terça-feira, 21 de setembro de 2010

Virose? Como assim? De novo?

Sim, sim, Denise acaba de passar por mais uma virose no seu primeiro ano de escolinha... e está em casa de novo.

A parte braba de tudo isso é que eu pensei que tinha trazido uma virose do posto (e estava me mortificando por isso), mas, na verdade, foi ela quem trouxe o vírus, porque só isso justifica o pai e a mãe com vômitos e diarréia quatro dias depois da nenê.

E aí é aquela coisa: não come, não mama direito, só quer dormir, vem o febrão e bate o desespero. Nessas horas, só há uma coisa a fazer: ter MUITA paciência.

Infelizmente, não existe remédio que pare uma diarréia. Isso, só o tempo consegue, em média, cinco dias depois do inicio do quadro. Enquanto isso, é soro de reidratação oral a cada evacuação líquida e, se vomitar, depois de cada vômito. Claro, se a criança vomitar mais de 3 vezes em uma hora ou não fizer mais xixi, é hora de levá-la ao pronto-socorro para uma avaliação médica e, se necessário medicação na veia ou no bumbum.

Vai emagrecer? Ô. Vai ficar chatinha? Nem me fale... mas se for a dita "virose", em cinco dias a criança estará bem e tocando o terror na casa. Difícil é cuidar da nenê sentindo o corpo todo dolorido e visitando o banheiro a cada meia hora.

OBS: criança grande não toma o soro de reidratação oral sem sabor. Nem por decreto. Então, escolham algo gostoso e, se mesmo assim não tomar, sempre existe a seringa para dar o soro na boca.

Marcas mais conhecidas de soro:

  • Pedialyte (existe o 45 e o 90. O 90 é BEM salgado, nem todo mundo toma): sabores maçã, cereja, coco, guaraná, tutti-frutti e natural (o famigerado sem gosto da minha infância).
  • Floralyte: laranja, guaraná, tutti-frutti e abacaxi
  • Rehidrat (esse tem que diluir em água): maçã, laranja, groselha e natural (argh)
  • Hidrafix (também tem que diluir): laranja, limão, uva e framboesa

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Por que levar no pediatra?

Muita gente acha engraçado quando digo que a Denise vai ao pediatra, sendo que eu sou pediatra. Mas acho que eu tenho o direito de ser só mãe, então delego a responsabilidade de cuidar da saúde da minha filha (e o direito a me dar bronca, levo cada uma que nem te conto...) para um médico que foi meu tutor na residência. O bom é que segue a mesma linha que eu, então não dá conflito.

Até o aniversário de 1 ano, a Denise foi mensalmente no pediatra, para pesar, medir, avaliar o DNPM e os hábitos com o qual crescia. Agora ela irá menos vezes, porque já passou o período mais crítico da vida dela, mas ainda assim eu a levo mais vezes do que o recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, porque sou um pouco... hm... neurótica. :)

Nos primeiros seis meses de vida, é recomendado o acompanhamento mensal da criança, pois é uma fase muito delicada, na qual podem acontecer eventos que a criança levará para o resto de sua vida. É quando devemos ter muito cuidado com a nutrição e o DNPM, pois se detectado algo diferente do usual, o pediatra poderá intervir rapidamente e contribuir para o desenvolvimento normal com medicações e reabilitação, se necessário.

De seis a 11 meses, a criança pode ir ao pediatra bimestral ou trimestralmente e, a partir de 1 ano, trimestralmente, pois ainda é uma fase que requer cuidados, mas não de maneira intensiva como nos primeiros seis meses de vida.

De 2 anos a 4 anos e 11 meses, recomenda-se a visita semestral ao pediatra, para os controles de peso, altura e DNPM.

A partir dos 5 anos, a criança ainda deve uma visita ao seu pediatra, mas uma vez por ano. São nessas consultas anuais que serão feitos os controles de peso, altura e DNPM e exames complementares que o pediatra julgar necessário, além da vermifugação (viva a medicação de dose única...).

Dependendo do histórico familiar, a partir do momento que a criança compreende comandos, pode ser feita a primeira visita ao oftalmologista, para o teste de acuidade visual. Se a criança for filhote de toupeira, como a Denise (mãe e pai míopes), a visita deverá ser adiantada a critério do médico. No caso, a Denise já foi avaliada pelo oftalmologista da família, porque a levei no dia da minha consulta e ele aproveitou a ida da nenê. Claro, quando ficar maior, voltará para a cadeira do oftalmo.

Sempre é bom levar a carteira de vacinação da criança nas consultas e, se for a primeira vez que for passar naquele médico, levar exames antigos ou relatórios médicos para facilitar a consulta.

Claro, essa recomendação só serve para crianças que não tenham NENHUMA doença que precise de tratamento. Nesses casos, o retorno é a critério do médico que a acompanha.

sábado, 11 de setembro de 2010

Mamãe, quanto bicho!

Hoje decidimos que bastava de fins de semana trancados em casa só impedindo a Denise de quebrar as coisas. Segui a dica de uma amiga que tem um filho de 3 anos e pegamos a estrada, para ir ao Zooparque de Itatiba-SP.

Para chegar lá, pegamos a rodovia D. Pedro I, sentido Jacareí, passamos o pedágio e entramos no quilômetro 95,5, andando mais um pedaço de estrada interna até chegar no Zooparque. A entrada é R$24,00 para adultos (meia entrada para estudantes, professores e maiores de 60 anos) e a Denise não pagou, por ser menor de 3 anos.

