quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Fraldas de pano?

Comprei desta marca: http://www.fraldasdipano.com.br

Anteontem comecei o teste das fraldas de pano modernas aqui em casa. Antes mesmo da Fofinha nascer, eu já tinha comprado um "kit degustação", com 3 fraldas, só para experimentar, mas já tinha vários depoimentos favoráveis de amigas minhas para me incentivar.

E adorei. Mas ADOREI MUITO MUITO MESMO! Não precisei usar Bepantol, não ficou vermelho e só tivemos 2 vazamentos porque a perninha ficou folgada quando fechei a fralda. Com as descartáveis (TdM, Pampers), só não ficava vermelho porque eu lotava de Bepantol, as que não deixam vermelhas (Pompom Top Confort e Parent´s Choice) são difíceis de encontrar.

É mais caro? No início, é. O investimento, de uma vez só, parece alto, mas não posso esquecer que as fraldas são de tamanho único e reguláveis, então não precisarei mais comprar fraldas pra ter em estoque até o desfralde. Porém, ainda estou usando à noite e para sair.

sábado, 23 de novembro de 2013

Começou cedo

Fofinha linda gosta de ficar no colo do pai puxando os pêlos do braço dele (deve achar engraçado).Até  que sentiu algo parecido em cima de sua própria cabeça. Achou que era igual ao do papai e puxou:

- BUNHEEEEEEEEEEEEIIIIIMMMMM!!!!!

O difícil foi que, com o susto e a dor, ela FECHOU ainda mais a mãozinha e puxou o braço pra baixo, então ficamos naquela tensão de fazer a mocinha abrir a mão e largar os próprios cabelos enquanto chorava cada vez mais.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Coisas legais que existem lá fora 5

A rotina continua, mas desta vez a bebê dorme NO BERÇO (portátil, no nosso quarto, mas dorme no berço) e adormece sem a gente ter que cantar 6547391753 músicas, uhuuu!!!

Desta vez, o papai não foi viajar, mas a mamãe achou uma pessoa que vende coisinhas importadas por precinhos não muito exorbitantes, então deu para fazer mais um post de coisas legais que deveriam existir por aqui (um deles existe, mas a versão nacional sabe ser mais cara do que essa que comprei):

http://www.bump-rider.co.uk
Esta coisinha legal é o Bumprider, uma plataforma com encaixe universal para ser colocada no carrinho de bebê. Para que serve? Para levar a irmã mais velha no carrinho junto com a bebê, oras. A Fofa amou. O pai, nem tanto, porque a haste do carrinho teria que ser mais comprida pra ficar confortável pro adulto.


E este é o Washpod, da Prince Lionheart. Sei que aqui temos o Tummy Tub e outras versões mais em conta (incluindo o bom e velho balde), mas este aqui tem uma almofadinha protetora na base e é rosa.  Facilitou bem a tarefa diária do banho, porque na banheira convencional, a coitada só chorava.

Não teremos reviews de mamadeiras e chupetas por enquanto (e, se depender de mim, não teremos MESMO) porque a Fofinha só mama peitooooooooooo, uhuuu! E engorda que é uma beleza, na última consulta o ganho foi de 53 g/dia!

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

As fraldas

Lembrando mais uma vez que a Fofinha tinha que ter nascido ONTEM, não há 25 dias... estamos aqui enrolados com as fraldas.

Como a previsão era de um bebê bem grande e gordo (afinal, com 34 semanas ela pesou 2690g), quase não comprei fraldas RN e, por causa do repouso, não fiz chá de fraldas. Então começamos a rotina com:

  • 1 pacote grande de Turma da Mônica Huggies Soft Touch RN
  • 1 pacote grande de Parent's Choice RN
  • 1 pacote grande de Pampers Recém-nascido XP
Como a Fofa só usava TdM Soft Touch e Pampers, achei que tava tudo OK. Chegamos a usar 4 pacotes com trocas frequentes.

Até que percebemos que a região onde a fralda pegava estava ficando vermelha, mesmo com Bepantol Baby e trocando várias vezes no dia. Uma dobrinha chegou a ficar em carne viva. Então abri o pacote da Parent's Choice, caprichei no Bepantol e tudo voltou ao normal. Feliz da vida, fui no Walmart comprar mais da fralda que tinha dado certo (e que ainda é mais em conta do que a TdM)... pra descobrir que achar um pacote de fralda RN intacto lá é tarefa pro Ethan Hunt. E não tinha fralda RN de NENHUMA OUTRA MARCA no Walmart do Parque D. Pedro!!! Pior ainda, essa fralda só é vendida no Walmart e pelas lojas físicas, não é vendida online!!!

Saí do mercado e corri pra farmácia mais próxima, onde achei um pacote de PomPom RN (pequeno) e um pacote grande de Pampers Recém-Nascido RN. Até agora, a PomPom não deu alergia, não vazou, consigo achar em qualquer lugar do Brasil, mas achei um pouco mais dura do que a Parent's Choice, TdM e Pampers (tem vezes que acho que estou abrindo um saquinho de mercado por causa do barulho, mas o pai aqui gostou).

Claro, se eu encontrar a Parent's Choice novamente, irei comprar e usar na Fofinha, porque a fralda é muito boa. Agora... pelamordedeus, ou a promoção foi muito boa e as mães invadiram o Walmart feito estouro de manada de elefantes dentro da loja de porcelana ou o povo é mal educado mesmo (tinha UM pacote que já me deixaria feliz, mas algum infiliiiiiiiiiiiiiiiiz abriu o pacote e pegou 3 fraldas, largando o resto na gôndola) ou o Walmart não sabe fazer estoque.

Enquanto isso, vamos de PomPom e Pampers amarelinha :D

domingo, 27 de outubro de 2013

A hora do banho...

... da mamãe.

Uma das coisas que me deixa muito, mas muito irritada, é não tomar um bom banho pela manhã. E um banho completo, com direito a lavar a cabeça e tudo. O problema é como fazer isso com bebê pequeno em casa, ainda mais depois da experiência da Fofa, que berrava se não estivesse no colo de alguma pessoa. Quando tinha gente em casa, tudo bem, mas sempre aparecia algum momento em que estávamos as duas sozinhas.

Mas, como dizem, nenhum filho é igual ao outro. Não sei se estou mais tranqüila desta vez ou se o leite está sendo suficiente, então ela dorme melhor de barriguinha cheia, ou o que, mas estou conseguindo tomar meus banhos na hora que quero, no tempo que quero, só deixando a Fofinha no berço. É só encher a barriga da mocinha, fazer arrotar, colocar no berço e partir pro banho (com a porta aberta, claro, para poder ouvir eventuais choros, que nunca aconteceram nesses 10 dias em casa).

Aliás, hoje fui liberada para dirigir, então fui ao mercado pela primeira vez em 3 meses e meio. Quase morri quando passei as compras no caixa. Como assim, o valor da minha compra DOBROU? A compra foi a mesma, quase não peguei supérfluos, e mesmo assim foi um valor absuuuuurdo! Já avisei marido que teremos que voltar a comprar no atacado, Sam's Club, feiras, produtores locais... Porque só começamos a fazer compras no mercado perto de casa por causa do vale alimentação que eu recebia da prefeitura de Campinas.

E assim, a vida começa a voltar ao normal.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

É como dizem...

... nenhum filho é igual ao outro.

Sério, se a Fofa fosse tão boazinha como a Fofinha, eu teria encarado o segundinho mais cedo. Parece um reloginho, acorda só pra mamar (nem pra trocar o bichinho acorda, a gente tem que ficar fiscalizando pelo cheiro), mama os dois lados e dorme de novo. Claro que ela já trocou o dia pela noite, então de noite faz um showzinho maior, mas nada terrivelmente insuportável como o que aconteceu há 4 anos. O melhor é que, como estou mais calma e já sei o que esperar de um recém-nascido, o leite desce com vontade (e ela mama com a mesma vontade, ainda bem que existe o Lansinoh, hohoho).

E a irmã mais velha tem adorado a novidade. O que ela ainda não conseguiu entender é por que a mamãe ainda não pode dirigir e nem sair pra passear, afinal, a nenê já nasceu. Mas se tudo der certo, até o fim do mês que vem estarei motorizada de novo e pronta pra levá-las pra passear.

domingo, 20 de outubro de 2013

35 semanas e... Não, não, 8 dias de vida.

Três dias depois do último post (isto é, no dia das crianças), a Fofinha resolveu nos dar um susto. Na verdade, o maior susto de nossas vidas.

Na véspera, achei que os movimentos fetais haviam diminuído, então fui fazer alguns exames para ver se estava tudo bem. No USG, estava em posição transversa, pesando aproximadamente 2440g. Movimentos fetais OK, fomos para casa. Nesse dia, as 17:30, comecei a apresentar um novo sangramento, que durou 3 horas, mas era intermitente, vinha.. Parava... Então deu para ficar em casa. Mandamos a Fofa pra noite do pijama na escolinha e pedimos uma pizza com coberturas que ela dificilmente comeria, só para curtir uma noite a sós. 

Mas eis que tive mais um sangramento as 3 da manhã e outro as 8:30. Aí não dava pra ignorar mais. Liguei para a minha GO e fomos para a maternidade, deixando a Fofa com a minha mãe. O atendimento nao demorou, afinal, era feriado e ainda era cedo. Entrei no consultório, ainda crente que faria só um exame de sangue e voltaria para casa, mas quando coloquei a camisola para exames e fiquei de pé, senti uma contração bem forte, daquelas que empurravam a barriga para baixo, e comecou a jorrar sangue. O plantonista fez o exame de toque (especular não adiantaria de nada, não dava para enxergar mais nada), viu que eu estava com dilatação de 1 dedo e me mandou direto para o centro cirúrgico.

