domingo, 30 de dezembro de 2012

Sobre frutas e outros alimentos que (não) gosto

Caqui doce. Pelo menos acertei o tipo.

Sempre tive o hábito de levar a minha filha ao mercado, desde que era bem pequena (ou menor do que é hoje, hehehe). Por isso, sabe o nome de quase todas as frutas e verduras e, quando tem vontade de experimentar, compro nem que seja uma unidade, para que ela coma e diga se gostou ou não.

O problema é quando se trata de uma fruta da qual EU não gosto. Mas, como a Ju, mando pro espaço o fato de eu não gostar da fruta. E se a fofa aqui gostar, que mal há?

A fruta da vez foi o CAQUI. Minha mãe adora. Aliás, venera a fruta. Só que eu não posso nem sentir o cheiro, ou seja, não sei como se escolhe um caqui bom pra comer. Comprei um, guardei na geladeira e hoje ela quis comer o raio do caqui. 

Eu: Amooooooooor, como que eu sei que o caqui tá bom pra comer?

Marido: Aperta e vê se está um pouco mole.

Eu: Tá, e agora?

Marido: Agora corta em quatro, descasca e dá pra ela.

Eu: Vixe, vem cá, acho que comprei um podre...

Bom, estava meio podre mesmo, mas deu pra salvar a pontinha de baixo da fruta. Comeu e adorou.

Agora preciso de aulas urgentes de como escolher um bom caqui. Manhêeeeeeeeeeeeeeeeee!!!

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Reality o quê???

Vou ser sincera: não vi. Neste fim de ano, tem tanta criança pra atender que não consigo dar uma espiadinha nas TVs das UBS para ver o que está acontecendo no programa da Ana Maria Braga. Porém, a repercussão disso está tão forte e tão ruim na blogosfera e no Facebook, que eu tinha que procurar o que raios era esse "Game de Bebês" que 101% dos blogs que sigo estão abominando.

Se for do jeito que foi descrito aqui, isso não é ruim. É PÉSSIMO. Mais uma grande bola-fora da Globo. Que foto mais ridícula foi aquela da mãe correndo empurrando seu bebê no carrinho, naquele p*ta sol??? E essa conversa do desmame precoce?! Como assim, estabelecer uma data para tirar o bebê do peito e não voltar atrás (claro que existem situações que exigem essa prática, como a da criança que não come, só mama leite materno, desnutrida, com SEIS ANOS, mas não é o caso do programa)?

Afe, o mundo está ficando cada vez mais doido...

domingo, 18 de novembro de 2012

Tá chegando!

ENFIM, longos 3 anos depois, estamos prontos para nos mudar para a casa nova, definitiva, sem mofo, sem poeira, sem cantos afiados onde meu filhote possa se machucar, sem carros doidos correndo ensandecidos pela rua, ou seja, feita do jeitinho que a Rossi eu queria para criar a minha família.

Todos os móveis foram feitos com bordas arredondadas, as telas já estão colocadas para evitar miaus e criança tomando sol no telhado, teremos despensa com porta e armários para guardar os produtos de limpeza à salvo das mãozinhas curiosas de uma criança de 3 anos. Não teremos piscina no quintal e a piscina do condomínio é LONGE o suficiente para inibir uma eventual fuga.

Em breve, fotinhos da minha casa feliz :D

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Mimos

Chegou hoje pelo correio
Cheguei em casa hoje e um pacotinho muito bonito da baby.com.br me esperava na sala. Pelo o que percebi, foi enviado para mamães blogueiras, porque a Renata, do Mulher Vitrola (que participou da primeira leva de mamães blogueiras do Tutti Mami), acabou de postar no Facebook que também ganhou uma bolsa dessas.

Para mim, chega em boa hora. A mochila que uso para sair com a minha fofa é ótima, foi muito usada, mas agora que ela cresceu, tornou-se grande demais. Essa bolsa parece ter o tamanho exato para levar uma muda de roupa, um pacotinho de porcaria bolachinha pra um lanche rápido, minha carteira e os documentos do carro e da moça.

Sempre é bom lembrar que a bolsa foi um presente, bem recebido junto com a cartinha e a agradável surpresa ("presente" também indica que não solicitei o envio dela para o site).

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Oftalmologista, já?

Hoje levei a moça pra sua primeira consulta SÉRIA em um oftalmologista. Desta vez escolhi uma oftalmopediatra, para ter certeza de que seriam feitos todos os exames necessários nela.

Na verdade, recomenda-se a primeira acuidade visual aos 4 anos de idade (quando já compreende o exame e obedece comandos sem ficar com vergonha, sem se esconder atrás da cadeira, sem dar piti querendo a mamãe e sem ficar rindo histericamente), mas no caso de ter antecedentes familiares de relevância, o ideal é adiantar a idade do primeiro exame para os 3 anos.

Então lá fomos nós para a clínica. A madame adorou, até entender que teria que pingar dois colírios para dilatar a pupila. Vários minutos e 2 pirulitos depois, ela já estava com as pupilas bem dilatadas e fomos ao exame de refração.

A parte boa: não precisa de óculos.

A parte ruim: AINDA. Um dia certamente usará, porque as crianças da idade dela geralmente são MUITO hipermétropes e ela é só UM POUCO hipermétrope. 

Vou começar a fazer a poupança dos óculos, porque ela já viu uma armação das Princesas Disney e adorou... socorro.

* Nota: desde 2012, na cidade de Campinas/SP, o Instituto de Pediatria do Centro Infantil Boldrini realiza o exame de mapeamento de retina em crianças de 3 e 15 meses, gratuitamente. É necessário agendar o exame, levar a guia do convênio (se tiver) ou o encaminhamento do centro de saúde, com o número do cartão SUS da criança. Pergunte ao pediatra do seu filho como fazer o mapeamento de retina, se estiver nas idades recomendadas. O exame é indolor e rápido e permite a detecção precoce de doenças como catarata e retinoblastoma. *

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

No Dia Mundial da Alimentação, o açúcar do suco de caixinha


Este texto foi postado em 16/10/2012 no blog Comer para Crescer. Pedi autorização para reproduzi-lo porque não há nada para acrescentar, somente para divulgar.

