim eu a levo mais vezes do que o recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, porque sou um pouco... hm... neurótica. :)

Nos primeiros seis meses de vida, é recomendado o acompanhamento mensal da criança, pois é uma fase muito delicada, na qual podem acontecer eventos que a criança levará para o resto de sua vida. É quando devemos ter muito cuidado com a nutrição e o DNPM, pois se detectado algo diferente do usual, o pediatra poderá intervir rapidamente e contribuir para o desenvolvimento normal com medicações e reabilitação, se necessário.

De seis a 11 meses, a criança pode ir ao pediatra bimestral ou trimestralmente e, a partir de 1 ano, trimestralmente, pois ainda é uma fase que requer cuidados, mas não de maneira intensiva como nos primeiros seis meses de vida.

De 2 anos a 4 anos e 11 meses, recomenda-se a visita semestral ao pediatra, para os controles de peso, altura e DNPM.

A partir dos 5 anos, a criança ainda deve uma visita ao seu pediatra, mas uma vez por ano. São nessas consultas anuais que serão feitos os controles de peso, altura e DNPM e exames complementares que o pediatra julgar necessário, além da vermifugação (viva a medicação de dose única...).

Dependendo do histórico familiar, a partir do momento que a criança compreende comandos, pode ser feita a primeira visita ao oftalmologista, para o teste de acuidade visual. Se a criança for filhote de toupeira, como a Denise (mãe e pai míopes), a visita deverá ser adiantada a critério do médico. No caso, a Denise já foi avaliada pelo oftalmologista da família, porque a levei no dia da minha consulta e ele aproveitou a ida da nenê. Claro, quando ficar maior, voltará para a cadeira do oftalmo.

Sempre é bom levar a carteira de vacinação da criança nas consultas e, se for a primeira vez que for passar naquele médico, levar exames antigos ou relatórios médicos para facilitar a consulta.

Claro, essa recomendação só serve para crianças que não tenham NENHUMA doença que precise de tratamento. Nesses casos, o retorno é a critério do médico que a acompanha.

sábado, 11 de setembro de 2010

Mamãe, quanto bicho!

Hoje decidimos que bastava de fins de semana trancados em casa só impedindo a Denise de quebrar as coisas. Segui a dica de uma amiga que tem um filho de 3 anos e pegamos a estrada, para ir ao Zooparque de Itatiba-SP.

Para chegar lá, pegamos a rodovia D. Pedro I, sentido Jacareí, passamos o pedágio e entramos no quilômetro 95,5, andando mais um pedaço de estrada interna até chegar no Zooparque. A entrada é R$24,00 para adultos (meia entrada para estudantes, professores e maiores de 60 anos) e a Denise não pagou, por ser menor de 3 anos.

A trilha tem 3 km de extensão, com muito verde, muitos bichos, alguns que nem eu tinha visto ao vivo antes (adorei os rinocerontes), só que é bem acidentada, difícil de seguir de carrinho. Então a nenê foi no colo mesmo, revezando entre mamãe e papai. Só não sei ainda se fomos pra cansar a nenê ou pra nos cansar. :)

Na saída, tem fraldário, lanchonete e restaurante, com cadeirinha para crianças e uma comida bem gostosa, tipo alemã, mas com pouco tempero, então nem precisei abrir a papinha da Nestlé, ela comeu a do restaurante mesmo.

Ano que vem voltaremos!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O primeiro aninho

Arrrrrrrrrrrrgh

Não tenho foto da Denise com 1 aninho pra colocar aqui porque a bateria da minha câmera arriou e a nova só chega semana que vem... mas tem dúzias de fotos tiradas pela Vivi durante a festa, só que chega daqui a 15 dias. :D


A festa de aniversário dela foi no Buffet Maçã do Amor, no Taquaral, pertinho da praça Arautos da Paz. Fechei o cardápio da Festa 2, para 50 pessoas, mesmo sabendo que eu jamais conseguiria encher o salão, já que a festa seria no meio do fim de semana prolongado de setembro.

Dito e feito. O bom foi que os bebês fizeram a festa deles, andaram muito sem medo de crianças maiores e usaram os brinquedos que conseguiam. A comida estava uma delícia, bebidas sempre geladinhas, suco à vontade, bolo e docinhos deliciosos e monitores super-animados. Tão animados que a Denise não consegue só bater palminha quando ouve Parabéns à Você; agora ela também balança o corpinho.

E como fez 1 ano, chegou a hora de vacinar de novo... hoje a levei ao C.S. Barão Geraldo para tomar a SRC (tríplice viral) e a vacina contra meningococo C conjugada. Não levei no C.S. que trabalho porque é LONGE, muito longe da minha casa e achei que a viagem iria judiar da nenê e de mim, que tinha acabado de voltar de lá.

