quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

O "é rapidinho" virou um grande e enorme texto...



Uma das postagens mais populares do blog é o "É rapidinho!" , onde falo sobre o leite de vaca integral (e suas marcas mais famosas, entre elas o de embalagem amarela que já virou sinônimo de leite em pó pra criança). O post, em si é bem curto, pois é mais um esclarecimento do que um texto informativo, mas os comentários, ah, o setor de comentários...7
 
... como várias dúvidas que as mães, pais, avós e parentes perguntam se repetem, achei que seria interessante relembrar alguns itens do post original e acrescentar outras orientações.
 
A primeira, claro, que está em praticamente todos os lugares do blog, é: procurar um especialista (no caso, o pediatra que acompanha a criança), para que seja feita uma consulta presencial, feitas as avaliações necessárias, as medidas antropométricas (peso e altura), para que, levando-se em consideração as condições e o cotidiano da família, seja prescrito o melhor leite para a criança, que pode ser desde o leite materno até a fórmula infantil, caso a amamentação não seja possível.
 
Também é muito importante lembrar que: bebês amamentados ao seio materno (aleitamento materno exclusivo) não precisam de outro tipo de líquido ou alimento. Não precisa dar chá (de nenhum tipo!), água, engrossante (salvo prescrição médica), farinhas ou mingau.
 
Os bebês, após o primeiro mês de vida, caso amamentados exclusivamente ao seio materno, podem ficar até 5 dias sem evacuar, sendo considerado algo normal caso a criança não fique com a barriga inchada, desconfortável ou chorosa e, quando evacuar, as fezes saírem pastosas, em grande quantidade, sem muco, sangue ou cheiro forte. Se tomar fórmula infantil adequada para a sua idade e apresentar intestino preso, é necessária a avaliação presencial pelo pediatra para troca da fórmula ou indicação de medicamentos para alívio.
 
123rf.com Banco de imagens
 
O seio materno não é apenas fonte de alimento. É fonte de água, de calor, carinho, afeto e segurança para o bebê. Portanto, em dias mais quentes, o bebê irá mamar mais, se estiver desconfortável, ele irá mamar mais e, em períodos de pico de crescimento, ele irá mamar mais. Isso não significa que o leite materno está fraco ou que está diminuindo. Caso haja a suspeita de que o leite está secando, deve ser marcada uma consulta com o pediatra para que seja avaliado o peso e, caso necessário, prescrita a fórmula mais adequada para o bebê.
 
O leite de vaca integral é recomendado APENAS PARA crianças maiores de 2 anos, por ter maior quantidade de sódio, gorduras e caseína, o que é prejudicial para o organismo de bebês pequenos. Não importa a marca, leite de vaca integral, seja de caixinha, de saquinho, de garrafinha ou da própria vaca, não deve ser dado para menores de 2 anos.
 
123rf.com Banco de Imagens

 
As crianças maiores devem consumir leite e/ou seus derivados em sua alimentação diária, caso não haja impedimento por alergia ou doença, mas o leite não pode substituir uma refeição completa. Os preparados lácteos (alguns "iogurtes" cuja imagem está ligada a personagens infantis, "leites com fruta" de caixinha) possuem muito açúcar e corantes, não sendo adequado o seu consumo por crianças. Claro que uma vez ou outra não vai matar ninguém, mas não é para dar em substituição a um lanche saudável. 


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Os lanchinhos para a escola

O blog anda meio morno e parte disso é minha culpa sim (aliás, acho que a culpa toda, hehehe). Como agora fiz a fanpage Mamãe Pediatra no Facebook e a ferramenta de atualização no celular é fácil de usar (porque o aplicativo do Blogger pra celular é uma nhaca), acabo atualizando a fanpage com maior frequência.
 
Mas vamos falar de coisas legais e gostosas. Sim, gostosas. :D
 
Como a Fofa foi para o 1ºano do Ensino Fundamental, teve que mudar de escola. E a escola nova é só meio período (na verdade, tem período integral, mas o $$ não deu, preciso ser sincera, ué) e não fornece lanche como a escolinha anterior. Então, ela ganhou uma linda e maravilhosa lancheira térmica do Frozen, garrafa térmica do My Little Pony (da Thermos, pedi pra uma amiga trazer dos EUA) e marmitinhas lindas e cuti-cutis que comprei na Daiso Japan que tem no Shopping Parque das Bandeiras (aieeeeeeeeeee, o que era aquela loja, quase morri de fofura lá dentro).
 
E aí vem a pergunta: o que mandar dentro dessa lancheira? Eu lembro que levava pacotinhos de salgadinhos "tamanho escolar", iogurte e suco. Suco, aliás, que vazava por toda a minha mochila. Lembro também que briguei com a balança por todo o meu período escolar e ouvia bastante a musiquinha "gorda baleia, saco de areia".
 
Então fui pra pesquisa: encontrei vários serviços de entrega de lancheira escolar, mas todos eles esbarravam em um probleminha... todos os alimentos entregues possuem ou leite ou derivados ou traços de leite. A Fofa não tem alergia à proteína do leite de vaca, mas qualquer sobra seria trazida para casa e, com certeza, viraria alvo da boquinha da Fofinha.
 
Já sabia que a lancheira ideal deveria conter:
  1. Fruta
  2. Carboidrato (doce ou salgado)
  3. Suco de frutas (natural)
Bolinhos de pasta de amendoim e banana
 
Fiz o lógico: fui pra cozinha e preparei fornadas e fornadas de bolinhos e pães caseiros para congelar e mandar de lanche. Acordava bem cedinho, batia a fruta pra fazer suco, coava, colocava na garrafa, arrumava a lancheira...
 
... pra Fofa em questão voltar reclamando que os amigos estavam levando cookies, biscoito de polvilho... que o suco tinha pedaços...
 
Sentei, conversei com ela, expliquei que a mamãe estava fazendo tudo com muito carinho... até que chegamos a um acordo: teremos um dia na semana em que ela levará algo mais próximo do que os colegas levam. Mas que tem que ser do tipo que a Fofinha pode comer, para não contaminar a casa.
 
Deu certo. Hoje ela levou mamão cortadinho, brownie de chocolate da Be Happy Doces, bisnaguinha com presunto e suco de maçã da Yakult. Amanhã voltaremos à programação normal da mãe acordando cedo pra bater fruta no liquidificador.
 
E vocês ganham a receita do bolo de amendoim e banana :)
 
- 1 xícara e 1/4 de farinha de trigo (ou mix sem glúten se preferir)
- 1 xícara de açúcar
- 6 colheres de sopa de pasta de amendoim sem açúcar...
- 3 maçãs pequenas raladas
- meia garrafinha de leite de coco integral
- 1 colher de sopa de fermento em pó.
- 1/2 xícara de óleo
 
Misture o açúcar e a pasta, acrescente o óleo e a farinha, misturando bem. Rale as maçãs e coloque o leite de coco para umidecer a massa (não pode ficar líquida, ela é uma massa mais densa, fica em ponto de mingau). Coloque nas forminhas de silicone e leve ao fogo médio (200), por 15 minutos ou até o palito sair seco.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...