Ontem, dia 15, eu e Mônica estivemos no lançamento oficial do Programa Meu Prato Saudável. Na sexta-feira, dia 12 de outubro, foi o lançamento do Programa Meu Pratinho Saudável. Participando de perto de todos esses eventos, lendo todo material a que estamos tendo acesso e vendo as pessoas, posso assegurar que quem come errado e alimenta errado os filhos não quer saber de aprender.
Ouvi na palestra de apresentação do programa algo que já vem me chamando a atenção a algum tempo: comer de maneira correta não é reeducação alimentar muito menos dieta. Comer de maneira correta é saber o que precisa colocar no prato e nas proporções corretas. Mas tem muita gente entendendo de maneira errada e achando que esse papo todo é de gente que chata.
Bom, Eu e Mônica amamos bacon e fritura. Não deixamos de comer essas delícias, mas não as temos sempre à mesa pois sabemos que além de calóricas, têm substâncias que não fazem bem ao nosso organismo.
O nosso saber veio por meio de nosso interesse pelo assunto, mas também pelo nosso interesse em comer de maneira correta e saborosa.
Por isso que nosso apelo para este Dia Mundial da Alimentação é que as famílias tenham interesse em aprender a comer de maneira correta e que ofereçam opções com menos sódio, açúcar e gordura para os filhos porque o excesso de peso hoje no Brasil é importante e preocupante: uma em cada três crianças tem peso acima do ideal, segundo dados IBGE.
A Pesquisa de Orçamento Familiar revelou um salto no número de crianças de 5 a 9 anos com excesso de peso ao longo de 34 anos:
Anos 70: 10,9% dos meninos tinham excesso de peso; 8,6% das meninas
Anos 80: 15% dos meninos tinham excesso de peso; 11,9% das meninas
Anos 2000: 34,8% dos meninos tinham excesso de peso; 32% das meninas
Um aumento INCRÍVEL de 132% no peso dos meninos e de 169%, no das meninas.
AGORA ATENÇÃO PARA OS DADOS DE OBESIDADE INFANTIL ENTRE 5 A 9 ANOS
(pessoas que não podem passar por fortes emoções não devem continuar a leitura)
Anos 90: 4,1% dos meninos eram obesos; 2,4% das meninas
Anos 2000: 16,6% dos meninos são obesos; 11,8% das meninas.
Aumento de INCRÍVEIS 305% no peso dos meninos e 391% no das meninas.
Nós, aqui, desejamos realmente que os pais entendam a importância de se educar na alimentação. Para nós, isso significa também aprender a ler rótulo de produtos industrializados e entender que a grande maioria do carboidrato que aparece entre os ingredientes é açúcar branco refinado.
Que uma colher de chá de açúcar (equivalente a 5 gramas) tem 20 calorias.
Que o suco de caixinha, que o filho tanto gosta, tem, por exemplo, 27 gramas de carboidratos.
Que isso equivale a mais de cinco colheres de chá de açúcar num copo com 200 ml de suco.
Que, se o filho beber dois sucos de caixinha por dia, estará consumindo quase 54 gramas ou dez colheres de chá de açúcar por dia somente em sucos.
Como disse o nutrólogo Carlos Nogueira: “Esses sucos e achocolatados são uma bomba calórica”.
Fora as balas, o chocolate, o biscoito, o pão, a gelatina, os salgadinhos… todos “ricos” em carboidrato.
E depois tem mãe, pai, avó que reclama da ausência de fome da criança na hora da refeição. Claro. Tá com a barriga (e os dentes) cheio de açúcar e sem fome.
Vamos nos educar.
E informar o outro.
Nosso apelo é : ajude a disseminar esse post para o maior número de pessoas.
Beijos e um Dia Mundial de Alimentação repleto de prazer à mesa
Patrícia e Mônica

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Vai ficando mais divertido

"umapinha" = pinha (acho que ela não entendeu direito quando eu falei 'é uma pinha')
"babioca" = tapioca
"jabuticá" = jabuticaba

E amanhã é a tão sonhada noite do pijama. Será que os adultos terão uma noite livre???

domingo, 30 de setembro de 2012

O tempo cura tudo...

Lembram que um dia eu comentei que a única coisa boa da dermatite atópica era que melhorava com a idade?

Pois é... agora, com 3 anos, melhorou muito. Não temos mais aqueles eczemas feios que machucavam a fofa e não preciso mais ficar paranóica com sabonetes e afins. Hoje ela usa, sem medo de ser feliz:

TEM GLITTER... imagine se a moça aqui de casa não gostou...
Shampoo e condicionador Disney Princesas da Hydrogen. Comprei por causa da embalagem, mas me surpreendi com o fato desses produtos serem OS ÚNICOS que não fazem os olhos da criança arderem. Todos os outros tornavam o banho algo muito doloroso e chorado, tentei de tudo, Johnson's Baby, Aqua Kids, aí quando comprei um por causa da embalagem de coroa, descobri que é o melhor que poderia ter comprado. É bem espesso, tem bico dosador e é fácil de espalhar nos cabelos. O problema dele é para achar, porque só encontrei na Rede Drogasil.

Não recebi nada pra falar deles, ok?
Sabonete Natura Naturé Mistureba. Achei que seria um veneno pra pele dela, mas até agora, não está sendo diferente do Fisiogel, então vamos de Mistureba mesmo (afinal, dura mais e custa menos).

Mas não conseguimos mudar o creme hidratante e o Cetaphil Advanced parou de fazer efeito na pele de papiro. Ou seja... minha economia foi toda para o acréscimo de preço do Cetaphil Restoraderm. Ainda bem que o frasco dura mais de 1 mês, ou o orçamento iria estourar.

domingo, 23 de setembro de 2012

Ela vai crescendo...

... já fala que é "mocinha", que não é mais nenê, está querendo aprender a pular corda (!!!) e está falando cada vez melhor...

E aí a mãe e o pai vão percebendo que algumas gracinhas estão sendo esquecidas. Para isso não acontecer, vamos relembrá-las:

  • Quando aprendeu a falar: trocava R por I, soltando pérolas fofas como POITA (porta).
  • Ganhou uma blusa de coruja, virou a blusa da PUCURUJA.
  • Quando vê bichos, fala que são os ALIMAIS.
  • Nomeou as bonecas. Até aí, nada de mais, mas agora temos a MARIANA (adivinhem o motivo?) e a MARIA LUISA (???) dormindo com ela na cama de solteiro.
  • Na Amazônia, não existem vitórias-régias. São vitórias-RÉDEAS.
Claro que existem mais, mas para lembrar tudo, vamos demorar... e começar a andar atrás dela com um caderninho. :)


domingo, 16 de setembro de 2012

Uma crítica rápida

Sim, eu sei que muita TV não é bom para nenhuma criança, mas tem horas que nós, mães, dependemos dela para fazer algumas atividades sem a criancinha por perto (como abrir o forno quente, cortar legumes ou carnes com o FACÃO afiado na cozinha...). Antes, eu deixava no Discovery Kids, para uma distração um pouco menos danosa, mas agora está complicando muito a vida.

Vocês já viram a quantidade de PROPAGANDA DE BRINQUEDOS que passa no Discovery Kids??? Está ficando comparável ao Cartoon Network e aos canais abertos, insuportável! Não dá pra assistir nenhum desenho (e ela adora Jelly Jamm) sem ser bombardeada por anúncios de brinquedos, principalmente para meninas.

Resultado: mudamos de vez para o Disney Junior, que também tem propaganda de brinquedos, mas é 1% do que passa no Discovery Kids. Eu sei que um dia teremos que mudar daí também, mas espero que demore um pouco mais.

domingo, 2 de setembro de 2012

O aniversário na escolinha

Parte do conteúdo do saquinho-surpresa da festinha
Mais um ano se passou e chegou a hora de mais um aniversário. Este ano, a festa seria na casa nova, mas como continuamos na casa velha (MUITO OBRIGADA, ROSSI E PREFEITURA DE CAMPINAS...), tive que organizar a festa na escolinha.

