quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Vamos falar sobre os tais bichinhos... temos que pegar! Pokémon GO!


Quem tem por volta de seus 20-30 anos deve se lembrar das aventuras de Ash Ketchum e seu pokémon Pikachu, num desenho que passava nas manhãs da Globo e que logo se tornou uma febre mundial. Nesse desenho, Ash era um menino que sonhava em se tornar um grande treinador Pokémon e viajava o mundo na companhia de seus amigos (e seu Pikachu extremamente temperamental e de personalidade... marcante).

Tela do jogo de Game Boy
Esse desenho, porém, veio depois do hit de jogos da época: Pokemon (Pocket Monsters), criado para jogar com o Game Boy da Nintendo. Foram várias versões de jogos (red, blue, yellow, etc, etc), com compartilhamento de pokemons via cabo (a última novidade da época), a maior atração entre as crianças e adolescentes. 


Aí, o desenho continuou... a febre deu uma diminuída... não são bobos nem nada, criaram o Pokémon Card Game (as tais "cartinhas pokémon"), que agora virou febre novamente entre crianças do Ensino Fundamental...

... e resolveram criar um jogo para atiçar os maiores. Sim, nos quais EU me incluo.


Pokémon GO é um jogo de realidade aumentada desenvolvido para smartphones que usa a sua localização GPS e a câmera do seu celular. Nele, você é um treinador Pokémon e sai pelas ruas procurando os bichinhos para capturar pela tela do seu celular.

Não faltaram críticas ao jogo, mas também temos relatos positivos, como o de uma criança autista que passou a socializar com as pessoas e a sair de casa após jogar o jogo.

E agora esse bendito está liberado no Brasil e a criançada está surtando e pedindo pra instalar esse joguinho no seu celular (em casa estão)?

Na minha opinião, ele pode SIM servir pra tirar as crianças de dentro de casa e de frente da TV/tablet/computador. Porém, não dá para deixar jogar indiscriminadamente e nem no meio da rua, até para não acontecerem artes do tipo... ser atropelado por um ônibus enquanto caça Pokémon, como um site de humor de Curitiba anunciou hoje de manhã (mas é BOATO, viu?). O que realmente tem acontecido é que marginais estão aproveitando a distração das pessoas jogando e têm roubado celulares, atraindo os jogadores com iscas no jogo.

Então, a Fofa vai jogar?

Vai sim. Mas com REGRAS:

1) Só depois de fazer a lição de casa e trocar de roupa.
2) Na companhia da mãe ou do pai.
3) Dentro do condomínio.
4) E antes de escurecer.

Como sempre dizemos, proibir não é a solução, então vamos deixar as regras bem claro e nos divertir com ela. :D

 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...