A trilha tem 3 km de extensão, com muito verde, muitos bichos, alguns que nem eu tinha visto ao vivo antes (adorei os rinocerontes), só que é bem acidentada, difícil de seguir de carrinho. Então a nenê foi no colo mesmo, revezando entre mamãe e papai. Só não sei ainda se fomos pra cansar a nenê ou pra nos cansar. :)

Na saída, tem fraldário, lanchonete e restaurante, com cadeirinha para crianças e uma comida bem gostosa, tipo alemã, mas com pouco tempero, então nem precisei abrir a papinha da Nestlé, ela comeu a do restaurante mesmo.

Ano que vem voltaremos!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O primeiro aninho

Arrrrrrrrrrrrgh

Não tenho foto da Denise com 1 aninho pra colocar aqui porque a bateria da minha câmera arriou e a nova só chega semana que vem... mas tem dúzias de fotos tiradas pela Vivi durante a festa, só que chega daqui a 15 dias. :D


A festa de aniversário dela foi no Buffet Maçã do Amor, no Taquaral, pertinho da praça Arautos da Paz. Fechei o cardápio da Festa 2, para 50 pessoas, mesmo sabendo que eu jamais conseguiria encher o salão, já que a festa seria no meio do fim de semana prolongado de setembro.

Dito e feito. O bom foi que os bebês fizeram a festa deles, andaram muito sem medo de crianças maiores e usaram os brinquedos que conseguiam. A comida estava uma delícia, bebidas sempre geladinhas, suco à vontade, bolo e docinhos deliciosos e monitores super-animados. Tão animados que a Denise não consegue só bater palminha quando ouve Parabéns à Você; agora ela também balança o corpinho.

E como fez 1 ano, chegou a hora de vacinar de novo... hoje a levei ao C.S. Barão Geraldo para tomar a SRC (tríplice viral) e a vacina contra meningococo C conjugada. Não levei no C.S. que trabalho porque é LONGE, muito longe da minha casa e achei que a viagem iria judiar da nenê e de mim, que tinha acabado de voltar de lá.

Agora, é gostoso olhar para trás e ver como as coisas mudaram, como ela cresceu e como os hábitos foram se formando... antes, para dormir, era um sofrimento só. Chorava, só dormia no colo... e agora ela janta, toma banho, mama (agora toma Ninho 1+), escova os dentinhos e dorme na caminha, sem precisar de colo. Lógico que ainda precisa de uma embalada e ainda dorme na cama compartilhada, mas já melhorou MUITO.

Aliás, dica pra quem está pensando em como colocar as benditas duas colheres de sopa de Ninho 1+ nos 200 ml de água sem deixar o leite aguado ou concentrado demais. A quantidade dessas tais "duas colheres de sopa" (que nas de casa deixou um leite ralinho, ralinho) é igual a seis medidas da lata de Aptamil. Comparamos o peso, deu certinho e o leite fica gostoso.

sábado, 4 de setembro de 2010

Particular X SUS

Agora que estão chegando novas vacinas no calendário vacinal do SUS-SP, surgem as dúvidas... será que posso vacinar meu filho no posto, sendo que já comecei o esquema na clínica?

Então vamos às diferenças entre as vacinas dadas no SUS e nas clínicas particulares:

Poliomielite

SUS: Sabin (a gotinha). Vírus vivo atenuado, não deve ser dada a crianças com doenças imunológicas que levem a baixa imunidade (imunodeficiências) ou a parentes de pessoas com imunodeficiências.

Clínicas: Salk. Vírus morto, injetável. Não causa a vacinação indireta que a Sabin proporciona, pois a criança não libera o vírus vacinal nas fezes.

Pode misturar? SIM. Quem toma Sabin pode tomar Salk e vice-versa.

Tríplice bacteriana

SUS: DPT (Difteria, coqueluche, Tétano), produzida por cultura de células.

Clínicas: DPTa (acelular), com o componente pertussis produzido de forma acelular, causa menor índice de reações vacinais.

Pode misturar? SIM, principalmente se a criança teve reação vacinal grave com a DPT do posto, pois recomenda-se o uso da DPTa nesses casos. Não recomendo fazer o caminho inverso, ou seja, DPTa e depois DPT, pois a DPT celular tem mais efeitos adversos.

Rotavírus

SUS: monovalente, protege contra uma cepa do vírus.

Clínicas: pentavalente, protege contra cinco cepas.

Pode misturar? NÃO, porque a pentavalente exige mais doses do que a monovalente.

Pneumococo

SUS: Pneumo 10-valente, protege contra os sete sorotipos da Pneumo 7-valente mais os sorotipos 1, 5 e 7F.

Clínicas: Pneumo 7-valente, conhecida como Prevenar.

Pode misturar? SIM, pois os sete sorotipos da Pn7 são os mais comuns no Brasil e eles estão presentes na Pn10 também. Os três faltantes não fazem diferença.

Meningococo

SUS: vacina conjugada contra meningococo C

Clínicas: vacina conjugada contra meningococo C

Pode misturar? SIM, é igual, assim como as vacinas contra hepatite B, tríplice viral (sarampo, caxumba, rubéola) e varicela. Lembrando que a vacina contra varicela NÃO está na rotina do SUS, só é aplicada gratuitamente em casos de bloqueio vacinal em surtos.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Chegou!

Enfim, depois de muita espera, a vacina conjugada contra meningococo C chega à rede pública!

No estado de São Paulo, a vacinação começa dia 06 de setembro, mas, em Campinas, a programação inicia-se esta sexta, 03 de setembro, contemplando as crianças de 1 ano a 2 anos incompletos numa primeira fase. Ela só entrará na rotina de vacinação de menores de 1 ano em 2011.

Portanto, mamães e papais, levem as carteiras de vacina dos seus filhos nas próximas consultas, mesmo que estejam "em dia". Nunca se sabe quando vai entrar uma vacina nova no calendário.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...