Vou dizer uma coisa: dependendo da sacolinha-surpresa que vem depois dessas festinhas, confisco o conteúdo e libero pouco a pouco. Uma vez veio até estalinho de festa junina! Sem contar a quantidade de porcarias e afins, que as crianças ADORAM e eu quase infarto, porque, se deixar, ela come tudo de uma vez.

Então, já que não gosto disso, porque faria uma sacolinha dessas pra dar pras crianças?

Pensando nisso, a sacolinha da festa de 3 anos da madame terá bolinha de sabão, massinha de modelar e, como "porcarias", chocolápis e bananinha. São doces? São, mas melhores do que as balas cheias de açúcar e corantes. E os salgados da festinha são todos assados, só não consigo fugir do chocolate. :)

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Saindo da cama da mamãe

Não é exatamente este conjunto, mas serve de referência. Retirado do site carrefour.com.br
Acho que todos que acompanham este blog sabem que, ao contrário do que todos muitos pediatras recomendam, eu optei por fazer a cama compartilhada com a minha filha, acoplando uma cama solteiro box ao lado da cama queen box que temos no quarto (ainda bem que o quarto comportava a mega-cama). Por mais criticada que eu fosse, era melhor porque todos nós conseguíamos dormir sem grandes berreiros e decidimos que ela sairia da nossa cama quando desejasse.

E, duas semanas antes do aniversário de 3 anos, ela decidiu que era hora de ir pro berço dela.

Claro que eu tenho que ficar ao lado dela até adormecer e tivemos que chamar o montador para desmontar o berço e montar a cama, porque ela está muito grande pro berço. E ainda ganhou um conjunto de cama da Barbie Escola de Princesas e outro da Tinker Bell. 

Agora descobri que dormimos muito melhor separadas. Ela dorme a noite toda, quando resmunga, o pai vai até o quarto e ela dorme de novo rapidinho (agora, comigo... a coisa é braba). Eu durmo a noite toda também. :D

domingo, 19 de agosto de 2012

Denise na Bienal do Livro

Semana passada fomos para a Bienal do Livro 2012 levar a madame aqui de casa para renovar o estoque de livros (bem... fazemos isso há anos, só perdemos a última porque ela era muito nenê para encarar a viagem). Ela ADOROU, olhava para todos os lados, ganhou muitos e muitos livros e chegou em casa capotada de tanto brincar, pois o que mais tinha era atividade para as crianças.

Porém... tivemos que levar o carrinho, ou não iríamos aproveitar nem um décimo da Bienal. Foi a melhor decisão, mas usar um carrinho de bebê significa ter que usar as opções de acessibilidade para cadeirantes em todos os lugares e isso nos decepcionou muito.

1ª etapa: RODOVIÁRIA DE CAMPINAS (Terminal Multimodal Ramos de Azevedo)

Elevador bem localizado, bem sinalizado, fácil de usar. Os funcionários são atenciosos, assim que me viram com o carrinho, abriram a porta de acesso ao terminal de embarque e chamaram o elevador. No embarque, nota 10 para os funcionários da Cristália, nota ZERO para os passageiros, que só faltaram dar uma cotovelada no carrinho pra passar na frente.

2ªetapa: TERMINAL RODOVIÁRIO DO TIETÊ

Elevador bem localizado, bem sinalizado. População sem noção, não faltou dar uma cotovelada no carrinho ou passar POR CIMA DAS PERNAS DA MINHA FILHA para passar na frente. Sério. E isso quer ser cidade sede da Copa?????

3ªetapa: METRÔ, ESTAÇÃO TIETÊ

CADÊ O INFELIZ DESSE ELEVADOR????????????? Desmontei o carrinho (era modelo dobrável, tipo guarda-chuva, se não fosse, seria um grande só lamento...), peguei a Denise no colo e fui de escada rolante mesmo. Escolhi pegar o último vagão, próprio para embarque de cadeirantes, justamente porque seria mais fácil de entrar com o carrinho...

.... pelo menos era isso que eu e o meu marido pensamos.

Não tem rampa para entrar, então você tem que empinar o carrinho. O vão entre o vagão e a plataforma é grande e o povo NÃO RESPEITA um carrinho. Aqui também quase que uma mulher faz STRIKE no carrinho e nos derruba na plataforma. Só não aconteceu porque eu gritei e fui rápida.

4ª etapa: METRÔ, ESTAÇÃO ANA ROSA

Novamente, dobramos o carrinho e pegamos a Denise no colo, arrastando mala junto, porque se depender do elevador, morre de tanto esperar.

5ªetapa: METRÔ, ESTAÇÃO CONSOLAÇÃO

Aqui achei o elevador, então resolvi chamá-lo, porque estava cansada de arrastar mala e carrinho no braço. Apertei o botão e esperei... esperei... esperei... Denise começou a chorar... esperei... peguei no colo e subi de escada rolante.

E sempre lembrando que, em todas as viagens, usei o vagão de cadeirantes. E em todas, só não levaram a Denise embora com o carrinho porque travei as rodas. Sempre usei o metrô e sempre achei um excelente meio de transporte, mas NUNCA MAIS o usarei se estiver com criança pequena e carrinho. Um desrespeito sem tamanho com um usuário, sem contar que a minha filha, um dia, não precisará mais do carrinho, mas e um cadeirante? 

Bienal 10

Metrô 0

Aposentadoria pro Zé Gotinha?

Enquanto sou maquiada e arrumada pela madame de quase 3 anos aqui em casa (SO-COR-RO!), dá para escrever um pouco sobre a nova campanha do Ministério da Saúde, a tal de "Campanha de atualização da carteira vacinal". Sim, a da Dedê está em dia, não, ela não foi pra campanha que começou ontem (dia 18 de agosto).

Como diz a minha amiga Ju, ao invés de avisar que houve mudança no TIPO de vacina aplicada nas crianças, o MS resolveu confundir os pais  divulgar que houve a introdução de vacinas NOVAS. Mas o que aconteceu foi que não será mais aplicada a vacina SABIN (a popular gotinha), mas a SALK (ou VIP), que é injetável e, no lugar da tetravalente (aquela que dá febrão), será aplicada a pentavalente, que nada mais é do que a tetra (difteria, coqueluche, tétano e hemófilo) + hepatite B. 

A mudança da Sabin para a Salk não é invencionice brasileira, não, faz parte do plano da OMS para países com poliomielite erradicada (que é o nosso caso). O objetivo é que, em 2 anos, não seja mais usada a Sabin no território brasileiro.

Então, mamãe, se o seu filhote passou no pediatra há pouco tempo e tem toda a carteira vacinal em ordem, não precisa encarar o auê da campanha. Mas se bater a dúvida, todas as salas de vacina estarão à disposição para verificar a carteirinha.

O esquema vacinal do SUS, com isso, fica mais parecido com o das clínicas particulares e com o recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria:

Ao nascer: Hepatite B
Primeira visita ao CS: BCG
2 meses: VIP + Penta + Rotavirus +  Pneumo 10
3 meses: Meningocócica C
4 meses: VIP + Penta  + Rotavírus + Pneumo 10
5 meses: Meningocócica C
6 meses: VOP (gotinha) + Penta (toma terceira dose de rotavírus se for a pentavalente. Se for a do SUS, são só 2 doses) + Pneumo 10
12 meses: SCR + Pneumo 10
15 meses: DTP + VOP + Meningocócica C
4 - 5 anos: SCR + DTP.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Enfim, o passaporte

Sim, esse é o passaporte da fofa.
Enfim, depois de quase 1 mês, consegui pegar o passaporte da filhote. O meu e o do marido ficaram prontos em 7 dias, mas o dela... afe. Caiu sistema, voltou sistema, venceu protocolo, tive que fazer outro, até que semana passada ele ficou pronto.

