terça-feira, 20 de março de 2012

... nunca mais

Nada pior para uma mãe e um pai do que ouvir essas duas palavrinhas saindo da boca de seu filhote. Ainda mais quando vêm acompanhadas na frase "não quero fazer cocô nunca mais".

Tudo aconteceu por causa do intestino preso da mocinha. Já era difícil antes, agora com o desfralde, piorou. Para completar, com a viagem de uma semana do pai, ela ganhou chocolate todo dia (não vou dizer de quem, só digo que não fui eu), bem na hora da janta, o que atrapalhou toda a minha rotina. 

Então simplesmente ela chegou a ficar mais de um dia sem ir ao banheiro (xixi vai que é uma beleza, mas só). E dá-lhe lactulose (Lactulona ou Pentalac) em doses altas para amolecer essas fezes, com direito a muito choro e suor frio na hora de ir ao banheiro.

Como nada poderia ser ao acaso, a madrinha da minha filha é gastropediatra, então lá foi a mãe desesperada ligar para a comadre para ajuda mais especializada.

Hoje começaremos o Muvinlax e a torcida para que tudo dê certo é grande... mas o supositório já está comprado, bem como o Activia, a aveia e o mamão. Difícil é fazer a moça comer o mamãozinho, ainda mais com o verdinho cada vez mais raro na colher.

terça-feira, 13 de março de 2012

Por que pediatras não gostam de... (parte III)

Para fazer um suquinho, eu até gosto. Aliás, eu AMARIA ter um liquidificador maravilhoso desses.
Calma, não é do liquidificador que não gostamos. Aliás, dependendo da situação, não gostamos do processador também.

Quantas mães já ouviram alguém falar que a primeira papa salgada (ou sopa) do bebê tem que ser batida no liquidificador? Garanto que a maioria já ouviu isso alguma vez, principalmente se uma pessoa (mulher) mais velha viu seu bebê comendo a papinha espessa que o pediatra orientou a dar...

O problema é que a sopa batida no liquidificador não ajuda (até atrapalha) em nada o desenvolvimento e crescimento dos músculos mastigatórios. Não importa que o bebê não tenha dentes, ele tem que aprender a mastigar aos poucos, por isso a insistência dos profissionais de saúde (pediatras, dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, enfermeiros e T.O.s) em orientar as mães a oferecer papas amassadas no garfo ou, no máximo, em processadores manuais.

Esse daqui a gente encontra no Brasil, ó que chique!
Amassando os legumes, a criança ainda tem acesso às fibras do alimento, que são impiedosamente trituradas no liquidificador e são extremamente importantes para o bom funcionamento do intestino. Evidentemente, é mais trabalhoso do que colocar tudo no copo do liquidificador e ligar, mas a criança aproveita melhor os alimentos (e a comida fica melhor na colher, sem ficar caindo e melando tudo).

Gradativamente, conforme a criança cresce, é preciso modificar a consistência dos alimentos, passando do pastoso para o semi-sólido até chegar na comida da família, o que deve acontecer por volta de 1 ano de idade. E também é importante ensiná-la as regras à mesa, mas isso fica para outro post. :)

domingo, 11 de março de 2012

Pesadelos

Monstros S.A. O filme é lindo, mas ainda não deixei a moça assistir, vai que ela entende que tem um desses dentro do armário???
Numa consulta, uma mãe me perguntou se criança sonha.

Bom, claro que criança sonha. Mas o conteúdo dos sonhos vai mudando conforme o desenvolvimento da criança, porque os sonhos são baseados em experiências do cotidiano (ou em filmes que a gente teima em assistir).

O problema é quando eles começam a tomar forma e viram PESADELOS, com direito ao famigerado MONSTRO EMBAIXO DA CAMA.

Já faz duas noites que a minha madame acorda aos berros no meio da madrugada, só sossegando depois que eu acendo a luz (detalhe: dormimos com um ponto de luz no quarto) e a abraço bem forte. Ontem chegou a tremer de medo. Tudo bem que temos gatos que inventam de subir na cama no meio da noite, mas nessas duas noites, nenhum bichano subiu.

Desnecessário dizer que a mãe virou zumbi este fim de semana, né? Aceito sugestões para me livrar do monstro que mora embaixo da minha cama, porque se continuar assim, semana que vem vou entrar nesse quarto armada de vassoura e caixa de papelão pra mandar esse bicho pra Tailândia!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Enfim, sem fraldas

Sim, é lindo. Não, a moça aqui de casa não tem um desses.
Uma semana depois, com a ajuda da escolinha, tenho o prazer de anunciar que meu filhote deu mais um passo adiante em sua vidinha: está desfraldada (de dia, de noite são outros 500).

Gostei muito do jeito que as professoras e monitoras fazem para desfraldar a criança e continuei o mesmo método em casa. Sem stress, sem broncas, sem gritos. Simplesmente respeitando o ritmo de cada criança e levando-a a cada QUINZE MINUTOS para o banheiro e perguntando se queria fazer xixi. Também levo se observar que está apertando o fundilho da calcinha com a mão, porque pedir pra fazer xixi, ainda não pede.

Lembram que em janeiro tentei tirar? Foi muito precoce, ela ainda não estava incomodada com a fralda, então não entendia por que precisava ficar sem. Agora, ela não deixava por a fralda, isso quando não tirava sozinha e corria pela casa. Comprei calcinhas novas, de algodão, do jeito que ela queria, e mandei muitas, mas muitas bermudas extras na mochila para a troca.

Como nada podia ser fácil, ela ainda pegou uma virose no meio da semana, vomitou, teve diarréia, enfim, o caos e voltou para a fralda - mas só no fim da tarde.

E hoje, cinco dias depois do início do desfralde, ela não deixou escapar nenhuma vez e foi bonitinha pro vaso. O engraçado é que ela só faz se eu SAIR do banheiro. Com platéia, não sai nadinha.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Mudanças, mudanças

Ficamos um tempo sem aparecer por aqui porque o carnaval foi bem tumultuado...

A mocinha teve sua quinta (e sexta) crise de asma, sendo que desta vez foi um pouco mais feia do que as anteriores. Só não internou porque eu não a levei pro PS e segurei as pontas em casa (mamães, não façam isso a menos que tenham treinamento adequado!), mas ganhou sua medicação inter-crise, o corticóide inalatório. Faz uma semana que comecei a bombinha nova e tivemos outra crise, mais leve, mas nada parecido com o carnaval.

Começamos novamente o desfralde. Lembram da tentativa de janeiro? Foi um fracasso... ela chorava e gritava no vaso sanitário, então voltei pra fralda. Agora ela quis sair sozinha, não deixou a mamãe colocar a fralda ontem e hoje ficou de calcinha o dia todo na escolinha. Claro que tivemos acidentes, mas nada que uma nova passada na loja de roupas infantis não dê jeito.

E vamos que vamos, que 2012 promete muitas emoções!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...