Agora, é gostoso olhar para trás e ver como as coisas mudaram, como ela cresceu e como os hábitos foram se formando... antes, para dormir, era um sofrimento só. Chorava, só dormia no colo... e agora ela janta, toma banho, mama (agora toma Ninho 1+), escova os dentinhos e dorme na caminha, sem precisar de colo. Lógico que ainda precisa de uma embalada e ainda dorme na cama compartilhada, mas já melhorou MUITO.

Aliás, dica pra quem está pensando em como colocar as benditas duas colheres de sopa de Ninho 1+ nos 200 ml de água sem deixar o leite aguado ou concentrado demais. A quantidade dessas tais "duas colheres de sopa" (que nas de casa deixou um leite ralinho, ralinho) é igual a seis medidas da lata de Aptamil. Comparamos o peso, deu certinho e o leite fica gostoso.

sábado, 4 de setembro de 2010

Particular X SUS

Agora que estão chegando novas vacinas no calendário vacinal do SUS-SP, surgem as dúvidas... será que posso vacinar meu filho no posto, sendo que já comecei o esquema na clínica?

Então vamos às diferenças entre as vacinas dadas no SUS e nas clínicas particulares:

Poliomielite

SUS: Sabin (a gotinha). Vírus vivo atenuado, não deve ser dada a crianças com doenças imunológicas que levem a baixa imunidade (imunodeficiências) ou a parentes de pessoas com imunodeficiências.

Clínicas: Salk. Vírus morto, injetável. Não causa a vacinação indireta que a Sabin proporciona, pois a criança não libera o vírus vacinal nas fezes.

Pode misturar? SIM. Quem toma Sabin pode tomar Salk e vice-versa.

Tríplice bacteriana

SUS: DPT (Difteria, coqueluche, Tétano), produzida por cultura de células.

Clínicas: DPTa (acelular), com o componente pertussis produzido de forma acelular, causa menor índice de reações vacinais.

Pode misturar? SIM, principalmente se a criança teve reação vacinal grave com a DPT do posto, pois recomenda-se o uso da DPTa nesses casos. Não recomendo fazer o caminho inverso, ou seja, DPTa e depois DPT, pois a DPT celular tem mais efeitos adversos.

Rotavírus

SUS: monovalente, protege contra uma cepa do vírus.

Clínicas: pentavalente, protege contra cinco cepas.

Pode misturar? NÃO, porque a pentavalente exige mais doses do que a monovalente.

Pneumococo

SUS: Pneumo 10-valente, protege contra os sete sorotipos da Pneumo 7-valente mais os sorotipos 1, 5 e 7F.

Clínicas: Pneumo 7-valente, conhecida como Prevenar.

Pode misturar? SIM, pois os sete sorotipos da Pn7 são os mais comuns no Brasil e eles estão presentes na Pn10 também. Os três faltantes não fazem diferença.

Meningococo

SUS: vacina conjugada contra meningococo C

Clínicas: vacina conjugada contra meningococo C

Pode misturar? SIM, é igual, assim como as vacinas contra hepatite B, tríplice viral (sarampo, caxumba, rubéola) e varicela. Lembrando que a vacina contra varicela NÃO está na rotina do SUS, só é aplicada gratuitamente em casos de bloqueio vacinal em surtos.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Chegou!

Enfim, depois de muita espera, a vacina conjugada contra meningococo C chega à rede pública!

No estado de São Paulo, a vacinação começa dia 06 de setembro, mas, em Campinas, a programação inicia-se esta sexta, 03 de setembro, contemplando as crianças de 1 ano a 2 anos incompletos numa primeira fase. Ela só entrará na rotina de vacinação de menores de 1 ano em 2011.

Portanto, mamães e papais, levem as carteiras de vacina dos seus filhos nas próximas consultas, mesmo que estejam "em dia". Nunca se sabe quando vai entrar uma vacina nova no calendário.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Perigo, perigo, perigo


Nossos bebês vão crescendo, ficando menos dependentes de nós, se locomovendo sozinhos... e é aí que mora o perigo. Nem sempre estamos preparados para receber as novas descobertas dos bebês, muito menos as nossas casas.

Denisinha, por exemplo, já está andando com apoio e engatinhando para todos os cantos da casa. Claro, as tomadas estão TODAS na altura dela, bem como as gavetas, os cantos de mesa, as pontas das toalhas... e se não tomar cuidado, ela se machuca e daí não adianta chorar junto com a bebê.