Agora é só começar o processo do VISTO pra poder levar a tropa pra Disney (quando, não sei, mas pra planejar precisamos do visto). Nisso vêm as maravilhosas pérolas... porque ela tem um cofrinho onde colocamos todas as moedas da casa (fiz uma limpa nele, tirei 14 reais), não importa de onde elas vêm. Aí, além dos 14 reais, tinha 3 dólares.

- Olha, essas moedas aqui são pra sua viagem pra Disney.

(horas depois)

- Batian, esse cofrinho é pra eu ir pra Disney.

Óbvio que a minha mãe não entendeu nada...

terça-feira, 24 de julho de 2012

O desmame

Céus, eu preciso achar uma dessas pra fofa de casa...
Conforme prometido, depois de postar sobre isso no tumblr e com a criancinha na escola, é hora de escrever com mais detalhes sobre o desmame do bichinho.

Como tudo aqui em casa, respeitamos a vontade do ser. Claro que o esquecimento deu uma ajuda nisso, porque tudo começou quando ela esqueceu de mamar num sábado. O pai guardou o mamá dentro da geladeira e à noite, ela pediu. No domingo, saiu tão feliz pro mercado que esqueceu de novo. Foi a deixa: cheguei pra ela na hora do mamá e perguntei:

"Você quer leite no mamá ou no copo?"

"No copo."

Então, como ela tem a mania de repetir as últimas palavras de uma frase, tentei de novo:

"No copo ou no mamá?"

"No copo."

E como ela não é boba, ganhou seu leite no copo com chocolate, porque desde sempre eu aviso que, com chocolate, não entra no mamá. 

Resultado: valeu a pena ir contra tudo e contra todos quando resolvemos não colocar chocolate na mamadeira (sim, ouvi várias vezes a frase "coitadinha da menina, merece um chocolatinho no leite"), porque virou nossa moeda de troca. Para ganhar com chocolate, só largando a mamadeira. E deu certo. :D

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Paciência, mãe, paciência...

Depois da fase do "por quê", do "não", vem a fase do "tô com medo" e do "buaaaaaaaaaaaa acabou". Nisso, aprendi mais uma lição que a faculdade não ensina: mãe tem que ter muita, mas muita paciência MESMO, porque é acabar uma fase difícil pra vir outra mais difícil ainda.

Mas sempre a paciência retorna quando aparece aquele sorriso lindo e o chamado "mamanhê"... *derrete*

E mais uma amiga pediatra começou a trilhar o caminho das pedras, quero dizer, da maternidade :) Confiram aqui: Cartas Brasilienses.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Testando...

Estou testando uma nova plataforma para o Mamãe Pediatra, o Tumblr. 

Isso não significa que o mamaepediatra.blogspot.com.br será desativado (pelo menos, não agora), pois ele será mantido para postagens longas. O Tumblr será usado para aquelas postagens curtinhas, para avisos de coisas legais e até mesmo para avisos de matérias mais longas postadas no Blogger.

O perfil mamaepediatra.tumblr.com ainda está em construção, mas quem for curioso já pode dar uma olhadinha. :D

sábado, 7 de julho de 2012

Preparando para conhecer as princesas


Erm... bem... quase.

Não estamos programando nenhuma viagem à Disney nos próximos 12 meses, mas como o meu passaporte e o do papai vencem em novembro deste ano, decidimos tirar outros e já aproveitar a ida ao posto da Polícia Federal para tirar o da criaturinha junto.

Então, em março deste ano (sim, MARÇO. Eu comecei toda essa confusão em MARÇO) entrei no site da Polícia Federal e fui juntando a documentação, pagando taxas e agendando datas.

1º passo: entre no site da PF e junte a documentação.

Para mim, foi necessário:
  • RG
  • CPF
  • Certidão de casamento (acrescentei o sobrenome do maridão)
  • Título de eleitor com os comprovantes das duas últimas votações OU certidão da Justiça Eleitoral dizendo que está quite com suas obrigações
  • Guia GRU paga COM COMPROVANTE DE PAGAMENTO. Não serve aquele papelzinho escrito "pagamento agendado".
  • Passaporte anterior
Para marido, precisei de:
  • RG
  • CPF
  • Documento que comprove estar quite com a situação militar (no caso, certificado de dispensa de incorporação). Meu, preencher isso no formulário de passaporte é prova de paciência. Nada no site da PF explica o que significa cada número naquele negócio, então a minha sugestão é ler esta página da Wikipedia com muita, muita atenção. 
  • Título de eleitor com comprovantes
  • Guia GRU paga
  • Passaporte anterior
E, para a criança...
  • RG ou certidão de nascimento (tanto faz o modelo)
  • CPF do responsável
  • AUTORIZAÇÃO dos pais para EMISSÃO DE PASSAPORTE. Nós fomos bem paranóicos e fizemos com firma reconhecida por autenticidade (aquela que se faz assinando no próprio cartório), mas pelo o que vi, poderia ter sido com assinatura simples no próprio posto. Só que... no cartório, a pessoa que nos atendeu disse que não precisava levar autorização nenhuma. Ou seja, desinformada sim, atrapalhar os outros, não, né?
  • Foto 5x7 recente, sem data, com fundo branco, por ser menor de 3 anos (já imaginaram o que seria tirar a foto da madame na hora, depois de 1 hora de espera? Tá doido?)
  • Guia GRU paga
  • A criança. Sim, tem que levar a criança no dia do agendamento (e agendar um horário para ela).
2º passo: preencha o formulário no site da PF. Não é difícil, o que mata é a parte do certificado de dispensa de incorporação...

3º passo: faça o agendamento no site da PF.

4º passo: pague a GRU no banco.

5º passo: paciência. Você vai com horário agendado, mas atrasa e o sistema cai loucamente. E lembre-se que os documentos apresentados têm que ser ORIGINAIS.

E o ponto mais importante: passaporte de criança NÃO tem a mesma validade do passaporte de adulto, varia conforme a idade.

0 - 1 ano: vale 1 ano.
1 - 2 anos: vale 2 anos.
2 - 3 anos: vale 3 anos.
3 - 4 anos: vale 4 anos.
4+ anos: vale 5 anos.

Agora é só esperar 1 semana para retirar o passaporte. Detalhe: cada um tem que retirar o seu, não pode pedir pra outra pessoa retirá-lo. A única exceção são crianças, que não precisam comparecer novamente na retirada.

[EDITANDO EM 23/02/2015] Agora tem que levar as crianças pra retirar o passaporte também! 

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Nossas crianças estão ficando grandes...

... o problema é quando isso acontece horizontalmente.