Eu nunca vi tanta enfermeira e técnica de enfermagem juntas ao redor de uma maca em tão pouco tempo. Em menos de 10 minutos eu fui tirada do consultório e levada para o centro cirúrgico, onde fui anestesiada (e o sangue escorrendo) e preparada para a cesariana mais rápida que já tinha visto. E passei MUITO mal. Oscilava períodos de consciência e torpor, com muita náusea, vendo tudo acontecer ao meu redor e, pior, SABENDO de todos os riscos que estava correndo e sentindo o desespero da equipe. Logo a Fofinha nasceu, com aquele chorinho fraco de prematuro, e a neonatologista (que era minha amiga, ufa) me avisou que estava tudo bem, mas que provavelmente ela precisaria ficar em observação por causa do cansaço respiratório.

Logo tudo terminou, mas nao sem estar com os dois braços bem furados (pelos acessos venosos e coletas de exames) e um sono monstruoso. Deu para perceber que a coisa foi feia pela expressão de alivio da minha GO quando tudo terminou. Fui levada para a recuperação pos-anestésica (RPA), onde dei outro susto, quando a minha pressão caiu para 6x3 e eu só achei que estava dormindo um soninho muito gostoso. 

No meio da tarde fui para o quarto, mas ainda com dor e sentindo como se tivesse sido atropelada por uma jamanta. Assim que cheguei, meu marido avisou que a Fofinha teve que ser levada para a UTI neonatal por causa do desconforto... e devo confessar que achei melhor assim, porque não estava em condições de cuidar de um recem-nascido. Tudo cansava, não conseguia levantar para ir ao banheiro, minha pressão caiu na hora do banho (e estava sentada em uma cadeira pra banho)...

No dia seguinte fui até a UTI conhecer o meu bebe. Tive vontade de tira-la dali e pega-la no colo, mas sabia que era pro bem dela, porque precisava do oxigênio (e isso porque era o maior bebe da UTI). Não podia mamar e as minhas mamas estavam vazias, me deixando ainda mais angustiada.Até  que, no fim do dia, veio a noticia: as mamadas foram liberadas, a cada 3 horas, complementando com um pouco de leite na mamadeira até que a minha produção estivesse boa. Também precisou entrar na fototerapia, mas isso foi o de menos.

No fim do terceiro dia, eu deveria ter tido alta, mas ainda estava com dor e não queria deixar a minha bebe sozinha no hospital. Foi quando ela foi transferia para a unidade de cuidados intermediários para terminar a fototerapia e eu continuei indo dar de mamar a cada 3 horas - e suspenderam a complementação, porque o leite desceu (e como desceu). No quarto dia, ela teve alta para alojamento conjunto, ficando o tempo todo comigo e com o meu marido... Para termos alta no dia seguinte, depois da coleta do teste do pezinho.

Estamos em casa há 4 dias. E começamos mais um lindo capítulo na nossa vida. :)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

34 semanas, estamos quase lá.

Na verdade, ainda faltam 4 semanas para o dia marcado para a cesária (quem acompanha o blog sabe que eu sempre quis parto normal, mas por causa de uma placenta prévia centro-total, não posso entrar em trabalho de parto de jeito nenhum).

Enquanto isso, vamos nos acostumando aos sangramentos 2 vezes por semana. Pois é, conforme a Fofinha cresce e ganha peso (e chuta a minha placenta, porque não quer virar de jeito nenhum), os sangramentos aumentam. A mala está pronta, agora só falta terminar de arrumar as lembrancinhas.

domingo, 6 de outubro de 2013

Saindo da cama da mamãe (mesmo)

Enfim, depois de 4 anos fazendo a cama compartilhada, a Fofa agora dorme sozinha em sua cama, no quarto cor-de-rosa.

Eu sei que, há alguns posts, já havia falado que ela não estava mais dormindo comigo, mas com a gravidez, tivemos uma recaída e estava adormecendo na minha cama e sendo levada para a cama dela. Só que com o crescimento constante da barriga, isso foi ficando cada vez mais difícil, então um dia conversamos e ela aceitou dormir no quarto rosa.

Claro que ela não dorme 100% sozinha; conto 2 histórias curtas (ou 1 longa), seguro na mão dela e canto algumas cantigas de ninar, até ela dormir. Só então saio do quarto, mas ela sabe que, se chamar durante a noite, o papai irá até o quarto para coloca-la para dormir novamente. Foi a melhor maneira que encontramos, pois se deixássemos para fazer isso depois que a Fofinha nascesse, haveria o risco dela achar que gostamos mais de uma do que da outra. 

Sem contar que é gostoso contar histórias para uma criança dormir. :)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Vai crescendo, vai filosofando

Fofa dentro do armário:

- O que você está fazendo?
- Eu tô nervosa porque não sei tocar nenhum instrumento, nem de sopro, nem de percussão...
- Mas a mamãe só aprendeu depois dos 7 anos.
- Eu queria que tudo na minha vida fosse fácil...

terça-feira, 1 de outubro de 2013

33 semanas e TA CEDO PRA SAIR, MENINA!

Depois dessa gravidez, se alguém perguntar se eu quero o terceiro pra ver se vem um menino, acho que pulo no pescoço.

Motivo? Há dois dias, comecei a sentir a barriga ficando dura em alguns momentos do dia. Como estou no terceiro trimestre, acreditei que eram as contrações de Braxton-Hicks, também conhecidas como "contrações de treinamento", ou seja, não são efetivas para o trabalho de parto, duram pouco e geralmente não doem. Foi o famoso "casa de ferreiro, espeto de pau".

E ontem veio mais um sangramento (mais uma troca de roupa de cama, marido subindo com pano, desinfetante, tendo que limpar TODO o banheiro mais o rastro... melhor parar por aqui), só que depois, a barriga ficou MUITO dura. E doía. Também doía o "pé da barriga" (baixo ventre) e as costas. CÉUS, ISSO NAO SAO CONTRAÇÕES DE BRAXTON-HICKS, eu pensava.

Celular na mão, liguei pra GO e hoje já comecei a tomar nifedipina pra parar essas contrações. Poxa, faltam 4 semanas, pra quem já ficou 3 meses esperando, 4 semanas é ficha. E agora é repouso, repouso e mais repouso, porque so de levantar pra ir no banheiro já dava contração.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Polidrâmnio e dedos que parecem peneira.

Nominho complicado pra definir o excesso de líquido amniótico durante a gestação, né?

Está associado a malformações do Sistema Nervoso Central (SNC) e do tubo digestivo, mas a causa mais comum ainda é o diabetes gestacional. Como todos os ultrassons aqui mostraram que a Fofinha está linda e maravilhosa, ficamos com a suspeita do diabetes gestacional.

O protocolo atual da FEBRASGO orienta a realização do rastreamento universal com uma glicemia de jejum. Se vier acima de 84 mg/dl OU igual ou menor a 84, mas com a presença de fatores de risco, é indicada a realização de uma curva glicêmica (aquele exame suuuuuuuuuuper legal que você faz na clínica, com uma coleta em jejum, aí você toma um líquido mega-doce com 75g de glicose - ainda bem que hoje em dia tem sabor limão - e colhe mais duas amostras, com 60 e 120 minutos pós sobrecarga de glicose), mas somente após as 24 semanas de gestação. 

Só para lembrar, como a minha primeira glicemia de jejum foi de 85 mg/dl, eu fiz a bendita curva glicêmica, que veio normal.

Mas como agora apareceram outras coisinhas (Fofinha com peso estimado em 2189g, percentil 87 de peso, e polidrâmnio), o certo seria fazer novamente... só que quem é que disse que a gente teve coragem de ir pra clínica e ficar 3 horas plantada lá pra fazer o exame, ainda mais com o sangramento intermitente? Vai saber se eu ia acabar sangrando na clínica!



Então adquirimos o mais novo brinquedinho da casa, um medidor de glicose da Johnson & Johnson, o One Touch Mini, que já veio com as lancetas, a caneta para furar o dedo e as tirinhas. Divertido foi fazer os testes sem que a Fofa percebesse que 1) tinha agulha e 2) o dedo da mamãe estava sangrando. Mas deu certo e os resultados desta semana foram normais (exceto o pós-café, mas hoje eu tomei leite com chocolate). Semana que vem tem mais um dia de zumbi, quero dizer, de controle, e a única coisa que penso é "ainda bem que não preciso fazer todo dia". Nessas horas me solidarizo com quem precisa fazer esse controle diariamente.

E daqui a 15 dias já temos outra consulta de pré-natal. Só que tem uma pulga pulando atrás da minha orelha, então vou preparar a mala da Fofinha.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

32 semanas e a sensação de baleia encalhada

Ontem foi dia de ultrassom e mais um dia de Kinder Ovo. Como não podia deixar de acontecer, esse exame também guardava mais uma surpresa.

Primeiro... A mocinha resolveu virar. Só que não foi do jeito que eu queria, porque quando ela fica em posição transversa, fico muito mal, não da nem pra comer direito. O que ela fez foi 1) virar 90 graus anteontem para ficar cefálica e 2) ontem virou mais 90 graus pra ficar transversa de novo, mas com a cabeça para o lado direito. 