Com 1 mês, os cuidados são nos locais onde deixamos a criança deitada. Balela aquele papo que bebê pequeno não rola, já encontrei bebê de 2 dias embaixo da cama do hospital porque a mãe foi trocar em cima da cama e o bebê caiu em meio segundo que ela se virou para pegar a fralda na mala. Também temos que ter cuidado com a temperatura da água do banho (sempre testar com o termômetro de banho ou com o cotovelo), com a própria banheira (JAMAIS deixar o bebê sozinho) e com a temperatura da mamadeira, se não mamar no peito.

O bebê pequeno também deve, preferencialmente, dormir de barriga para cima, em lençol bem esticadinho, para não sufocar.

Com 4 meses, o bebê já tenta se locomover (tenta, conseguir são outros 500), então não dá mais para deixar deitado no trocador enquanto pega a fralda pra trocar, ele cai. Muitos já sentam com apoio, então também não dá para deixar sozinho sentado, porque pode cair de lado. Como já fica mais firminho, dá vontade de colocar no andador, mas aí aumentam as chances de trauma de crânio e pode alterar a marcha do bebê.

Com 5-6 meses, começa a folia, para alguns bebês... alguns tentam sentar sozinhos e podem até se arrastar, então é hora de abrir espaço na sala e esconder as pontas das mesas. Existem cantoneiras de silicone para proteção à venda em lojas especializadas, mas uma bolinha de Durepox bem coladinha também resolve.

Com 7 + meses, acabou o sossego. Podem colocar protetores de tomadas, redes nas janelas (bom, se a casa for alta ou for apartamento, já era para estarem teladas, hehehe), encostar nas paredes tudo o que puder ser mexido, travem as gavetas e portas em geral (armário, geladeira) e não se esqueçam de colocar todo e qualquer produto de limpeza em prateleiras ALTAS. Mantenham os produtos em suas embalagens originais e, se comprar daqueles ambulantes que vendem produto de limpeza colorido bonitinho em garrafa de refrigerante, deixe MUITO, MUITO LONGE do alcance das crianças. Criança pequena ADOOOOOOOOOORA aquele roxinho maldito (acho que é limpa fogão) e soda cáustica e o pediatra e o endoscopista pediátrico ODEEEEEEEEEEEIAM os resultados da ingestão desses produtos.

Quando a criança começa a correr sozinha, está na hora de ensinar que não pode correr com lápis, garfo, faca e afins na mão e a não brincar com coisas de adulto... mas isso fica para outra postagem. :)

E amanhã tem campanha de vacinação contra poliomielite. :)

Ah, sim, ainda NÃO CHEGOU a vacina contra meningococo C nos postos de saúde. Estava prometido para esta campanha, mas não chegou e não deram previsão, só sabem que chega este ano.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

A primeira virose

A Denise adorou a escolinha, as tias, os coleguinhas, voltava todo dia super empolgada, elétrica, estava até aprendendo a dormir no berço, mas...

... pegou a primeira virose. Ou melhor, a primeira virose a pegou. Desde domingo, a fofinha está com febre, tosse, nariz escorrendo, diarréia, ou seja... passou a semana em casa, para se recuperar.

E vai ser assim, até se acostumar. Uma semana na escolinha, outra em casa, uma na escolinha...

Enquanto isso, só dá Discovery Kids aqui em casa. Ela está apaixonada pelo Hi-5 e pelos Backyardigans, pára o que estiver fazendo quando ouve as músicas de abertura e corre (engatinha) na direção da TV.

O bom é que muitas vezes ela fica batendo palminha e não percebe que está de pé sozinha. Quando lembra, cai sentada, porque ainda tem medo.

domingo, 8 de agosto de 2010

O primeiro Dia dos Pais

A Denise não entendeu direito o que seria "Dia dos Pais", a única coisa que ela entendeu foi que teve os pés molhados em tinta guache para carimbar o presente feito na escolinha.

Mesmo assim, saímos para almoçar fora e a mocinha nos brindou com um comportamento exemplar: comeu meio potinho de papinha, chamou a atenção das outras mesas, cantou todos os garçons que passavam, brincou no jardim japonês e, na hora de ir embora, deu tchau pra todo mundo.

E quem ganhou presentão foi a nenê... como estou com dois carros em casa, preciso de uma cadeirinha para cada carro, porque ninguém merece ter que ficar trocando cadeirinha de carro antes de sair pro trabalho. Então comprei uma que serve de 9 a 36 kg, a Star da Infanti, que depois ainda vira booster, e já instalei no meu carro. Com isso, a antiga, que serve de 9 a 18 kg (a Remi Top), foi para o outro carro.

É vivendo e aprendendo... eu não deveria ter comprado uma pequena, devia ter comprado logo a grande, mas fiquei com medo que a Denise sumisse dentro da cadeira. :D

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O primeiro dia de "aula"

E hoje a Denise estreiou no berçário.