Não são poucas as crianças acima do peso que chegam aos consultórios pediátricos e, pior, a maioria delas nem sabem que estão gordinhas. Inclusive, quando falamos isso para as mães, quase somos chamados de loucos, porque a criança, na verdade, "é forte, doutora".

O problema é quando colocamos o peso, a estatura e o IMC (índice de massa corporal) nas curvas de referência para a idade (e olha que as curvas atuais já estão adaptadas para o cenário atual, se usássemos as curvas de Marcondes - Santo André, década de 1980 - , teríamos muito mais obesos do que já temos). Existem vários fatores que contribuem para o aumento da obesidade infantil, mas nenhum é tão marcante e decisivo no tratamento do que a família e seus hábitos.

Esta matéria da revista Crescer está bem explicativa e interessante. Volto a escrever mais quando a mocinha de casa me deixar escrever com mais de uma mão.


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Por que pediatras não gostam... (parte IV)

... de quando as mamães resolvem dar leite de vaca (de caixinha, em pó, Ninho e afins) para os bebês antes do primeiro aniversário?

O leite de vaca integral (ou LVI) é um leite muito bom para filhotes... de vaca. Nós, mamíferos, produzimos leite espécie-específico, ou seja, o leite da vaca é bom pro bezerro, o leite da cabra é bom pro cabritinho e o leite humano da mamãe é bom para o nosso bebê fofinho e cheio de dobrinhas. 

Para começar, a composição nutricional dos dois leites é diferente. Claro, tem cálcio, tem proteínas, tem água, sais, vitaminas, mas a proporção deles não é igual e cada espécie é preparada para digerir adequadamente uma certa quantidade desses nutrientes. Por exemplo, o leite de vaca possui maior quantidade de sódio do que o leite humano, sendo que os rins do bebê não são preparados para dar conta dessa sobrecarga de sódio (que é um dos motivos para as papinhas terem pouco sal). Outra coisa que é diferente é a quantidade de caseína (o que "talha" o leite), muito maior no leite de vaca, fazendo com que seja de digestão mais difícil. A vitamina C e o ferro também são pouco absorvidos quando a criança recebe leite de vaca.

Além disso, 1 em cada 20 bebês possui Alergia a Proteína do Leite de Vaca (APLV), que é diferente de intolerância a lactose. Na APLV, o bebê não pode ingerir leite e derivados, pois eles causam reações imunológicas que podem levar à desnutrição, diarréia crônica, edema de glote, urticária e várias outras manifestações. O diagnóstico é clínico, poucos exames podem ser feitos em crianças pequenas e nenhum deles fecha diagnóstico sem uma boa história e um bom exame físico feito pelo pediatra ou pelo especialista.
Por isso, se a amamentação ao seio não puder ser realizada, não introduzam nenhum alimento sem a orientação do pediatra. Existem fórmulas infantis no mercado próprias para cada caso e todo pediatra é habilitado e terá a maior boa vontade em orientar seu uso.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Estamos crescendo...

http://cadernorosa.wordpress.com/2010/07/10/saber-amar/
Conforme as crianças crescem, crescem também as angústias das mães. Quantas vezes nos pegamos pensando se seremos capazes de compreender e de aceitar todas as mudanças das nossas crianças, enquanto se desenvolvem e se transformam em adultos (podia demorar um pouquinho mais, talvez)?

Nessa onda, vem a mídia e a super-exposição das nossas crianças a temas que, nas gerações anteriores, ou era tabu ou pouco se falava. Justamente por causa disso, muitas mães e pais se arrepiam quando ouvem a palavra "sexualidade" ou quando alguém menciona que é necessário "trabalhar e entender a sexualidade das crianças".

E é antes que alguém comece a jogar pedras aqui, que é melhor explicar direito do que estou falando: "desenvolver" a sexualidade não se trata de sexualizar a infância, mas de compreender as mudanças nas crianças. É perceber que nossos filhos começam a entender que meninos são diferentes de meninas; que cada um tem o seu jeito de se enfeitar, de tentar chamar a atenção do outro; que cada um tem seu jeito de demonstrar afeto e que isso começa com o exemplo dentro de casa; e, para o horror dos pais, que a descoberta dos genitais faz uma "cosquinha"...

O fundamental para passarmos por tudo isso sem traumas é agir com naturalidade. Crianças criadas em ambiente saudável não têm malícia, isso vem da cabeça do adulto. A erotização precoce ocorre quando a criança é exposta a cenas e a situações que não são comuns ao universo infantil, portanto, quando acontece, tem dedo de adulto na história.

Foi pensando assim que fiquei pensando no que aconteceu ontem. Sem eu saber, provoquei uma grande crise no meu filhote, pois ela, tentando imitar o papai e a mamãe, queria me dar um beijo na boca, porque ela era a minha namorada. Então disse que criança não podia ser namorada (na verdade, eu queria dizer que eu já tinha namorado, que era o papai, mas me expressei mal...) e ela caiu no choro. Soluçou, chorou, gritou, não conseguia parar de chorar. Só depois de acalmá-la, o pai me contou que ela tinha um "príncipe" na escolinha (de 2 anos), que andava de mãos dadas e dava beijinhos na bochecha. Acho que ela entendeu que eu estava brava por causa disso...

sábado, 12 de maio de 2012

Ainda estamos por aqui!

O blog continua, mamães, estamos meio parados porque temos uma casa em andamento, uma mocinha crescendo e exigindo cada vez mais atenção e uma mamãe trabalhando muito longe de casa. Mas em breve voltaremos à programação normal.

domingo, 29 de abril de 2012

Congresso

Sim, sim, neste fim de semana prolongado, vim para São Paulo, participar do 12º Congresso Brasileiro de Alergia e Imunologia em Pediatria. A última vez foi em Porto Alegre, em 2005, no meu R1 de Pediatria (Immuno Rio 2007 não conta, aproveitei muito pouco daquele congresso), muito antes de eu pensar em ter bebê.

Para poder vir, montamos todo um esquema para deixar a mocinha com o papai e a vovó, com a batian de sobreaviso caso acontecesse alguma coisa e, mesmo assim, esqueci várias coisas. Esqueci de deixar as coisas prontas pra consulta do dentista e ainda por cima esqueci de deixar o carro no jeito pra minha mãe tirar da garagem. Desnecessário dizer que ouvi uma bronca...

Enfim, estou aproveitando para me atualizar, comprei livros novos, equipamentos novos (otoscópio de LED, uhuuuuuuuuu!) e, cada vez mais, percebo que quanto mais sei, nada sei. As tendências atuais diferem de conceitos que aprendi na residência (e olha que não sou muito velha, terminei a residência em 2007) e percebi que, se ficar parada, o mundo passa por cima. 

Reencontrei amigos e professores queridos, daqueles que fazem você pensar "por que raios não estou fazendo mestrado", reencontrei amigos que moram em Sampa e que não via a tempos por não querer trazer a filhota pra cá (muita confusão, chove, faz frio, criança chia). 

Só que tem gente que pode pensar "ah, agora ela está aproveitando pra dormir, porque não tem criancinha do lado pedindo coberta ou tossindo". Naaaaaaaaaaaada... tô dormindo muito pior, porque sinto falta daquela mãozinha procurando a mamãe. Como mãe é bicho bobo!

terça-feira, 3 de abril de 2012

Páaaaaascoaaaaaaaaa!