Depois, a surpresa veio com o peso da madame: 2189g de peso fetal estimado. PERAI, PASSAMOS DA MARCA DOS DOIS QUILOS??? E ainda temos 6 semanas pela frente, no período de maior ganho de peso fetal??? Manheeeeeeeee!

E, por último, a parte não tão legal assim. Não podia deixar de aparecer o polidramnio, que é quando há aumento do liquido amniotico e pode acontecer por várias causas. Como amanhã já tenho consulta, não vou nem menciona-las aqui para não começar a pensar em minhoca antes do tempo.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Nada mudou.

- Quero fruta.

- Qual fruta? Tem morango, abacaxi, mamão, banana e ameixa.

- Manga.

Existe algum fenômeno comportamental que faça a criança pedir justamente a fruta que não tem em casa??

sábado, 21 de setembro de 2013

O que não fazem...

Semana passada a Fofa foi no shopping com a família do papai pra ver o que ia ganhar de aniversário, já que queria roupas. 

Uma das paradas foi a Lilica Ripilica (sinceramente, como as meninas gostam daquela coala!) e lá ela quis uma camisola que vinha com uma réplica pra ser usada em bonecas. Felizmente, serviu direitinho na Mariana (a boneca de pano)...

Resultado: só dorme com essa camisola e a Mariana tem que estar trocada também. Daqui a pouco a camisola fica em pé, porque não deixa lavar de jeito nenhum.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

31 semanas, quase lá....

Sábado passado foi a festa de aniversário da Fofa, na Brinquedoteca Bumerangue, conforme prometido. Como não havia mais sangramento há uma semana, me aventurei e fui na festa, deixando a mocinha muito feliz porque a mamãe estava lá com ela e porque todos os amiguinhos foram brincar.

(Aí no domingo, aconteceram algumas coisas muito chatas, que não valem a pena serem detalhadas, mas que foram suficientes pra me estressar MUITO)

Evidentemente, depois de uma festa (ta, fiquei sentada, mas só isso já me cansou) e depois de um estresse atrás do outro, incluindo o pai que viajou e demorou pra dar notícias porque o avião atrasou, esta madrugada eu tinha que ter outro sangramento. Aliás, um, não. Três. 

Liguei para a minha GO e ela mandou ir direto pra Maternidade de Campinas para fazer exames e ficar internada (quase surtei), então esperei a Fofa ir pra escola e fui pra maternidade. Chegando lá, cade o sangramento? Todos os GOs pelos quais passei me olharam com aquela cara de "oh céus, maezinha estressada) e falaram que placenta prévia é assim, sangra mesmo, mas entenderam quando falei que a minha GO tinha mandado ir pra maternidade. Depois do ultrassom me liberaram pra casa.

Pois bem, amanhã vou colher os exames de sangue que ela pediu e aguardar a consulta da semana que vem. Foi bom pra ver que a Fofinha ta bem gordinha, 1800g de peso estimado. :) 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Sangue do cordão umbilical - guardar ou doar?

www.estadao.com.br

Quando eu estava esperando a Fofa, ficamos pensando se iríamos guardar ou não o sangue do cordão umbilical. Claro que a gente tem a tendência de sempre procurar o melhor para os nossos filhos, mas vamos confessar que os valores de coleta e armazenamento assustam um pouco e a tecnologia para o uso de células-tronco ainda é muito nova.

E aí, valeria a pena guardar para uso próprio?

Depois de conversar com pessoas da área e pesquisar, já naquela época (há 4 anos), havíamos decidido que NÃO, o custo não valeria o provável benefício, uma vez que não temos familiares de primeiro grau com história de neoplasias (há uma suspeita de linfoma não-Hodgkin no meu sogro, mas ele faleceu de aneurisma roto de coronária antes que fosse possível confirmar o linfoma) e que ainda estão sendo feitas pesquisas para o uso das células-tronco de cordão umbilical. Então, decidimos fazer a doação para o Hemocentro de Campinas, para inclusão no Brasilcord.

As células armazenadas nos Bancos de Sangue de Cordão Umbilical pertencentes ao Brasilcord ficam disponíveis para todas as pessoas que necessitem delas, sendo disponibilizadas através de testes de compatibilidade receptor-doador e, para que a unidade seja usada num transplante, é necessária a repetição dos testes sorológicos da mãe. Ou seja, é a garantia de que, caso a criança não necessite, o sangue não será jogado fora, em vão.

Em Campinas, a captação é feita pelo Hemocentro da Unicamp, em dois locais: a Maternidade de Campinas e o HES - Hospital Estadual de Sumaré. Achei que tinha que ser feito algum agendamento, mas é mais fácil do que eu imaginava.

Na Maternidade, as enfermeiras responsáveis pela coleta ficam no Centro Obstétrico, de segunda a quinta, das 7h às 16h. É só avisar que você quer doar o sangue do cordão que elas vêm e fazem uma entrevista rápida para ver se está apta a doar. E pronto. :) Não machuca o bebê, não machuca a mãe e o sangue vai para o banco público do Hemocentro, para ajudar outras pessoas. 

P.S.: No nascimento da Fofa não deu pra doar... foi cesária de urgência, no meio da madrugada...

P.S. 2: Dúvidas? O INCA responde.

sábado, 7 de setembro de 2013

Como e fácil atrair a atenção das nossas crianças


Hoje, através do Nerd Pai, cheguei ate este vídeo, feito pela Unicef. Nele, um homem coberto de algodão doce vai até um parquinho cheio de crianças. Depois, entrega um panfleto aos pais. Vejam as reações dos pais ao ler o panfleto... e ver que permitiram a aproximação de suas crianças.

É muito fácil atrair a atenção de uma criança. Cabe a nós estar alertas. Sempre.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Tá tomando forma


O quarto da Fofinha vai cada vez ganhando mais cara de quarto de nenê :)

Agora, o engraçado foi ver a quantidade de coisas que eu tinha guardado da época da Fofa. Isso porque eu dizia que não teria o segundo filho...

O que ficou guardado:
  • Berço
  • Bebê conforto com base
  • Fraldas de pano pra usar como toalha
  • Pano de boca
  • Cueiros de flanela (alguns foram do meu primo)
  • Mobile
  • Mordedores
  • Sapatos de bebê
  • Kit berço
  • Lençóis e fronhas
  • Travesseiros
  • Banheira com suporte
  • Trocador
  • Mamadeiras
  • Carrinho
  • Moisés
  • Mala
O que teve que ser comprado: 
  • Roupas RN e P
  • Fraldas (descartáveis e de pano)
  • Mei tai
  • Sabonete
  • Lenços umidecidos de RN
  • Shampoo
Ou seja... falta pouco!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Vacina contra varicela (catapora) no SUS!

Demorou, mas chegou! Prometida desde 2012, a vacina contra varicela (ou catapora) enfim chega ao SUS, acompanhada da nossa já conhecida tríade sarampo-caxumba-rubéola (SCR). Agora, aos 15 meses, será aplicada a TETRA VIRAL, na época que seria recomendado o reforço da SCR.

Também houve mudanças no calendário vacinal da Sociedade Brasileira de Pediatria; as vacinas recomendadas com 5 anos (reforço Sabin, DTP e meningo C) podem agora ser feitas no intervalo entre os 4 e 6 anos. Aqui em casa faremos o reforço so no ano que vem, pois com a mamãe de cama, qualquer vacina tornou-se um drama muito complexo de ser resolvido.

Para saber mais:


Cade soninho?

As vezes esqueço que não posso comemorar muito que ALGO acontece. Na noite do penúltimo post, sangrei de novo e voltei pro repouso (e pra progesterona e seu mais novo amigo, o Noripurum. Além disso, amanha ganho mais uma picada no lombinho).

O chato é que tudo isso sempre acontece na madrugada! Resultado: quem foi que disse que consigo dormir a noite? Troquei quase que totalmente a noite pelo dia, só consigo dormir durante o dia, porque o medo de que algo ruim aconteça me tira o sono.

E não me digam que isso é treinamento pros primeiros meses de vida da Fofinha!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

É febre??


Hoje, no grupo de discussão das Mães Amigas, rolou uma conversa mais acalorada sobre um bebê pequeno com febre. Não vou entrar em detalhes, mas serviu para me lembrar de uma coisa muito importante e que eu costumo sempre falar para as mães durante a primeira consulta de seus bebês (onde trabalho, essas consultas são mais longas, com duração de 40 minutos):

Afinal, o que é febre?

Parece besteira, né? Oras, todo mundo sabe o que é febre. Só que, ao conversar com amigas, mães de pacientes, avós, tias, o que percebi é que não, nem todo mundo sabe o que é febre. Por isso existem tantas reclamações de que o "pediatra não faz nada com essa febre".

Primeiro, a febre em si não é uma doença. Ela é sinal de que algo está fazendo mal para o organismo e que esse "algo" está sendo duramente combatido pelo nosso sistema imunológico. Quando temos febre, há o aumento de varias reações imunológicas e a migração mais acelerada de vários tipos de células brancas (os leucócitos) para o local da infecção. Por isso não é recomendado o uso de antiinflamatórios em crianças abaixo de 14 anos em casos de febre, indiscriminadamente.

Claro que também não vamos deixar a criança febril, pois dá dor no corpo, fica jururu, molinha... então podemos usar os antitérmicos ou antipiréticos nas doses recomendadas pelo pediatra.