Cheguei cedo, para ficar junto enquanto ela explorava o local e se acostumava com as tias... e mal chegou, se jogou no colo de uma delas. Passeou por todo o berçário, brincou na piscina de bolinhas, engatinhou, ficou de pé na grade e, meia hora depois, foi para o colo de outras duas tias, assistir DVD. Quando falei "tchau, mamãe vai trabalhar", ela estendeu a mãozinha e nem chorou.

À tarde, papai foi buscar. Na agenda, os detalhes do dia: comeu, mamou, dormiu 1 hora e meia, comeu 1 banana e tomou banhinho. Voltou cheirosa e de roupinha trocada.... e quem disse que queria dormir à tarde??? Parecia ligada no 220, não parava de falar (o que será "cucá"?), comeu maçã, tomou água, depois jantou, mamou e capotou na cama.

Algo me diz que ela precisava de amiguinhos :)

domingo, 1 de agosto de 2010

É amanhã!

Por motivos que não vale a pena discorrer aqui, dona Denise teve sua ida à escola BEM adiantada...

Amanhã será o PRIMEIRO DIA de berçário pra minha filhota. Por conta desse adiantamento, este fim de semana foi um auê, correndo para comprar mais roupas (porque mandar filhote de indigente não dá, né?), os materiais de uso pessoal, mochilinha, fralda extra e sem contar o nervoso do papai e da mamãe.

Provavelmente ela vai ficar no berçário 1, dos bebês que não andam (mas acho que logo vai pro 2), com pessoas para cuidar e para brincar com ela. Já peguei o cardápio, a agendinha e paguei a primeira mensalidade.

Depois coloco fotinhos do primeiro dia. :)

E aqui, uma matéria legal para orientar a escolha da escolinha ou creche.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Tá chegando!

Em agosto, no dia da segunda fase da campanha contra poliomielite, chega também a tão esperada vacina contra o meningococo C conjugada ao SUS.

Já conhecida das mamães e papais que vacinam seus filhos nas clínicas particulares, a vacina contra o meningococo C deve ser aplicada em crianças a partir dos 2 meses, sendo 2 doses com intervalo de 2 meses entre elas e um reforço aos 12 meses.

Com isso, o calendário SUS se aproxima do calendário recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, faltando somente a contra varicela (podia ser a próxima, né?), influenza sazonal e hepatite A.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

DNPM, que bicho é esse?

Essa é a sigla que os médicos usam para Desenvolvimento Neuropsicomotor, ou seja, as aquisições que nossos nenéns fofinhos vão adquirindo conforme vão crescendo.

Cada fase da vida do bebê é representada por um marco no DNPM, que pode ocorrer em um período de até 3 meses, o que quer dizer que tem bebê que senta com 5 meses e meio, outros podem sentar só com 7 meses e serem perfeitamente normais. Portanto, não precisa se desesperar se o filho da sua vizinha fala "papai" com 7 meses e o seu, da mesma idade, mal consegue falar "pa".

Claro que tem horas em que a gente morre de inveja do filho do amigo que já faz mais coisas que o nosso, né? É para isso que servem as consultas no pediatra, que é quem vai dizer se o bebê está com o desenvolvimento adequado para a idade.

Leiam mais aqui: Babycenter Brasil

A lembrancinha

Então, depois de muito procurar, acho (e é sempre acho) que encontrei a lembrancinha que queria!

Mandei fazer squeezes pequenos com etiqueta personalizada com o tema da festa (Pucca), com uma empresa que encontrei no Mercado Livre. Ia mandar a foto da Denise feita em estúdio, PORÉM...

... quem foi que disse que a madame sorriu na sessão de fotos?

Abriu foi um berreiro dos brabos! Resultado: sessão adiada e mamãe caçando outra foto para colocar na etiqueta...

sábado, 26 de junho de 2010

E o aniversário?

Além da saga da escolinha, também começa a saga do aniversário de 1 ano.

Na verdade, essa saga já começou há 3 meses, quando descobri que precisaria reservar a data no buffet infantil com pelo menos 6 meses de antecedência, ou não teria mais horário disponível (e isso porque eu planejava fazer uma festa mais íntima, em casa, mas isso fica para uma outra vez...).

Procurei na internet e no Orkut dicas sobre buffets em Campinas e saí atrás de orçamentos, afinal, a lista já era grande e iria aumentar cada vez mais, como já ditava a minha experiência com a lista do meu casamento. Resolvi não pegar um buffet badalado, pois não teria a data e o preço seria meio... aham... alto para as minhas contas e reservas.

Fechei com o Buffet Maçã do Amor, no Taquaral, que tem um bom espaço e o melhor custo-benefício que encontrei. O difícil agora, faltando 2 meses para a festa, está sendo encontrar a lembrancinha ideal sem pitacos familiares...