Chocofest! Chocofest!
O coelhinho passou mais cedo aqui em casa e, ao invés de ovinhos, deixou um convite para uma viagem muito legal (patrocinada pela vovó, claro), para conhecermos a casa dele em Gramado/RS: a CHOCOFEST.

Fizemos as malas e nos preparamos para a maior maratona dos últimos anos: Chocofest em 1 dia e meio. Pegamos o avião na sexta à noite, enfrentamos um chororô brabo na escala em Navegantes (chegamos, mamãe, chegamos, o moço falou que chegamos, quero descer!), mais 2 horas até Gramado e dormimos para o dia seguinte...

Onde já começamos com um lindo café da manhã, depois corremos pro Fogão Mágico da vovó Duquesa, almoçamos, fizemos comprinhas, corremos para a Caça ao Ninho, Mini Mundo, desfile Um Chocoamor à Terra, voltamos ao hotel, tomamos banho, jantamos e voamos pra peça de teatro. Ufa.

Tudo isso à pé, porque não alugamos carro achando que era tudo perto.

Só notamos o nosso engano quando fomos na Caravana de Páscoa e vimos a quantidade de coisas que não visitamos: Aldeia do Papai Noel, museu de cera, museu Super Carros, lojas temáticas de chocolate, Parque Mundo Encantado...

... ou seja, voltaremos nos próximos anos.

Mas recomendo 110% a Chocofest para quem tem criança que ainda se encanta com o coelho da páscoa. Aliás, para nós, adultos, é LINDO LINDO LINDO (e tem outlet de sapatos, hohoho)!

terça-feira, 20 de março de 2012

... nunca mais

Nada pior para uma mãe e um pai do que ouvir essas duas palavrinhas saindo da boca de seu filhote. Ainda mais quando vêm acompanhadas na frase "não quero fazer cocô nunca mais".

Tudo aconteceu por causa do intestino preso da mocinha. Já era difícil antes, agora com o desfralde, piorou. Para completar, com a viagem de uma semana do pai, ela ganhou chocolate todo dia (não vou dizer de quem, só digo que não fui eu), bem na hora da janta, o que atrapalhou toda a minha rotina. 

Então simplesmente ela chegou a ficar mais de um dia sem ir ao banheiro (xixi vai que é uma beleza, mas só). E dá-lhe lactulose (Lactulona ou Pentalac) em doses altas para amolecer essas fezes, com direito a muito choro e suor frio na hora de ir ao banheiro.

Como nada poderia ser ao acaso, a madrinha da minha filha é gastropediatra, então lá foi a mãe desesperada ligar para a comadre para ajuda mais especializada.

Hoje começaremos o Muvinlax e a torcida para que tudo dê certo é grande... mas o supositório já está comprado, bem como o Activia, a aveia e o mamão. Difícil é fazer a moça comer o mamãozinho, ainda mais com o verdinho cada vez mais raro na colher.

terça-feira, 13 de março de 2012

Por que pediatras não gostam de... (parte III)

Para fazer um suquinho, eu até gosto. Aliás, eu AMARIA ter um liquidificador maravilhoso desses.
Calma, não é do liquidificador que não gostamos. Aliás, dependendo da situação, não gostamos do processador também.

Quantas mães já ouviram alguém falar que a primeira papa salgada (ou sopa) do bebê tem que ser batida no liquidificador? Garanto que a maioria já ouviu isso alguma vez, principalmente se uma pessoa (mulher) mais velha viu seu bebê comendo a papinha espessa que o pediatra orientou a dar...

O problema é que a sopa batida no liquidificador não ajuda (até atrapalha) em nada o desenvolvimento e crescimento dos músculos mastigatórios. Não importa que o bebê não tenha dentes, ele tem que aprender a mastigar aos poucos, por isso a insistência dos profissionais de saúde (pediatras, dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, enfermeiros e T.O.s) em orientar as mães a oferecer papas amassadas no garfo ou, no máximo, em processadores manuais.

Esse daqui a gente encontra no Brasil, ó que chique!
Amassando os legumes, a criança ainda tem acesso às fibras do alimento, que são impiedosamente trituradas no liquidificador e são extremamente importantes para o bom funcionamento do intestino. Evidentemente, é mais trabalhoso do que colocar tudo no copo do liquidificador e ligar, mas a criança aproveita melhor os alimentos (e a comida fica melhor na colher, sem ficar caindo e melando tudo).

Gradativamente, conforme a criança cresce, é preciso modificar a consistência dos alimentos, passando do pastoso para o semi-sólido até chegar na comida da família, o que deve acontecer por volta de 1 ano de idade. E também é importante ensiná-la as regras à mesa, mas isso fica para outro post. :)

domingo, 11 de março de 2012

Pesadelos

Monstros S.A. O filme é lindo, mas ainda não deixei a moça assistir, vai que ela entende que tem um desses dentro do armário???
Numa consulta, uma mãe me perguntou se criança sonha.

Bom, claro que criança sonha. Mas o conteúdo dos sonhos vai mudando conforme o desenvolvimento da criança, porque os sonhos são baseados em experiências do cotidiano (ou em filmes que a gente teima em assistir).

O problema é quando eles começam a tomar forma e viram PESADELOS, com direito ao famigerado MONSTRO EMBAIXO DA CAMA.

Já faz duas noites que a minha madame acorda aos berros no meio da madrugada, só sossegando depois que eu acendo a luz (detalhe: dormimos com um ponto de luz no quarto) e a abraço bem forte. Ontem chegou a tremer de medo. Tudo bem que temos gatos que inventam de subir na cama no meio da noite, mas nessas duas noites, nenhum bichano subiu.

Desnecessário dizer que a mãe virou zumbi este fim de semana, né? Aceito sugestões para me livrar do monstro que mora embaixo da minha cama, porque se continuar assim, semana que vem vou entrar nesse quarto armada de vassoura e caixa de papelão pra mandar esse bicho pra Tailândia!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Enfim, sem fraldas

Sim, é lindo. Não, a moça aqui de casa não tem um desses.
Uma semana depois, com a ajuda da escolinha, tenho o prazer de anunciar que meu filhote deu mais um passo adiante em sua vidinha: está desfraldada (de dia, de noite são outros 500).

Gostei muito do jeito que as professoras e monitoras fazem para desfraldar a criança e continuei o mesmo método em casa. Sem stress, sem broncas, sem gritos. Simplesmente respeitando o ritmo de cada criança e levando-a a cada QUINZE MINUTOS para o banheiro e perguntando se queria fazer xixi. Também levo se observar que está apertando o fundilho da calcinha com a mão, porque pedir pra fazer xixi, ainda não pede.

Lembram que em janeiro tentei tirar? Foi muito precoce, ela ainda não estava incomodada com a fralda, então não entendia por que precisava ficar sem. Agora, ela não deixava por a fralda, isso quando não tirava sozinha e corria pela casa. Comprei calcinhas novas, de algodão, do jeito que ela queria, e mandei muitas, mas muitas bermudas extras na mochila para a troca.