E como a febre não é uma doença, mas um sinal dela, precisamos dar um tempo para que hajam outros sinais que possibilitem o reconhecimento da doença, EXCETO QUANDO A CRIANÇA TEM MENOS DE 28 DIAS DE IDADE, pois como o sistema imunológico dos neonatos é muito imaturo, qualquer, repito, QUALQUER febre pode ser sinal de uma doença muito séria, como meningite, e   mesmo uma infecção urinária pode levar um RN para a UTI por infecção generalizada. Outro momento em que não se deve esperar, mesmo em crianças grandes, é quando mesmo depois da febre ter abaixado com o uso de remédios, a criança continuar muito quieta, largadinha ou vomitando sem parar.

Segundo, febre é definida quando a temperatura axilar está igual ou maior do que 37,8ºC. Antes disso, a temperatura está NORMAL. E, por mais que você confie na sua mão, o ideal é MEDIR a temperatura com o termômetro.

Terceiro, tenha calma. Se tiver dúvida, entre em contato com o pediatra da criança ou leve-a ao pronto-socorro mais próximo para avaliação. Lembre-se que nada é mais desesperador para uma criança do que ver sua mãe chorando.


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

28 semanas e só engordando

O papel de parede do quarto da Fofinha
Dei uma sumida e o principal motivo disso é que, embora o repouso continue, ele já não precisa ser tãaaaaaao absoluto como antes. Estamos há 3 semanas sem sangramento (de nenhum tipo) e, depois da consulta de ontem, fui liberada para me locomover dentro de casa (mas sem ficar no sobe-e-desce de escadas) e até para dar uma volta no shopping (de scooter ou cadeira de rodas).

Enquanto isso, os preparativos continuam a todo vapor. O quarto da Fofinha já está pintado, com papel de parede, berço montado e armário consertado, o quarto da Fofa já ganhou sua escrivaninha e o meu agora tem uma MEGA estante para que eu possa enfim guardar as minhas bolsas de trabalho e os trocentos livros que se acumulam em pilhas no escritório. 

Agora que o armário está no quarto certo (antes estava no quarto da Fofa), vamos começar a lavar as roupas e arrumar o que já foi comprado. Mês que vem vou encomendar algumas fraldas de pano para ver como são e decidir se realmente iremos usá-las, mas preciso ter um pequeno estoque de fraldas RN descartáveis para levar na maternidade e para os primeiros dias.

Na consulta do mês que vem definiremos A DATA da cesária (porque até agora, a placenta continua láaaaa embaixo). 

E acho que logo também chegaremos em 100.000 visitantes! Teremos surpresa pros/as seguidores! 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A fuga 2

Por mais que eu tenha ajuda em casa e seja muito grata a isso, existem coisas que só a gente pode fazer... como comprar lingerie pra gestante. Ainda mais porque a loja onde costumo comprar não faz troca de calcinha, então eu tinha que sair para poder ver e escolher.

O shopping escolhido, pela proximidade de casa, foi o Parque D. Pedro. Pesou também na escolha o fato do local de empréstimo de scooter ser bem próximo a uma das entradas e o fato de NÃO ter escadas na área das lojas. Pena que, quando chegamos, todas (sim, TODAS) as scooters estavam recarregando as baterias. Ainda bem que tenho um marido atencioso e prestativo, porque fomos de cadeira de rodas mesmo.

Felizmente, os únicos problemas que tivemos foram com as manobras radicais (nem sempre ele se lembrava que os meus pés chegavam antes de mim nos obstáculos), todos os funcionários das lojas que fomos foram simpáticos e prestativos e o horário que fomos ajudou bastante, porque estava quase vazio. A única parte "desagradável" foi na chegada na Le Biscuit, quando duas mulheres acompanhadas de uma criança me viram na cadeira, viraram de costas, fingiram que não me viram e BLOQUEARAM um dos corredores entre as gôndolas. Não foi um problema porque a loja estava vazia, então foi só manobrar a cadeira e ir para outro corredor, mas deu pra notar que elas pararam de andar assim que me viram chegando e ficaram uma do lado da outra, fechando a passagem. Coisa feia de se ensinar pra criança...

Saldo de hoje: lembrancinhas da Fofa terminadas, saquinhos de celofane pra embalar os presentes do dia dos professores comprados, gaveta de lingerie atualizada, muitos livros legais para ler, barriguda alimentada, feliz e cansada.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A fuga

Depois de escrever o último post, mandei um email para a minha GO e ela me autorizou a dar umas escapadinhas de vez em quando. Sem dirigir, óbvio, mas poderia mudar um pouco de ambiente.

A Fofa amou. Quis tomar banho pra ficar bonita pro almoço, colocou um vestido do jeito que queria e ate escolheu o restaurante (com área kids, que não sou nem besta). Brincou, comeu, cantou, tomou sorvete de sobremesa e voltou no táxi agarrada na vovó e na mamãe. A noite, capotou na cama. E eu também.

O difícil foi que, como estive mais deitada do que sentada nas últimas semanas, não me acostumei com o tamanho da barriga, então fico com falta de ar (por pura falta de espaço) se fico sentada sem inclinação nas costas por muito tempo. Mas acho que podendo ficar mais em pé ou andando um pouquinho, isso vai melhorar.

sábado, 17 de agosto de 2013

Quero sair!!!!

Eu sempre me considerei uma pessoa razoável (hein?) e, depois do nascimento da Fofa, me tornei muito tolerante com vários pedidos das mães em consideração ao tratamento de seus filhos. Deu mamadeira porque não conseguia mais dormir de tanto que o bebê chorava? Tudo bem (só não coloque leite de caixinha dentro dessa mamadeira!)... A vovó deu chá de camomila por causa das cólicas? Tudo bem, mas não de adoçado, muito menos com mel (claro que explicava que a coitada da camomila não ia fazer lhufas nessa cólica e que não era pra dar de novo)... a única frase que eu ainda não posso ouvir é "não trouxe antes na consulta porque estava trabalhando e agora sobrou um tempinho pra cuidar dela/dele".

E por que me lembrei disso hoje? 

Porque quando estava na faculdade, no estágio da obstetrícia, havia uma gestante em situação pior do que a minha. No caso dela, o colo do útero não estava fechado o suficiente para segurar a criança, então não podia levantar nem para ir ao banheiro e a cama tinha que necessariamente ficar em decúbito de Trendelemburg (o famoso "pé pra cima"). A cerclagem (pontos que são dados para fechar o colo) havia falhado e o risco de parto prematuro era imenso. Ou seja, não podia nem ir para casa, tinha que ficar internada até o fim da gravidez. Só que ela já tinha 2 filhos pequenos. E ERA A ÉPOCA DA PÁSCOA! E o marido era caminhoneiro, ou seja, se fosse pra casa, ficaria sozinha com as crianças e a casa pra cuidar! Não dava para ser razoável nessa situação, ela tinha que ficar no hospital e só chorava e fazia seu crochê. Até tentamos "contrabandear" as crianças para dentro do quarto (ah, se soubessem o que já fizemos por causa dos pacientes...), mas nada adiantava, ela queria SAIR DAQUELE QUARTO E IR PARA CASA.

E hoje foi a minha vez de chorar a "alforria". Não quero fazer trilha, nem dirigir (até porque a minha carteira  venceu nesse período de repouso), só quero poder pegar um sol no quintal e sair pra comer fora em um desses lugares novos e legais que abriram enquanto eu estava de molho (Tico Tico no Fubá e Café Famille). Claro, também quero poder ir na festa de aniversário da Fofa... 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Os pontos do cartão

Se tem uma coisa que eu uso bastante são os pontos do cartão de credito. É, aqueles que muitos usam para juntar milhagem pra viagens aéreas, só que eu nunca junto o suficiente para tirar uma passagem (e vamos falar a verdade, os horários que aparecem são pavorosos pra viagem com criança pequena) a tempo, os meus pontos vencem antes disso, então tiro em produtos mesmo.

Até agora nunca me arrependi. Já resgatei torradeira, sanduicheira grill, sabonete da Natura, brinquedo pra Fofa... e agora, que os meus pontos do Multiplus estavam vencendo, descobri que a loja Ponto Frio do Multiplus Fidelidade aceita resgate até pra fralda! E como não estou fazendo estoque de fralda (porque vou usar de pano), mas não sou doida de leva-las pra maternidade, aproveitei para resgatar um pacote de Pampers RN, uma toalha de banho pra bebê e um DVD da Moranguinho pra Fofa. Pelo menos não são pontos perdidos. :)

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

26 semanas e a dor no lombinho

Hoje completamos 26 semanas de gestação (6 meses e meio), dia de ir até a UBS para tomar a primeira das duas doses de betametasona injetável. 

Por que a betametasona? Porque como há um risco aumentado de parto prematuro em gestantes com placenta prévia (aquele cenário: mãe está sangrando absurdamente, bebê já tem condições de viabilidade, vai pra cesaria de urgência pra salvar os dois), o melhor é já tomar o corticoide para induzir a maturidade pulmonar fetal. Não quer dizer que "oh, tomei corticoide, então o meu bebê não vai ter nenhum problema se nascer prematuro", mas as chances do RN ter dificuldades respiratórias irão diminuir consideravelmente. A recomendação atual é a aplicação de 2 doses de betametasona, separadas por 24 horas, no período entre a 24a e a 34a semana de gestação, caso haja um risco aumentado de parto prematuro.

Claro que aqui torcemos para que não haja mais nenhuma surpresa e que a Fofinha nasça só depois da 37a semana. ;)

Mas como seguro morreu de velho, já tomei as duas primeiras ampolas no lombinho. Amanhã tem mais.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Caindo do cavalo

Como estou ainda no modo "chá de cama", dependo de terceiros para tocar a minha casa e as coisas da minha família. E isso inclui o aniversário da Fofa e as lembrancinhas de maternidade da Fofinha.