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Escolinha???

Não estava nos meus planos ter que pensar em escolinha antes da Denise fazer 3 anos, mas agora caí de pára-quedas no mundo das escolas infantis porque ela terá que ficar pelo menos meio período a partir de 2011.

Achei que estava sendo precipitada, mas descobri que as três escolas que escolhi já estão reservando vagas para o ano que vem.

Então, a partir de agora o Mamãe Pediatra entra no ritmo da escolha de uma boa escola...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Como é ser mãe e ser da área da saúde

Experiência de mãe da área da saúde:

- nenê com 37,5ºC -> paracetamol
- uma hora depois: nariz escorrendo -> Salsep
- duas horas depois: ronc ronc ronc ronc -> inalação com soro fisiológico
- três horas depois: compressa de água fria
- segundo dia de febre: pai desesperado
- terceiro dia de febre: mãe com febre também
- quarto dia: nenê ótima. Mãe com febre
- dez dias depois: mãe com sinusite. Nenê feliz da vida.

- Nenê cai da cama -> mãe pega no colo
- Chora desesperadamente (a criança, mãe tá quase lá) -> mãe vê roxinho na bochecha
- Mãe quase chorando -> liga pra madrinha
- Madrinha tenta acalmar a mãe -> mãe dá mamadeira e pôe nenê pra dormir
- Nenê dormindo -> mãe não
- Dia seguinte: nenê linda, dando risada. Mãe com sono. :D

Ou seja... não sou diferente de outras mães por aí, não. Mãe é mãe. 

sábado, 5 de junho de 2010

Atenção mamães e papais!

Sábado, dia 12 de junho, é o dia da primeira etapa da vacinação 2010 contra a poliomielite! Levem seus filhotes até 5 anos para os postos de vacinação para ficarem protegidos contra a paralisia infantil.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Junho está chegando

Já faz tempo que elas existem, mas só agora, a partir de 9 de junho de 2010, elas irão se tornar obrigatórias por lei, com pontuação na carteira e multa para quem desrespeitar.

Estamos falando de quem?

Das cadeirinhas de carro. Velhas conhecidas das mamães e dos papais, mas que não eram usadas por uma parcela da população e que, até a alguns anos atrás, não possuíam normatização; desde 2008, é obrigatório o selo do Inmetro nas cadeirinhas.

Mas qual tipo de cadeira é a mais adequada para qual idade?


De 0 a 9kg (1 ano de idade): cadeira tipo conchinha (o popular bebê-conforto). Necessário até o bebê ter controle total de pescoço, o ideal é mantê-lo na conchinha o máximo que der.


De 9 a 13kg (de 1 a 4 anos): cadeira de retenção - a que vai virada de frente.


De 4 a 7 anos: booster/assento de elevação ou


cadeira de retenção. A resolução do Contran fala sobre o booster (inclusive na propaganda), mas nesta idade pode ser usado o booster ou a cadeira, depende do limite de peso da cadeira.

De 7 a 10 anos: cinto de segurança de 3 pontos, no banco de trás. Ou seja... banco da frente só pra quem tem mais de 10 anos.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Viajando com o bebê

Com seus 8 meses de vida, dona Denise já viajou bastante, já foi pra casa da vovó em Curitiba, já foi passear em Olímpia... então reunimos uma série de dicas que consideramos importantes para quando viajamos.

De avião

- Escolha uma boa companhia aérea. Claro, veja os preços das passagens, mas veja também se a companhia cobra pelo bebê de colo (algumas cobram 10%  do valor da passagem) e se não compensa trocar a passagem da classe econômica pela executiva, por causa do espaço entre as poltronas e pela comodidade de não ter uma terceira pessoa junto da mamãe e do papai. Se a viagem for longa, compensa pedir o berço alguns dias antes do vôo (não são todos os aviões que comportam um berço).

- Chegue cedo no check-in. Mães com bebês frequentemente são colocadas nas primeiras fileiras por causa do espaço entre as poltronas (se derem sorte e o vôo não estiver lotado, há atendentes que colocam as mães com bebês em poltronas vagas da classe executiva como cortesia).

- Você pode optar por despachar o carrinho de bebê no check-in ou na porta da aeronave. Somente a TAM tem carrinho de bebê como cortesia.

- Bebê de colo não tem franquia de bagagem! Exceto por alguns tipos de passagem (mais caras), os bebês só têm direito a bagagem de mão... mas nada que não possa ser resolvido por fazer uma grande mala pra mamãe e pro papai (e despachar na franquia do papai) e despachar a mala do bebê na franquia da mamãe.

- Leve várias fraldas extras... bebês adoram encher a fralda dentro do avião.

- Faça o bebê sugar na decolagem para evitar dor de ouvido.