Como nada podia ser fácil, ela ainda pegou uma virose no meio da semana, vomitou, teve diarréia, enfim, o caos e voltou para a fralda - mas só no fim da tarde.

E hoje, cinco dias depois do início do desfralde, ela não deixou escapar nenhuma vez e foi bonitinha pro vaso. O engraçado é que ela só faz se eu SAIR do banheiro. Com platéia, não sai nadinha.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Mudanças, mudanças

Ficamos um tempo sem aparecer por aqui porque o carnaval foi bem tumultuado...

A mocinha teve sua quinta (e sexta) crise de asma, sendo que desta vez foi um pouco mais feia do que as anteriores. Só não internou porque eu não a levei pro PS e segurei as pontas em casa (mamães, não façam isso a menos que tenham treinamento adequado!), mas ganhou sua medicação inter-crise, o corticóide inalatório. Faz uma semana que comecei a bombinha nova e tivemos outra crise, mais leve, mas nada parecido com o carnaval.

Começamos novamente o desfralde. Lembram da tentativa de janeiro? Foi um fracasso... ela chorava e gritava no vaso sanitário, então voltei pra fralda. Agora ela quis sair sozinha, não deixou a mamãe colocar a fralda ontem e hoje ficou de calcinha o dia todo na escolinha. Claro que tivemos acidentes, mas nada que uma nova passada na loja de roupas infantis não dê jeito.

E vamos que vamos, que 2012 promete muitas emoções!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Barriguda, eu?

Saiu daqui: http://www.bemlegaus.com/2010/06/deletando-quilos.html

 Mês passado, levei a mocinha para sua consulta de rotina com o pediatra (regada a muitos choros, a tentativa de fuga da sala de espera, enfim, nada de anormal).

Porém, assim que eu entrei, ouvi a frase "come bem, essa mocinha". Minhas anteninhas já ficaram ligadas e atentas à hora de colocar o chumbinho na balança.

E dito e feito. Ela não está gorda, nem acima do peso, mas a curva de peso deu um pequeno salto, saindo da rotina que ela sempre teve. Se continuasse no ritmo das férias, em breve ela sairia do percentil 50 para o 75 e, aí sim, estaria com sobrepeso. Resultado: ouvi toda a recomendação de tirar doces, batatinha, porcarias, etc, etc.

Voltei pra casa pensando "mas ela não come tanta porcaria assim". Sentei com o super-papai, peguei a calculadora e as curvas de referência e saí fazendo contas. Quando vi, ela realmente não está com sobrepeso - ainda - mas a curva de IMC (índice de massa corporal) deu um pequeno salto, do Z-score 0 em direção ao +1. Ou seja... várias luzes amarelas de alerta começaram a piscar em casa.

Fui ao tão famigerado diário alimentar (as mães odeiam quando eu peço isso) e foi só aí que notei a quantidade de chocolate, cookies, bolo e pão de queijo que ela estava comendo! E eu achando que estava abafando, ó céus.

Cortamos tudo, restringimos o chocolate e os cookies para duas vezes na semana e valorizamos as frutas (que estavam meio esquecidas no fim de 2011). Não a pesei novamente, mas a papadinha do pescoço já diminuiu e a barriguinha ficou menos redonda.

Fica o alerta que sempre é bom ouvir os conselhos do pediatra. Se você confia nele (ou nela), é a opinião e o olhar de alguém de fora (porque pra gente, quanto mais fofinho e gostoso de apertar, melhor, né? E isso vale pra mãe, pai, avó, avô, tio, tia, madrinha, padrinho...). E não ter vergonha de perceber os equívocos e consertá-los. :)

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Maternal

Agora as coisas mudaram para a mocinha. O uso do uniforme tornou-se obrigatório e ela ganhou uma mochila de rodinhas, toda cor-de-rosa, do jeito que queria.

Então ela resolveu também mudar algumas coisas por conta própria: não aceita mais colo das monitoras quando chega na escola, ela entra sozinha puxando a mochila. Na saída, também recusa colo, quer ir andando até o carro e quer subir sozinha na cadeirinha.

Mas o que derreteu a mãe mesmo foi quando perguntei por que o amiguinho dela estava chorando na hora da saída.

"Porque esta (apontou pra mim) é a mamãe da Denise, não mamãe dele."

Ou seja, ele queria ir embora...

Andador - a polêmica

O.O

 Eu já comentei uma vez e a minha opinião nunca mudou: sou radicalmente CONTRA o uso de andador (aquele modelo com uma "fraldinha", que serve pra criança ficar sentada). Dentre os vários motivos, o principal para mim é o fato de ser um potencial causador de acidentes. Porém... não adianta a gente falar, tem mãe que acha que pediatra é doido ou que a gente não sabe nada porque não tem filhos (ahá! Agora eu tenho!)...

Então, com a palavra, a Sociedade Brasileira de Pediatria:

Andador: perigoso e desnecessário

Departamento de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria

No dia 7 de abril de 2007, o Governo do Canadá proibiu a comercialização de andadores para bebês em todo o país, determinando a total proibição de sua venda, revenda, propaganda e importação. Considerou também ilegal vender andadores em vendas de garagem, mercados de pulgas e no comércio ambulante. Recomendou ainda às pessoas que destruíssem e descartassem todos os andadores.

Tal fato reacendeu uma velha controvérsia entre pediatras e pais: o andador é, afinal, uma inocente fonte de prazer e liberdade para os bebês ou uma arma travestida de produto infantil por meio da qual infligimos traumatismos físicos às inocentes criaturinhas?

A verdade é que o andador continua a ser muito popular e, contra as recomendações usuais dos pediatras, é utilizado por cerca de 60 a 90% dos lactentes entre seis e quinze meses de idade. Os motivos alegados pelos pais para colocarem seus bebês em andadores incluem: eles dão mais segurança às crianças (evitando quedas), independência (pela maior mobilidade), promovem o desenvolvimento (auxiliando no treinamento da marcha), o exercício físico (também pela maior
mobilidade), deixam os bebês extremamente faceiros e, sobretudo, mais fáceis de cuidar.

Entretanto, nos últimos tempos a literatura científica tem colocado por terra todas estas teses. A idéia de que o andador é seguro é a mais errada delas. Há poucos meses, uma pesquisadora sueca, Ingrid Emanuelson publicou uma análise dos casos de traumatismo craniano moderado em crianças menores de quatro anos, que considerou o andador o produto infantil mais perigoso, seguido por equipamentos de playground. 

De fato, ao longo de mais de trinta anos, as revistas médicas têm chamado a atenção para o grande risco do andador, que anualmente causa cerca de dez atendimentos nos serviços de emergência para cada mil crianças com menos de um ano de idade. Isto corresponde a pelo menos um caso de traumatismo para cada duas a três crianças que utilizam o andador. Um terço dessas lesões são graves, geralmente fraturas ou traumas cranianos, necessitando hospitalização. 

Algumas crianças sofrem queimaduras, intoxicações e afogamentos relacionados diretamente com o uso do andador, mas a grande maioria sofre quedas; dos casos mais graves, cerca de 80% são de quedas de escadas. Nos Estados Unidos, num período de 25 anos, foram registradas 34 mortes  causadas por andadores, um número nada desprezível.