Então, no fim do mês passado, já encomendei as lembrancinhas do aniversário, as de maternidade e a placa da porta. Tudo pela internet. As coisas da Fofinha foram encomendadas de sites que eu não havia comprado antes, mas se desse chabu daria tempo de pesquisar e comprar outras coisas (afinal, nasce em novembro); já as lembrancinhas da Fofa decidi comprar do mesmo fornecedor que fez os squeezes personalizados do aniversário de 1 ano, pois o tempo aqui era mais curto.

Adivinhem QUAL não chegou até agora (falta 1 mês pra festa) e qual não responde os meus emails e não atende o telefone?

Pois é... a placa chegou há 1 semana (feita pela CKA presentes, intermediado pelo site Elo7), isso porque o tamanho era especial e a placa teve que ser encomendada do fabricante, as lembrancinhas de maternidade estão a caminho (feitas pela Baby.art.br), já estou até com o código de rastreio dos Correios.

O resultado é que acabei de comprar alguns artigos as pressas para conseguir montar as sacolinhas surpresa a tempo e ainda vou precisar de ajuda da minha mãe para comprar as porcarias guloseimas pra rechear tudo. Não dá mais tempo de encomendar nada personalizado porque o prazo mínimo de quase todos os sites é 20 dias + transporte, que mesmo por SEDEX, não daria tempo.

Daqui a pouco vou tentar ligar de novo. Ai que raiva.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Só comendo e só crescendo

Para ter uma idéia de quanto tempo já estou de repouso trancada nesta casa (bom, só no quarto já foram 3 semanas), passei do status "gravidinha" para "barriguda". Minhas camisetas não servem mais (até entram, mas fica aquele dedo de barriga pra fora), só tenho calças pra usar porque fui surtada e comprei 4 enquanto nem barriga tinha (3 na Riachuelo e 1 caríssima, mas boa pra trabalhar, na Pra Mamãe), pijama, só 3 me servem e não é raro o dia em que afano as camisetas G do marido. A Fofa acha a barriga da mamãe linda e dá beijinho na irmazinha todo dia antes de dormir.

Lógico, para a barriga crescer assim, eu tenho que estar COMENDO a altura. :) Marido traz todas as refeições pra mim no quarto (moro em sobrado...), o café da manhã até que é modesto, mas os PFs do almoço e da janta são dignos de nota. Até achei que era exagero, mas eu como tudinho, com direito a sobremesa. E a Fofinha adora, porque TRÊS HORAS DEPOIS de cada grande prato, ela pula enquanto a minha barriga faz "GRAUUUUUUU" pedindo mais comida. Ainda assim, o comprimido polivitaminico sagrado desce todo dia pela goela.

O bom de tudo é que realmente parece que vai tudo pro bebê. Continuo com a mesma cara, o mesmo corpo, só a barriga (e o peito) que cresce. 25-26 cm de altura uterina, coisa boa...

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

25 semanas e arrumando as roupas da Fofinha

As semanas passam e eu continuo aqui nesta cama, então o jeito é ficar inventando coisas para fazer (só espero poder sair daqui pra ir no aniversario da Fofa e na feira de gestantes do Iguatemi em setembro). Como já assisti muito Netflix, Crunchyroll e estou jogando Hay Day a todo vapor, hoje a bola da vez foram as roupinhas. Tenho uma quantidade considerável, mas todas sem lavar e com a etiqueta de preço (afinal, geralmente as barrigudas só fazem isso após a 30a semana...).

Não posso negar que, as vezes, dá medo de estar exagerando, mas nessas horas eu me lembro de um fim de semana, Fofa com 1 mês e meio, um sol de rachar e a babá de folga. Era uma fralda de cocô... uma muda de roupa. Uma fralda de xixi... outra muda de roupa. Resultado: em 5 horas (das 6 da matina as 11), eu tinha usado TODAS AS ROUPAS DA CÔMODA. Sim, minha filha só tinha mais UM body para usar o fim de semana todo. E não, ela não ficava no carrinho tempo suficiente para que eu pudesse lavar e passar as roupas, muito menos no colo do pai.

Liguei chorando pra minha mãe, que voou até a minha casa pra lavar as roupinhas, por pra secar, esperar, passar e me deixar mais tranqüila enquanto o bebe continuava feliz no colo, só de fralda.

Claro que também não vou comprar o estoque inteiro de uma loja, vou esperar pra ver se a Fofinha vai no mesmo ritmo da irmã mais velha (e agora, se resmungar, largo no carrinho com a Fofa olhando, hohoho), mas acho que a quantidade que temos agora é um bom começo.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Para alegrar a vida

- Vovó, por que a nene ta tomando todo o corpo humano da minha mãe?

- Titia, acho que é melhor a mamãe dar a nene pra você...

Olha o ciúme chegando...

domingo, 4 de agosto de 2013

Os riscos

Eu sei que o meu humor vai começar a se alterar, agora que tenho uma previsão de repouso por pelo menos 60 dias (mas que sei que, na verdade, será até o dia do parto), ainda mais se parar para lembrar que, um pouco antes do afastamento, a psicóloga havia mudado o foco da terapia para evitar o "blues puerperal" que tive após o nascimento da Fofa. Claro que o fato da ex-empregada de casa ter ameaçado entrar na justiça contra a gente e o fato da Fofa chorar compulsivamente se estivesse fora de algum colo ajudaram muito a deixar o meu humor muito perturbado, mas hoje vejo que nem isso me impediu de tentar uma segunda (na verdade, terceira) gravidez.

O problema desta vez é a impressão (um tanto real) de que a coisa é bem mais seria. Claro que ficar deitada para evitar um possível parto prematuro já é uma coisa bem seria, mas agora existe um risco real nos sangramentos e existe uma pessoinha que é a razão da minha vida. Isso ficou bem claro pra mim na internação, quando vi a minha taxa de hemoglobina (Hb) despencar de 13 para 11,5 em menos de 5 minutos, e ainda mais há 4 dias, quando comecei a me sentir tonta ainda deitada. Foi só levantar para ir ao banheiro que um grande coágulo se desprendeu e perdi mais meio litro de sangue (aproximadamente, não tenho como ter certeza dessa quantidade). Ou seja, eu já estava com esse meio litro a menos na minha circulação sangüínea, mas o coágulo estava retendo isso no útero. Como o sangramento parou rápido, não fui ao hospital, mas precisei de 500 ml de Rehidrat e mais 1 litro de água para conseguir ficar de pé sem sentir tontura.

No fim do mês terei outra consulta, será quando pegarei as guias para os exames de terceiro trimestre e mais um ultrassom. Espero que, até lá, não haja mais sustos e que a placenta tenha subido um pouco, porque se estiver em cima do segmento, que é onde é feito o corte na cesariana a Pfannestiel (o corte na linha do biquíni), ou teremos fortes emoções no parto ou teremos que mudar os planos para uma incisão maior. Na dúvida, entraremos com reserva de sangue...

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Ainda de molho

A tal da placenta 
Hoje fui em mais uma consulta de pre-natal (seria amanhã, mas teve uma desistência e conseguiram me encaixar no horário da tarde), tudo ótimo com a Fofinha, mamãe engordando dentro do normal, mas...

... continuo de molho. E desta vez, o atestado já é para 60 (sim, SESSENTA) dias, de molho, porque há o risco de novos sangramentos caso eu volte a andar. Claro que na próxima consulta vou chorar para poder ir no aniversário da Fofa, prometendo ficar bem sentadinha.

E daqui a duas semanas ainda vou ganhar duas injeções de Celestone Soluspan (betametasona de depósito, para auxiliar na maturidade pulmonar da Fofinha), porque gestantes com placenta previa  têm  maior probabilidade de evoluir para parto prematuro. Ou seja... vou entrar na agulha. >O

terça-feira, 30 de julho de 2013

Quando a culpa começa a pesar nos ombros

Não posso me queixar (muito) da vida. Tenho um marido carinhoso, uma sogra atenciosa, uma cunhada amiga, um sobrinho lindo e fofo, uma mãe sempre presente e uma filha linda, fofa, inteligente e, apesar de sua idade, compreensiva, mas agora, que estou quase completando 1 mês de repouso (e uma semana e meia de reclusão neste quarto, só sai ontem para o ultrassom morfológico), o grande, "muito mais maior" monstro da culpa começou a pedir um espacinho aqui na minha cama.

Quinta recomeçam as aulas da Fofa. Estou quase me descabelando por não poder arrumar sua mochila, ver se ainda tem o creme hidratante e o sabonete liquido para atopia, ler a agendinha e ver se há algum detalhe a ser providenciado antes do reinicio das aulas, colocar as meias que ela gosta, o uniforme para troca, a toalha de banho e a de rosto, o lençol com elástico para a soneca da tarde. Também tem o aniversário dela, já marcado, já pago desde abril, mas sem as lembrancinhas, que estou tentando encomendar desesperadamente pela internet. E não poderei entregar os convites com ela...

Sim, eu sei que o pai pode e vai assumir essas funções. E que a minha mãe e a minha sogra estarão por aqui para ajudar no que for preciso. Mas eu sou uma mãe meio... hm... possessiva (acho que esta  é a melhor palavra para isso), sempre fiz tudo o que precisava ser feito e não estou acostumada a ficar só deitada. Pelo menos, não com uma baixinha de 3 anos pedindo "mamãe, mamãe, mamãe".