- Se for bebê grande, lembre-se dos brinquedos... você vai precisar deles para distrair a ferinha.


De carro

- Abuse do espaço do porta-malas e leve tudo o que achar necessário na viagem. Aqui você não paga por peso. :)

- Leve sempre uma pessoa no banco de trás junto com o bebê. Se for só mamãe e papai, alguém vai de chofer dirigindo.

- Deixe ao alcance das mãos (não dentro do porta-malas): mamadeira, leite em pó, água mineral, frutas, bolachinhas, papinha, colher, fralda de pano e brinquedos.

- Faça várias paradas, de acordo com o tempo de viagem.

- Leve os CDs de música favorita do bebê.

E divirta-se! Viajar com bebê cansa, mas é muito legal!

domingo, 2 de maio de 2010

Lugar de criança é no chão!

Essa é uma frase que eu vivo dizendo no consultório e por causa dela, já fui alvo de muitas críticas maternas... muitas mães acham que é um absurdo, que o bebê vai gripar, que vai ficar sujo ou que vai se machucar.

Porém, criança que fica só no colo ou só no carrinho não tem espaço pra se desenvolver. Mesmo aqui em casa era uma luta, porque eu colocava no chão, a babá colocava no sofá ou no carrinho, junto com a minha mãe. Daí cansei, como toda noite ficamos eu, meu marido e a nenê sozinhos em casa, comecei a jogar um edredom no chão e a deixá-la rolando feliz ali.

O resultado: em 7 dias ela sentou sozinha e depois de mais 10 dias, engatinhou. Agora tá um terror, já puxa os fios do DVD player, desarruma a prateleira, sai atrás do gato, se joga do sofá... enfim, tudo o que é esperado para um bebê de 8 meses.

E hoje, pra minha alegria, ela falou "máma". :)

domingo, 25 de abril de 2010

Mamãe trabalha fora, e agora?


Quando voltamos a trabalhar, acabamos pensando só na amamentação e esquecemos de planejar o que acontecerá na hora de dar papinha pro bebê.

Se ele já estiver na creche, fica mais tranquilo, pois lá a gente sabe que tem quem prepare a comidinha e dê ao filhote. Porém, se estiver em casa, como saber que o bebê está comendo a coisa certa?

E aí vem uma das grandes invenções do ser humano: o FREEZER.

No fim de semana, deixo a Fofa com o pai e me tranco na cozinha. Preparo um panelaço de legumes cozidos, cozinho carne na panela de pressão, amasso os legumes, deixo as papinhas prontas, misturadas e etiquetadas dentro de potinhos próprios para isso e coloco tudo no freezer. Cada potinho que preparo é suficiente para duas refeições, que pode ser descongelado na panela ou no micro-ondas.

Outra coisa que faço também é fazer purê dos legumes e congelar em forminhas de gelo. Isso funciona bem com batata, mandioquinha, abobrinha (brasileira, não a italiana) e chuchu. Na hora das refeições, é só descongelar, aquecer e misturar.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Frioooooooooooo

Denise está passando pela segunda frente fria e pelo primeiro outono de sua vida. Como tem uma mãe suuuuuuuper prevenida, claro que as roupas de manga comprida iriam acabar, bem como as calças.

Ainda bem que a Feira da Gestante, Bebê e Criança começou hoje e vai até o dia 11 de abril, no Shopping Iguatemi Campinas. Quinta estarei lá pra fazer as comprinhas básicas e renovar o guarda-roupa da fofucha.

E ela começou a sentar! Ainda faz BOF com a testa no chão (forrado), mas já fica com as costas durinhas pra sentar sem apoio :)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Terceira etapa

E agora quem ganha a agulhada contra o H1N1 são os adultos jovens, de 20 a 29 anos. Ou seja, aqui em casa quem entra na roda é o papai e a babá (mamãe tomou na primeira etapa)!

Como essa etapa vai até o dia 23 de abril, penso seriamente em deixar pra levar todo mundo dia 22. Daí levo de uma vez só, já que a nenê vai tomar a segunda dose em 22 de abril.

E o Ministério da Saúde PRORROGOU a etapa das gestantes, crianças e doentes crônicos. Os postos estão preparados para receber essas pessoas até o dia 23, então agora estamos na segunda + terceira etapa de vacinação.

Não deixem para muito tarde, o frio está chegando...

domingo, 28 de março de 2010

O primeiro resfriado

Trabalhar em centro de saúde tem seus problemas... peguei um resfriado e trouxe pra casa. Resultado: nenê resfriado também.

A vantagem é que eu sei que está acontecendo, mas é angustiante ver a Denise tossindo, espirrando e pior: sem comer. Nem a pêra portuguesa que ela adora desceu, ficou parada na boca enquanto ela chorava.