É verdade que o andador confere independência à criança. Contudo, todos os especialistas em segurança infantil justamente insistem que um dos maiores fatores de risco para injúrias físicas é dar independência demais numa fase em que a criança ainda não tem a mínima noção de perigo. É consenso que a capacidade de autoproteção só é adquirida a partir dos cinco anos de idade. Colocar um bebê de menos de um ano num verdadeiro veículo que pode atingir a velocidade de até 1 m/s equivale a entregar a chave do carro a um guri de dez anos. Crianças até a idade escolar exigem total proteção.

O andador atrasa o desenvolvimento psicomotor da criança, ainda que não muito. Bebês que utilizam andadores levam mais tempo para ficar de pé e caminhar sem apoio. Além disso, engatinham menos e têm escores inferiores nos testes de desenvolvimento. O exercício físico é muito prejudicado pelo uso do andador, pois, embora ele confira mais mobilidade e velocidade, a criança precisa despender menos energia com ele do que tentando alcançar o que lhe interessa com seus próprios braços e pernas.

Por fim, trata-se de uma grande falácia dizer que a satisfação e o sorriso de um bebê valem qualquer risco. Defendendo esta idéia, um pai chegou a sugerir que se os pediatras conseguirem que os andadores sejam proibidos, como aconteceu no Canadá, a seguir vão querer proibir patins, skates e bicicletas, terminando com a alegria da criançada.

Evidentemente, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Bicicletas, skates e patins são brinquedos para crianças mais maduras, que já têm condições de aprender as noções de segurança e responsabilidade e, por isso, podem se arrojar em atividades com maior risco. Ainda assim, é sempre importante lembrar que os devidos equipamentos de segurança, como capacete de ciclista, cotoveleiras e joelheiras, precisam ser sempre usados. Um bebê de um ano fica radiante com muito menos do que isso: basta sentar na sua frente, fazer caretas para ele e lhe contar histórias ou jogar uma bola. Dizer que o andador torna uma criança mais fácil de cuidar revela preguiça, desinteresse ou falta de disponibilidade do cuidador. Por outro lado, caso um adulto realmente não tenha condições de ficar o tempo todo ao lado de um bebê pequeno, é mais seguro colocá-lo num cercado com brinquedos do que num andador. 

Vários estudos já mostraram que cerca de 70% das crianças que sofreram traumatismos com andadores estavam sob a supervisão de um adulto. Ou seja, nem todo mundo reage a tempo de conter um diabinho que dispara pela sala a 1 m/s. A supervisão constante da criança constitui a chamada  proteção ativa, que costuma ser muito falha. O melhor é cercá-la de um ambiente protetor, com dispositivos de segurança, como grades ou redes nas janelas; estas são medidas de proteção passiva,
muito mais efetiva. O andador definitivamente não se enquadra neste esquema.
Enfim, sabe-se que existe hoje em dia um movimento muito intenso na Europa e nos Estados Unidos no sentido de que legislações semelhantes à canadense sejam aprovadas e postas em prática, uma vez que todas as estratégias educativas têm falhado na prevenção dos traumatismos por andadores.

Enquanto este progresso não chega ao Brasil, continuamos contando com o bom senso dos pais, no sentido de não expor os bebês a um produto perigoso e absolutamente desnecessário.

Para os interessados em informações mais detalhadas sobre o assunto:
· American Academy of Pediatrics. Committee on Injury and Poison Prevention. Injuries associated with infant walkers. Pediatrics. 2001;108:790-2. http://pediatrics.aappublications.org/cgi/content/full/108/3/790.· Taylor B. Babywalkers. BMJ. 2002;325:612. http://bmj.bmjjournals.com/cgi/content/full/325/7365/612.
· Health Canada. Baby Walkers (Banned) & Stationary Activity Centres. http://www.hc-sc.gc.ca/cps-spc/child-enfant/equip/walk-marche-eng.php

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Calendário de vacinação 2012 (SUS!)

Saiu na mídia, está nas redes sociais, é minha obrigação informar...

O Ministério da Saúde anunciou a chegada da vacina Salk (poliomielite inativada injetável) e da pentavalente no SUS. Com isso, o calendário de vacinação mudou, mas antes de correr pros Centros de Saúde, é importante notar que:

1) A pentavalente do SUS não é a mesma pentavalente das clínicas. Pelo que anunciaram, a do SUS terá difteria-tétano-coqueluche + hemófilo B + HEPATITE B. A das clínicas tem difteria-tétano-coqueluche + hemófilo B +SALK. A vacina contra hepatite B, nas clínicas particulares, entra na hexavalente.

2) O esquema de vacinação contra poliomielite, nas clínicas é Salk - Salk - Salk (penta - penta - hexa). No SUS, será Salk - Salk - SABIN (gotinha), com o uso da Sabin nas campanhas nacionais de vacinação.

Confiram o calendário novo com o antigo para comparação em http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2012/Jan/18/calendario_180112.pdf 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Coisas legais que andei usando por aí

Durante as férias na casa da vovó (e a saga do sapinho), tive que sair atrás de algo para esterilizar a mamadeira da fofucha e eis que achei os saquinhos esterilizadores da Dr. Brown's.

Gostei muito, são práticas e fáceis de usar. Cada saquinho pode ser usado 20 vezes no micro-ondas e fica tudo muito, mas muito quente e limpinho. Excelente para ser usado em viagens. :)




Outra coisa muito boa foi a loção anti-mosquito da Johnson's Baby. Como sabem, a mocinha tem dermatite atópica, então não posso passar qualquer coisa naquela pele de papiro. Este foi o único repelente que não destruiu as dobrinhas cuti-cuti dela. Coloquei num frasco com válvula spray e mandei ver (aliás, dona Johnson & Johnson, bem que podia fazer uma embalagem dela em spray, né? Facilita a vida das mamães).


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Ah. Meu. Deus.

Ninguém nunca disse que a vida de mãe é fácil.

Nessas férias, a mocinha ficou impossível. Voltou da viagem manhosa, chorona, medrosa e, pior de tudo, RESPONDONA.

Aí vai a mãe tentar dar um jeito na situação:

- Aqui tá todo mundo fazendo as suas vontades, mas em casa a dança corre conforme a minha música. ENTENDEU?
- ... não. - com aquele olhar de Gato de Botas.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Reveillon com chuva

O primeiro dia do ano com chuva é meio complicado aqui em casa, porque a mocinha fica entediada facilmente e logo começa a fazer manha na sala.

Então resolvi fazer alguma atividade com ela: massinha de modelar. Eu fazia muito disso quando era criança e me garantia boas horas de diversão.

O que eu não contava era que ela iria CHORAR ao ver a massa e, depois, brincar de arremessá-la pela sala. ¬¬ Mas até que ela começou a se divertir depois, fazendo bolinhas e cortando, afinal, não posso pedir muito mais do que isso nessa idade.

Receita da massinha:

- 1 xícara de chá de farinha de trigo
- 1 xícara de chá de sal
- água até dar liga
- gotas de óleo até a massa não grudar mais nos dedos

Dá para usar anilina ou corante comestível para tingir a massinha. Guarde em pote tampado senão resseca.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...