Ainda bem que as roupas da Fofinha já estão separadas para serem lavadas. Só acho que não vou esperar o mês de setembro para fazer isso, acho que já vou pedir para a empregada fazer isso assim que o armário do quarto novo ficar pronto. Seguro morreu de velho.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Vacinas - quando NÃO dar

Não é de hoje que escuto isso e acho que nunca vou parar de ouvir. Seja no trabalho ou conversando com as amigas, o tema "vacina" sempre aparece, junto com o "não pude dar a vacina porque estava doente".

Existem algumas contra-indicações para vacinação e vou lista-las aqui. Vocês vão perceber que a FEBRE não se enquadra nas contra-indicações absolutas, que são aquelas que sempre devem ser obedecidas, pois a aplicação da vacina nessas condições fará mais mal do que bem. RESFRIADO, por outro lado, não aparece em nenhum tipo de contra-indicação.

CONTRA-INDICAÇÕES ABSOLUTAS

Para vacinas de vírus vivo atenuado ou bactérias atenuadas:

  • Imunodeficiencia adquirida ou congênita
  • Em tratamento com doses altas de corticoides
  • Gestantes
CONTRA-INDICAÇÕES RELATIVAS (recomendado o adiamento da vacinação)

  • Até 3 meses após o tratamento com doses altas de corticoides ou imunossupressores
  • Uso recente de imunoglobulina, transfusão de sangue e/ou hemoderivados
  • Durante a evolução de doenças agudas febris GRAVES, para que seus sinais e sintomas não sejam confundidos com reações adversas das vacinas
FALSAS CONTRA-INDICAÇÕES

  • Doenças comuns, como resfriados, alergias (não aos componentes da vacina), doenças de pele, diarréia leve ou moderada
  • Uso prévio de antibióticos
  • Desnutrição
  • Baixo peso ao nascer e prematuridade (exceto BCG)
  • Internação hospitalar
Fonte: ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/imuni/7imuni_contraindica.pdf


sexta-feira, 26 de julho de 2013

Morfo o que?

Se tudo tivesse corrido conforme o planejado, segunda passada era o dia de fazer o ultra-som morfológico de segundo trimestre (como deu chabu, fiz um obstétrico normal mesmo, só para ver se estava tudo bem).

O ultra-som morfológico é realizado da 20a a 25a semana de gestação e serve para ver se nao há nenhuma malformação nos órgãos do bebe. É a ecografia mais demorada, por ser mais detalhada e vê o cérebro, o coração (pode incluir um doppler), os rins, além da medição da circunferência cefálica e o exame da placenta. Se a placenta ainda estiver baixa, a partir de agora dá para dar o diagnóstico definitivo de placenta prévia e programar a via de parto, pois as chances da placenta subir até o termo diminuem muito (mas existem).

E continuamos todas bem. Como não posso sair do quarto (só levanto para ir ao banheiro), vou aproveitando para pesquisar as lembrancinhas do nascimento... ainda bem que o enxoval está completo.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Mandando criança pro pediatra... com o pai

Vamos só esclarecer uma coisa: eu confio na capacidade do pai da minha filha em leva-la ao pediatra. Simplesmente, até hoje, nunca precisamos disso, porque eu sempre consegui marcar as consultas para um horário que eu podia ir, mas hoje não deu. Primeiro porque eu continuo de repouso absoluto nesta cama. Segundo, porque já ta mais do que na hora dos dois irem sozinhos.

Então vamos aproveitar para recapitular o que se deve levar na consulta:

  1. A criança. Linda, fofa e maravilhosa, devidamente agasalhada porque hoje ta parecendo que a minha casa virou iglu.
  2. A carteira de vacina. Nao importa que esteja em dia, não importa que a pediatra já tenha visto a carteira trocentas vezes, é pra levar, e ele vai levar.
  3. A lista da mamãe com as coisas importantes que devem ser ditas na consulta. Ainda mais porque não é ele quem sempre levou.
  4. A carteira do convênio e a certidão de nascimento. Ok, é a cara do pai. Mas os olhos são puxadinhos. Sem documento, quero ver alguém aceitar o fato de que ele é o pai de uma japinha.
E oremos :D

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Recuperando

Enquanto me recupero do susto e da anemia que se instalou depois do sangramento (pior que o ferro até ajuda, mas não resolve 100%, porque não é anemia por deficiência de ferro, mas por perda de sangue), não tenho muito a fazer a não ser procurar as lembrancinhas pro aniversário da Fofa e pro nascimento da Fofinha. Felizmente, o enxoval já estava pronto e as obras do quarto estavam por conta da Okna Arquitetura, que começam as obras na semana que vem para estar tudo prontinho até outubro.

A Fofa queria o quarto ROSA, com o mesmo papel de parede, porque "a minha irmazinha vai ADORAR rosa". Não tenho duvida nenhuma disso, mas dois quartos rosa é pra matar qualquer mãe. Então escolhemos um papel de parede branco com bolinhas coloridas e uma faixa com o alfabeto. Vamos usar o mesmo berço, o mesmo armário, o mesmo trocador e o mesmo kit berço, já que a Fofa esta dormindo na cama (quando lhe convém).

Então, semana que vem começa o grande caos nesta casa, com as instalações, pintura, papel de parede, ar condicionado, berço, armário... Mas tudo dará certo :)

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O grande susto

No sábado, tudo parecia ser uma noite qualquer, como das muitas que já tinham acontecido nesta casa. A Fofa deitou comigo, pediu historinha da Branca de Neve, ouviu tudinho, riu, me deu um abraço e um beijo beeeeeeem gostoso e...

... deu tempo só de correr pro banheiro e mandar marido tirar a criança do quarto. Transformei o meu banheiro numa cena digna de CSI, jorrava sangue e coágulos como eu numa havia visto na minha vida. De lá mesmo comecei a ligar pros serviços de urgência enquanto meu marido procurava um vizinho e tentava chamar um taxi, porque naquele momento, iria com o mais rápido.

Claro que, num sábado a noite, não tinha nenhum vizinho em casa. A Unimed Help me deixou pendurada ouvindo musiquinha e o famigerado "você será atendido em breve" e NENHUM TAXISTA  quis sair do ponto quando meu marido disse que era uma urgência médica, falaram pra chamar o resgate porque não queriam sair do ponto e, se a ambulância chegasse antes deles, perderiam a corrida e o lugar na fila!

Foi então que consegui ligar pro SAMU 192 e fui atendida em menos de 3 minutos. Em 40 minutos a viatura intermediária estava na porta da minha casa (só não chegou antes porque se perdeu no caminho), me atendeu, deitei na maca e saímos a procura de uma maternidade. 

Fui pra Maternidade de Campinas, onde fui rapidamente e muito bem atendida, já com uma boa melhora no sangramento, mas ainda assim fiquei internada por  dois dias.  Já estou em casa, mas agora não posso colocar nem o pé pra fora do quarto, exceto nos dias de exame e consulta. Minha Hb despencou de 13 para 11, agora o jeito é comer direito pra repor tudo.

E a Fofinha continua engordando :)

sábado, 20 de julho de 2013

O Kinder Ovo continua recheado de surpresas

Já ouviram falar de lobo acessório da placenta ou lobo sucenturiado? Não? Pois eh, eu também não.

Mas foi isso o que apareceu no ultrassom que fiz ontem, depois de um novo sangramento (e isso porque já estava tudo pronto pro meu retorno ao trabalho).

E o que raios eh isso (ja que o próprio GO que me atendeu ontem - que eh meu amigo - disse que eh "exótico"? Bom, diz o tio Google, através do livro "Assistência Obstétrica", de Diane Fraser, que essa coisa de nome estranho eh um pequeno lobo extra presente na placenta, separado da parte primcipal, ligado a ela por vasos sangüíneos que passam através da placenta para alcança-lo. Alguns estudos mostram uma incidência de 5% nas gestações, mas outros discordam disso. Ou seja, o famoso mato sem cachorro.

O engraçado eh que a maioria dos livros que consultei mostram o lobo sucenturiado como uma das causas de hemorragia pos-parto ou periparto, nenhum deles o mostra como causa de sangramento de segundo trimestre (mas aqui, pelo jeito, eh tudo muito diferente...) 

Bom, a boa noticia eh que a placenta não eh centro-total, mas marginal. Outra boa noticia eh que ainda há chances dessa placenta e seu rabico subirem até a 37a semana, possibilitando o parto vaginal. A má noticia eh que continuo de repouso... Mas hoje as crianças foram para o cinema, então tenho um pouco de paz e sossego. :)



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Vai crescendo, vai elaborando as pérolas...

Tentando ensinar lógica para a criança:

Mãe - Se a cenoura é mais dura do que a batata, quem tem que entrar primeiro na panela?
Fofa - A água.

Mãe - PARA de roer unhas!
Fofa - Não estou roendo unha, estou fazendo carinho no dedo com a boca.

Mãe - Dois sucos é demais, vai chover na cama.
Fofa - Não, mamãe, eu vou tomar sentada no sofá, não deitada na cama.
Pai - Mamãe quis dizer que você vai fazer xixi na cama.
Fofa - Não, mamãe, xixi eu faço na privada, não na cama.

E tem só 3 anos... >.<

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Coisas legais que existem lá fora 4


A outra parte do enxoval chegou semana passada dos EUA. ADOREI essa manga do body da Carter's! A ponta da manga é reversível, então dispensa o uso de luvinhas! Brazucas, fica a dica!