A única coisa que consola é que dura pouco. Enquanto isso, dá-lhe sorinho no nariz e paracetamol à noite...

segunda-feira, 22 de março de 2010

E começa a segunda etapa

Hoje foi o início da segunda etapa de vacinação contra a gripe A (H1N1), para as gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos incompletos e doentes crônicos.

No posto onde trabalho foi um vuco-vuco animal, nem dava pra andar de tanta criança e gestante no corredor. Foi por ordem de chegada, tinha gente tentando furar fila, enfim, um horror. A minha sorte é que a Denise tomou a vacina no CS Barão Geraldo, onde tem senha e não tem vuco-vuco na porta, graças a Deus.

Ela tomou a vacina da GSK (GlaxoSmithKline), com adjuvante, e até agora nada aconteceu. Está dormindo feito um anjo e o máximo que medi foi 37ºC. Nem dor na perninha ela sentiu, mas ainda temos 60 horas para esperar uma possível reação...

As crianças da idade da Denise que não tomaram a Prevenar (Pneumo 7-valente, paga), também tomaram a Pneumo 10-valente, que fará parte do calendário básico de vacinação do Ministério da Saúde a partir deste ano. Outra vacina que entrará no calendário é a Meningo C (oba, agora só falta a varicela e a hepatite A e a minha torcida é pela varicela!), a partir de agosto.

E quem já tomou alguma dose da Prevenar e precisa completar o esquema, poderá fazê-lo com a Pneumo 10-valente. As reações são as mesmas e a eficácia, também.

terça-feira, 16 de março de 2010

Mais um dente

Agora minha fofinha não é totalmente banguela, já tem dois dentinhos, os incisivos centrais inferiores. Por conta disso, estamos insistindo mais na escovação das pontinhas de dente dela e preciso me preocupar mais em tirar as mamadeiras da noite... lá vou eu diminuir o volume de novo.

terça-feira, 9 de março de 2010

A campanha começou




A campanha de vacinação contra a gripe A (H1N1) já começou nos centros de saúde.

Nesta primeira etapa, serão vacinados apenas os profissionais de saúde que trabalham na linha de frente contra a pandemia e os serviços só receberam a quantidade necessária pra vacinar seus funcionários, então não adianta ir agora, é necessário esperar cada etapa de vacinação.

As crianças menores de 2 anos também serão vacinadas e receberão 2 doses com intervalo de 30 dias.

Para receber a vacina, procure o centro de saúde mais próximo da sua residência, com a carteira de vacinação. É importante levar, principalmente a carteira das crianças, pois é uma oportunidade para checar se está tudo em dia.

Eu tomei a minha hoje, não doeu mais do que a vacina contra a gripe sazonal, meu braço não ficou doendo e nada aconteceu. Dia 22 é o dia da Denise tomar a vacina dela.

domingo, 7 de março de 2010

O primeiro dente

Hoje descobrimos a pontinha do primeiro dente da Denise: o incisivo central inferior esquerdo.

Bom, isso significa que hoje ela só dormiu depois de 8 gotas de Tylenol, mamou só 50 ml de leite e agora tá gemendo no sono. Ê noite boa que me aguarda...

quarta-feira, 3 de março de 2010

O bebê e o H1N1


Este mês começa a campanha de vacinação contra a gripe A (H1N1) e muitas amigas mães e gestantes estão me perguntando se vou vacinar a D., já que ela está na faixa etária contemplada pelo Ministério da Saúde.

O grande problema é a falta de informação. Ontem teve uma reunião no Centro de Saúde onde trabalho, pra explicar sobre a vacina, mas... foi fora do meu horário de trabalho. Ou seja, amanhã irei conversar com a coordenadora para saber o que perdi.

Minha intenção é tomar a vacina e ver o que acontece, pois faço parte da primeira leva de vacinação. Quero vacinar a D. pois acho que o risco-benefício compensa, já que sei o que a gripe A pode fazer e já estava disposta a vaciná-la contra a gripe comum (influenza).

E hoje ela tomou as vacinas dos 6 meses:

- Hexavalente: Tetra acelular + Salk + hepatite B
- Prevenar

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Caranguejeira


Agora, com 5 meses quase 6, a mocinha está se locomovendo bem mais... só que pra trás. Ergue os bracinhos, dobra os joelhinhos e vai feliz pra trás.

E "fala" que é uma beleza... achou os pés... tá uma delícia. Adoro ver o desenvolvimento da minha filhote.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Voltando ao trabalho

Hoje foi o primeiro dia de volta ao trabalho... agenda vazia... crianças legais... tudo de bom. A ordenha foi um fracasso, mas Denise chegou com um BOCÃO quando abri a porta de casa, então tudo bem.

