sábado, 23 de fevereiro de 2013

3 anos

Parece um anjinho

Quando as mães me perguntam no consultório qual a melhor maneira de se educar uma criança e como fazê-la nos ouvir, eu juro que queria ter a resposta pronta. 

O grande problema é que essa resposta NÃO EXISTE. Cada criança responde de uma maneira e cada mãe reage às "gracinhas" da cria de outra maneira. 

Eu sempre me orgulhei da educação da minha filha e de como ela não me fazia passar vexame... até agora. 

Pelamorrrrrrrrrrrdedeus, tem dias que nada dá certo! Já estamos usando um mix de técnicas aqui, passamos pela conversa, fomos para o tal do cantinho, depois seguimos para outra conversa, daí, a paciência já foi pro ralo e os ânimos começam a se exaltar, vindo para o estágio da choradeira, criança berrando "diculpaaaaaaaaaaa" e pais se sentindo as piores criaturas que já pisaram em solo terrestre...

O engraçado é que tem dias que tudo fica bem. Dá até medo da tempestade depois da calmaria.

Enquanto essa fase não passa, vou me tornando um ser rouco. :)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Enfim, sem a "fumacinha"!

Na época que usava o Luft Chamber. Depois disso trocamos pro espaçador de alumínio.

Neste mês, completamos 30 dias sem a "fumacinha" (Flixotide) e (quase) 30 dias sem crises de asma!

O "quase" aconteceu por causa de uma arte... num momento de distração minha, a madame pegou e virou MEIO FRASCO DE PERFUME na roupa e estava se achando LINDA! Um minuto depois disso, estava com uma falta de ar horrenda e ganhou um banho bem dado, além de 3 jatos de salbutamol. Porém, depois disso, não teve nem mais um "cof" nesta casa.

Para todos verem que não, bombinha não vicia. :D

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A lagosta

Essa foto veio daqui: http://www.albumdalu.com.br/2011/12/abobrinha-recheada-gratinada.html
A minha não teve tempo de ser fotografada antes do ataque voraz da criança... snif.

Como todo bom domingo, resolvi fazer um almocinho diferente, então parti em direção da cozinha para preparar algumas "lagostas".

Quando eu era pequena, talvez para fugir da mesmice, minha mãe costumava dizer que abobrinha recheada era "lagosta" e que repolho refogado era "camarão". O resultado foram algumas conversas telefônicas hilárias entre a minha mãe e as mães dos meus colegas de classe, porque todo mundo queria saber como a minha mãe conseguia lagostas a preços módicos para servir rotineiramente para uma criança, que dizia estar "cansada de só comer lagosta, camarão, camarão, lagosta".

Então vamos à receita da LAGOSTA, ora pois :)

Ingredientes

1 lagosta, quero dizer, abobrinha italiana por pessoa (no caso da criança de casa, meia abobrinha)
1/4 de cebola ralada (se aparecer pedaço, não come)
3 dentes de alho picados (gosto de alho)
400g de carne moída (usei patinho)
queijo ralado para gratinar
sal a gosto

Como fazer pra criança comer (bom, a minha comeu tudo):

Lave bem as abobrinhas, corte o talo e corte-as ao meio no sentido do comprimento. Com uma colher de chá, cavoque o centro, formando uma cavidade onde irá o recheio. Reserve o miolo. Coloque em um prato raso, salgue um pouco e leve ao micro-ondas por 1 minuto em potência máxima. Isso deixará as abobrinhas crocantes depois de assar.

Refogue a cebola ralada, o alho picado e junte o miolo da abobrinha bem picadinho. Quando estiver refogadinho, adicione a carne moída, tempere a gosto e deixe cozinhar.

Recheie as abobrinhas com a carne moída, jogue o queijo ralado por cima e leve ao forno para gratinar.

A pessoinha de casa comeu meia abobrinha de uma vez só. :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...