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Protetor solar

Mamãe Pediatra de cama, é hora de colocar os assuntos em dia e voltar a estudar (e a blogar). Como estamos no inverno, mas o sol não dá trégua de jeito nenhum, vamos falar um pouco de FOTOPROTEÇÃO na infância.

Primeiro, vamos a alguns conceitos básicos:

- Fototipo: é a cor da pele e sua reação à exposição solar, levando em conta a quantidade de melanina e sua facilidade de queimar/bronzear.

- UVA: é a radiação envolvida no envelhecimento da pele, mas também no desenvolvimento de câncer.

- UVB: é a principal responsável pelo vermelhidão (o famoso "pimentão" ou "camarão), pela queimadura pelo sol e pelo desenvolvimento de câncer.

Câncer de pele e exposição UVA/UVB: Existem 3 tipos principais de câncer de pele: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma. São associados a exposição UV intensa e esporádica (queimadura), produzida principalmente pela UVB e a exposição solar crônica (bronzeado), produzida principalmente pela UVA. A queimadura solar na infância pode expor a um risco 3 vezes maior de aparecimento de melanoma e a exposição solar excessiva aumenta o número de nevos melanocíticos adquiridos (as pintas).

E quais são os fatores de risco para câncer de pele?
  • cabelos loiros ou ruivos
  • olhos claros
  • sardas
  • pele clara
  • parentes que tiveram câncer de pele
  • exposição solar excessiva
Fora esses, existem outros fatores de risco para melanoma em crianças, mas o ÚNICO que pode ser modificado é a exposição solar excessiva.

Para se proteger e proteger nossas crianças, vale sempre lembrar as regrinhas básicas:
  • evitar o sol entre as 10 e 15 horas ou entre as 11 e 16 horas (horário de verão)
  • usar roupas e bonés adequados
  • óculos com proteção solar
  • filtros solares com FPS 30 ou mais
  • proteger-se em dias nublados
  • proteger-se mesmo com a pele bronzeada.
As roupas geralmente tem fator de proteção ultravioleta (FPU) entre 2 e 12. A proteção é maior quanto menor os espaços entre os fios e quanto maior for o peso e a grossura do tecido, bem como sua cor. Cores escuras aumentam a proteção em até 5x, enquanto que roupas molhadas protegem pela metade.

Tipos de protetor solar

FÍSICOS: funcionam como barreira, refletindo os raios UV. Não são irritantes, nem sensibilizantes.

QUÍMICOS: absorvem os raios UVA e UVB, mas têm maior risco de dermatite de contato. São mais aceitos cosmeticamente.

Para usar nas crianças...

- até 6 meses: não é recomendada a exposição solar prolongada, mas banhos de sol de 15 minutos duas ou três vezes pro semana, para fixação da vitamina D.

- de 6m a 2a: protetores 100% físicos (baby ou mineral)

- a partir de 2 anos: protetor solar infantil (kids).

Fonte: SBP Ciência - Fotoproteção para o pediatra. Extraído em 15/07/2013 [http://www.sbp.com.br/sbpciencia/show_item2.cfm?id_categoria=2&id_detalhe=1548&tipo=D


sexta-feira, 12 de julho de 2013

Adoro a curiosidade das crianças

Ainda mais quando elas estimulam a minha criancinha a comer coisas diferentes. Não sei se puxou isso do pai, que adora experimentar de tudo, ou se foi acostumada assim, mas a Fofa de casa dificilmente recusa algum alimento sem colocar na boca. Se gosta da cara da comida ou do nome, melhor ainda. :)

Ontem, a bola da vez foi a ALCACHOFRA. Agora, no Netflix, temos todas as séries infantis do Nickelodeon, então ela se encantou com os Bubble Guppies. No meio de um dos episódios, comentando sobre recheios de pizza, apareceu uma flor diferente. Que ela nunca tinha visto na vida:

Saiu daqui: http://www.idadecerta.com.br
- Mamãe, o que é aquilo?

- É uma alcachofra.

- O que é uma al-ca-cho-fra?

- Uma flor.

- ... e o que se faz com ela?

- É de comer.

- MAMÃE, EU QUERO AL-CA-CHO-FRA! FAZ PRA MIM?

E como explicar pra criaturinha que a mãe nunca viu uma alcachofra inteira na vida, que me dirá cozinhá-la???

Lá vai a mãe ver se tem alcachofra pra entrega em alguma quitanda aqui no bairro... 

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Coisas legais que existem lá fora 3

Enquanto continuo de cama (e acompanhando os absurdos da Dilma e do Ministro da Saúde - mas prefiro me abster de comentários aqui, para não me estressar mais do que já me estressei e pra Fofinha não voltar a pular feito uma pulga dentro da minha barriga), vamos a mais posts bonitinhos.

Marido continua com suas viagens semestrais à trabalho e eu continuo com as minhas listas de compras, hohoho. Como a Fofa já não precisa de tanto creme importado, agora o foco é na Fofinha e na mamãe.

Desta vez a mala do papai veio com:


- Um "canguru" diferente, ou Mei Tai, como é conhecido esse modelo. É inspirado no modo como as mães asiáticas carregam seus bebês, é todo de pano (no caso, lona bem forte), não tem clipes que possam machucar a mamãe e o bebê e o fundamental... as perninhas do bebê ficam em posição fisiológica, como se estivessem SENTADOS, não de perninhas abertas. Aguenta até crianças de 16 kg (o Mei Tai, a mãe já não sei).

- LANSINOH! A abençoada pomada de lanolina HPA para salvar os meus peitos quando a Fofinha estiver  mamando avidamente.

- O creminho carinho da Fofa... em pote extra-grande.

- Meu saturímetro pediátrico cor-de-rosa em formato de pinguim! 

- E um creme hidratante de pêra delicioso da Bath and Body Works. Gosto mais dessa marca do que da Victoria's Secret.

Isso porque parte do enxoval ainda está à caminho...

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Quando não te deixam sair da cama...

... se joga nos serviços de entrega à domicílio! 

Já tinha passado por isso na gravidez da Fofa, mas na época não tinha o blog pra compartilhar com vocês essa experiência. Agora, deitada de novo (mas na MINHA casa, na minha caminha fofinha, com cômoda, tudo ajeitadinho, iPhone com Netflix, hehehe...), tive que redescobrir todo o mundo do delivery.

E adianto que não recebi nada pela propaganda, só que os serviços são tão bons que achei que mereciam destaque.

1) Pão de Açúcar Delivery

Partes boas: tem aplicativo pra iPhone, site na internet, entrega rápida e confiável (fiz a encomenda na sexta, entregaram no domingo, no horário certo)

Partes ruins: de repente, o status do pedido mudou de "encaminhado à transportadora" para "entregue com sucesso" - só que não tinha chegado nada em casa! Liguei no atendimento e me disseram que isso significa que o pedido já está nas ruas. Quase morri do coração. Outra desvantagem é que, mesmo sendo Cliente Mais, etc, etc, tem coisas que não dá pra competir com o Dalben e o Pague Menos aqui do bairro. Pão de Açúcar é assim, não tem marca muito baratinha.

2) Bela Fruta

É uma frutaria local, fica perto do terminal de ônibus aqui do bairro. Para mim, uma das maravilhas do mundo, porque entrega RÁPIDO (pede de manhã, tá em casa antes do almoço), não cobra taxa de entrega, vem com maquininha de cartão e as frutas e verduras vêm mais bonitas do que se eu tivesse ido na loja escolher. Claro, para quem não mora no bairro, não vale a pena, mas a dica que fica é : procure os serviços locais. São mais em conta e de confiança.


Loja de roupas de crianças e adolescentes, da minha amiga Letícia. Ontem foi o dia do enxoval aqui em casa, comprei todas as roupas que precisava pro nascimento e pros primeiros 3 meses de vida da Fofinha. A dica? Procure a loja que traga as roupas para você escolher em casa. :) Reduz o stress. Sério.

E obrigada a todas que me mandaram mensagens de conforto e apoio para mais esse momento difícil deste Kinder Ovo que vos escreve. Terão que aguentar muitos posts nessas próximas semanas...

sexta-feira, 5 de julho de 2013

De cama!

Pois é, justamente quando pensei que esta gravidez seria normal, que eu poderia fazer o enxoval com calma, curtir a barriga, fazer drenagem linfática, limpeza de pele, sonhar com um parto normal...

... eis que vem o fatítico fator de risco CRM + (dizem que cuidar de médico é um horror e pelo visto vou ganhar o apelido de "Kinder Ovo" de novo) e me pôe de cama de novo.

Ontem, estava trabalhando normalmente, fui ao banheiro e... sangue. Pouquinho, mas ainda assim era sangue na calcinha. Não poderia ser da nidação, afinal, já estou com 20 semanas, então respirei fundo, atendi mais uma criança e voltei pro banheiro. De lá, corri pra bolsa, peguei o cartão de pré-natal e pulei pra dentro da recepção da ginecologia. A GO me atendeu no intervalo das consultas e só não caí dura quando ela me mostrou a gaze empapada de sangue porque já estava deitada. Conseguir um ultra-som pelo convênio, mesmo com a guia autorizada, seria pedir demais pro barbudo lá de cima, então ela já ligou pro hospital (que fica em frente ao posto onde eu estava - valeu, barbudo!) e conseguiu um ultra-som de urgência.