A noite, bem... meu Deus do Céu, o que foi aquilo. Quis mamar a cada hora e só dormiu abraçada no meu peito. 5:20, o alarme tocou e ela não acordou, levantei, tomei banho e fui tomar café. Foi quando ouvi o BUNHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE vindo do quarto e corri pra pegar a mocinha, que pelo horário, estava com fominha.

Mamou feliz, deu um sorrisão, foi pro colo da babá e nanou. :)

Quando voltei, minha mãe disse que ela foi um anjo, não resmungou, ficou assistindo o DVD da Galinha Pintadinha no carrinho e mamou super bem. Ou seja, quem fica estressada na volta ao trabalho é a mãe, não a criança, graças a Deus.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O primeiro suco


Como semana que vem volto a trabalhar, hoje comecei a dar suquinho de laranja-lima. Novamente, a teoria manda dar com colher nos primeiros dias...

... e foi aqueeeeeeeeela babeira. A cara dela de "não gostei, mamãe, me dá o meu leite" foi ótima, era colocar o suco na boca dela pra ela babar tudo na roupa. Só tomou direito depois que colocamos na chuca.

Não quero nem ver quando começarmos as frutas raspadas.

sábado, 16 de janeiro de 2010

4 meses (e meio)

Nem parece que já se passaram 4 meses desde a minha última noite de sono completa (na verdade, acordando duas vezes pra ir ao banheiro) e que agora digito carregando a minha nenê adormecida nos braços.

Denise com horas de vida

Antes, só chorava, mamava e sujava fralda. Hoje, além disso, ri, resmunga, puxa o meu cabelo, agarra o meu decote, rola e dá PT no carrinho do mercado.

Sabe lá o motivo, ela só faz o número 2 SENTADA, então coitado do bebê-conforto e do colo da mamãe, porque além de tudo, é mole como nos primeiros dias e não há fralda que dê conta do auê.

 
Denise com 4 meses

E agora tenho que voltar a trabalhar... por causa disso, semana que vem começo os suquinhos. Eu queria amamentar até os 6 meses, mas meu leite está quase secando e não consegui a licença maternidade de 6 meses. Então, dá-lhe Aptamil.


quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Luto



Foi graças ao trabalho dessa mulher que o Brasil teve grandes vitórias contra a desnutrição infantil e a doença diarréica com sua consequência mais grave, a desidratação. É graças a essa mulher que nós, pediatras de centros de saúde, podemos ver nossas crianças florescendo mesmo em condições sociais mais precárias.

A Dra. Zilda Arns deixou este mundo dentro de uma igreja, no Haiti, que não resistiu ao terremoto do dia 12/01/2010, fazendo o que fazia de melhor: espalhando conhecimento e esperança em locais pobres, mas cheios de vontade de mudar.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Cinematerna... ou não

Hoje eu estava doida pra ir ao cinema na sessão do Cinematerna, mas como meu cachorro faleceu ontem e o filme seria Sempre ao Seu Lado (refilmagem da história do Hachiko), resolvi só levar a Denise pra passear no shopping.

Ainda bem.

A criancinha se recusou a ficar no carrinho, só queria colo, nem me deixou escolher uma agenda em paz. No fraldário ainda fez coro com outras duas meninas, berrando e fazendo bico enquanto eu tentava tirar a mancha amarela das costas dela sem sujar a roupa e nem arranhar a pele dela.

Felizmente, minha mãe foi junto e ajudou a controlar a mocinha... e ainda ganhei um livro, Coisas que ninguém conta sobre a chegada do bebê, mas isso fica pra outra vez....

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Mico do Ano Novo

Denisinha agora está que chora na hora de dormir... só que essa hora andou coincidindo com a hora da janta várias vezes. Numa delas, a babá a levou para a garagem, para que eu pudesse jantar sem ouvir tanto choro.

Minutos depois, ela entrou rapidinho em casa, pois os vizinhos estavam indo para a rua para ver o que estava acontecendo, já que o nenê não parava de chorar desesperadamente.

Qualquer dia desses vem Conselho Tutelar na minha casa, do jeito que essa menina chora.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

2010 com surpresa

Cada dia com criança pequena é uma surpresa... Denise agora passou para o bico 2 da Avent, mas também está mamando mais Aptamil. Mama as duas mamas e ainda detona mais 100ml na mamadeira, sem contar as vezes que acorda na madrugada pra mamar (porque de madrugada é só peito).

E hoje ela aprendeu a rolar 360. Quase matou o pai de susto, porque estava em cima da cama, bem no meio, e foi parar no cantinho... ou seja, nada mais de deixá-la sozinha em locais altos, nem no sofá. Já ganhou até um colchonete pra brincar no chão.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...