Chegando lá, ganhei um US morfológico 3 semanas antes do previsto (porque na clínica onde faço, só consegui pro dia 22) e a ma-ra-vi-lho-sa surpresa de ver a minha placenta recobrindo TOOOODO o colo uterino. A famigerada PLACENTA PRÉVIA.

Claro que sabia que as placentas começam como implantação baixa e sobem durante o desenvolvimento do bebê, mas com 20 semanas já era pra ela estar LONGE do colo uterino, pois o feto começa a engordar e ficar perto do colo significa risco de sangramento.

E tudo começa desse jeito: sangramento vaginal (que pode ser intermitente, sangra um pouquinho hoje, mais um pouquinho amanhã...), INDOLOR. Aí, quando você vai fazer o exame especular, vê aquela sangreira saindo pelo orificio externo e, no US, vê isso aqui:


Não sei se dá pra entender muito bem, mas a placenta (a coisa que parece fofinha lá em cima da foto) está cobrindo o colo uterino.

E o que isso significa?

Bom, ganhei mais um chá de cama. Sim, repouso absoluto ao leito (ainda bem que é em casa), mínimo esforço, para evitar novos sangramentos. Isso também significa que não posso ter um parto normal, porque significaria fazer o bebê sair PELO MEIO DA PLACENTA na hora do parto. Não, ainda não quero emoções fortes com direito a bolsa de sangue. Ou seja, cesária marcadíssima, pois agora não posso entrar em trabalho de parto MESMO.

Mas nem todas as mães com placenta prévia têm sua cesária já decretada. Algumas vezes a placenta ainda pode subir (é a reza aqui de casa) e, ao invés de ser total, como a minha, ser MARGINAL, sem recobrir o orifício interno do colo uterino. Ainda exige cuidados, mas nem tanto como uma total.

Incidência na população geral? 0,3 a 0,5% das gestações... >.<

Fatores de risco? Multiparidade (muitas gravidezes), cesárias anteriores, curetagens anteriores, idade materna avançada, gestação múltipla, antecedente de placenta prévia.

A parte boa é que, como estou no início do segundo trimestre, ainda há chance dessa placenta SUBIR! É agora que começa a reza braba aqui em casa, sobe, placenta, sobe!

sábado, 29 de junho de 2013

As bobagens

Ainda na linha do Muito Além do Peso, hoje eu queria falar de outro livro muito legal. Também é da coleção da Família Urso e ajudou bem aqui em casa.


Desta vez a Mamãe Urso percebe que seus filhotes estão mais... erm... LARGOS do que deveriam, bem como o Papai Urso, cujos fundilhos chegam a rasgar quando se abaixa. A capa do livro já dá uma boa idéia do que deveria estar acontecendo na casa da árvore (e a cara da Mamãe mostra o grau de insatisfação dela, hohoho). Por causa disso, Mamãe parte para a luta: começa dando o exemplo em casa, corta as bobagens e leva TODO MUNDO pro consultório da médica da família, para entender por que não se pode comer bobagens demais.

Esse livro também é recomendado para crianças maiores, já em idade escolar, mas se as mamães e os papais tiverem paciência para ler e explicar, os pequenos entendem direitinho o recado.

Porque nada me decepciona mais do que ouvir uma mãe dizer no consultório: "doutora, não sei mais o que fazer, eu falo, falo, mas ele/ela não me ouve, só quer comer besteiras, não quer comer comida"... e depois me confessa que SIM, mamãe e papai abastecem regularmente o armário de doces e guloseimas e que NÃO, a família não tem o hábito de fazer as refeições juntas, longe da TV. Infelizmente, milagre, pediatra ainda não sabe fazer.

E antes que achem que somos santos aqui em casa...

A mocinha aqui TEM seu armário de doces. Ela chama de "armário de gostosuras", está na altura e no alcance dela, nunca proibimos. Também tem biscoito (sem recheio), chocolate, balinhas. Mas ela tem REGRAS para consumi-los e quantidade determinada (isso também não quer dizer que ela nunca extrapola, mas como está acostumada a comer pouco, geralmente abre um pacotinho de bolinho Ana Maria, come um e larga o outro "pra depois").

E nos dias festivos, aí a jiripoca pia, como diria o Cebolinha. Hoje tem festa junina da escolinha, afe, quem é que vai ficar vigiando o que o serzinho come? Minha mãe já falou que está com vontade de canjica e arroz-doce e eu, barriguda de 19 semanas, vou me acabar nos docinhos... e segunda-feira voltamos à programação normal.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cuidados com os dentes...

... da mamãe.

Creio que muitas mamães já devem ter ouvido falar do tal "pré-natal odontológico", mas não sei quantas devem realmente saber da sua importância e nem se fizeram durante a gravidez.

O cuidado com os dentes da gestante deve ser redobrado, pois devida a mudança hormonal, fica muito mais fácil adquirir uma cárie ou até coisas piores - e ainda com os agravantes: 

1) não é todo tipo de anestesia que pode ser feita em uma gestante,

2) procedimentos que possam levar à liberação de microrganismos na corrente sanguínea devem ser feitos sob orientação do obstetra e 

3) doenças periodontais podem aumentar o risco de parto prematuro.

Claro, não dá pra sair correndo pro dentista assim que o teste de gravidez dá positivo (e geralmente com aquela ponta de culpa de aimeudeusoquequefuifazer), mas é bom deixar marcada uma consulta com um dentista que tenha experiência no tratamento de gestantes, para o início do segundo trimestre de gestação (aquele trimestre onde você já não tem mais enjôos, tá quase descobrindo o sexo do bebê pra correr atrás do enxoval, que você acha que a barriga tá aparecendo - mas só você acha isso...).

Como na gestação da D eu não pude nem pensar em levantar da cama nos primeiros trimestres, terminei com uma gengivite do uó e uma cárie que, dois anos depois, virou um lindo e doloroso canal. Desta vez, assim que entrei no segundo trimestre, troquei a escova de dentes e fui direto pra dentista, já com a gengiva sangrando. Pois é, eis que estou novamente com gengivite gravídica e já iniciei o tratamento, para não sofrer tanto como da outra vez.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Muito Além do Peso



Eu sei que este documentário já foi divulgado inúmeras vezes em inúmeros blogs, sites de conteúdo para mães e pais, mas a mensagem de alerta nunca deve ser esquecida. Infelizmente, vejo isso todo dia...

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Vivendo no modo "HARD"

... ou, pelo menos foi assim que um colega de trabalho do meu marido disse, quando contamos que estamos esperando o segundo bebê, sendo que a primeira tem 3 anos.

Agora, depois de um descanso sem fraldas, sem chupeta, sem mamadeira, sem papinha e sem mega-bolsa para sair, resolvemos que era a hora de pensar no segundo bebê, antes que a coragem fosse embora de vez. Facilitou o fato da D estar pedindo um irmãozinho e o fato de estarmos em nossa casa nova, sem aluguel, sem precisar pensar em nos mudar mais uma vez (porque na gestação anterior nós nos mudamos na TRIGÉSIMA SEGUNDA semana. Foi emocionante. Ahã. Não quero passar por isso de novo).

Ontem fizemos o terceiro ultra-som, para medida da translucência nucal e cálculo do risco de aneuploidias (hein?), ou seja, ver qual o risco de ter uma criança com a trissomia 21 (Down), 18 (Edwards) ou 13 (Patau). Evidentemente, esse exame é considerado uma triagem, não sendo definitivo para afirmar se um feto é portador de uma dessas síndromes (em caso de triagem positiva, é recomendada a realização de uma amniocentese ou cordocentese para coleta de células fetais).

E, claro, junto com a novidade do bebê, vêm as consultas pré-natais, a decisão sobre o tipo de parto, os exames a serem feitos e a ansiedade da criancinha de casa querendo saber se é irmão ou irmã. Como esse último só será satisfeito na hora do ultra-som morfológico (porque ontem a fofurinha dentro da minha barriga pulou tanto, mas TANTO, que mesmo o palpite da médica ficou difícil), podemos falar sobre os exames, sua importância e algumas recomendações para gestantes. Quando nascer, se a loucura da casa me permitir, passaremos para o manual nada prático de como lidar com duas crianças ao mesmo tempo. :)

sexta-feira, 10 de maio de 2013

As mentiras

Garanto que não existe, em qualquer lugar do mundo, uma família que já não se desesperou ao ouvir as gracinhas inocentes de uma criancinha se tornarem mentiras bem cabeludas, daquelas que são tão óbvias que não são verdade, que ficam até engraçadas.

Pois é, para tudo na vida há uma primeira vez e essa fase já começou por aqui. Felizmente, neste momento, as mentiras não são ditas com malícia ou maldade, mas muitas vezes fazem parte do imaginário infantil e, para as crianças, se tornam verdade se não houver intervenção dos pais. Claro que isso não significa castigo, broncas e afins, mas uma boa conversa para explicar o que é uma verdade e o que é uma menitra ajuda bastante.

Por isso, hoje vou recomendar um livro para ajudar:


A Família Urso é uma coleção de livros ainda desconhecida no Brasil, mas é publicada a mais de 50 anos nos Estados Unidos com o título de The Berenstain Bears (e continua até hoje). Os livros abordam temas comuns a qualquer família com crianças, como a chegada do irmão mais novo, a primeira ida a escola, as guloseimas, os amigos e... a verdade.

São histórias mais elaboradas, mas que podem ser lidas para crianças que já consigam aguentar uma história com começo, meio e fim. Aqui em casa funcionou bem e não foi preciso uma bronca para chegar no "desculpe, mamãe".
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...